Dead Space

O texto abaixo foi publicado no site oficial do jogo.


Definir um remake pode ser complicado, já que, às vezes, remasterizações são erroneamente denominadas como remakes e vice-versa. Mas, se você perguntar para a chefia do projeto de remake do Dead Space™ no estúdio Motive, você terá uma resposta clara e única: É sobre reconstruir o jogo do zero e adicionar novos conteúdos e melhorias modernas, mas sem jamais trair o original.

PRIMEIRO PASSO: MANTER-SE FIEL

“Primeiramente, honramos o nosso legado”, diz o produtor sênior Philippe Ducharme. “Olhamos para o jogo original com todo o respeito. Então, as bases principais continuam as mesmas. No entanto, estamos fazendo diversas melhorias na experiência, tanto para novas pessoas que vão jogar, quanto para as que já jogaram a franquia.”

“E queremos que fãs de Dead Space redescubram Dead Space, como se fosse a primeira vez”, diz o diretor criativo Roman Campos-Oriola. “Mas com tudo sendo familiar e reconhecível. Isso é bem importante para a gente.”

O diretor técnico de projeto concorda. “É um jogo histórico para muita gente”, diz. “E tem uma legião extremamente dedicada de fãs. Muitas pessoas dizem que é um dos melhores do gênero. Então, queríamos nos certificar de entender o que o tornava o melhor e como podíamos manter isso”.

Para garantir que isso acontecesse, a equipe decidiu fazer o incomum – entrar em contato com essa legião dedicada de fãs e, em conjunto, criar um Conselho da Comunidade para compartilhar ideias e opiniões sobre o jogo. “Bem no começo do projeto”, diz Roman, “começamos a discutir com algumas pessoas da comunidade que identificamos como muito dedicadas. Nós nos reuníamos com elas a cada seis semanas, aproximadamente, e mostrávamos tudo que estávamos fazendo”.

“Isso não é comum”, observa David. “Na verdade, pela minha experiência, é bem raro. Eu só vi alguns jogos fazerem isso. E eu não sei por que é tão raro, já que você sempre consegue bons resultados quando faz isso. Vai saber, não é?”

“A gente tem a nossa própria opinião, mas não significa que ela seja certa!”, diz Philippe. “Alguns tópicos eram bem polarizados, então queríamos entender melhor e reunimos feedback destes grupos para tomar decisões informadas. O foco na comunidade é um dos pilares deste projeto, então também pegamos feedback de nossas transmissões, lemos análises das pessoas e comentários na Twitch… Tinha muita informação para absorver. Tudo isso era para entender qual era o nosso público com este jogo, e o que tornava Dead Space espetacular para ele.”

PASSO DOIS: EXPANDIR E MELHORAR

O resultado é um jogo que é muito mais do que uma simples modernização do original. “Por exemplo, a história passa por todos os pontos e eventos do original”, diz Philippe. “Mas olhamos a história de toda a franquia, que é muito maior do que a do primeiro jogo. Teve o Dead Space™ 2, o Dead Space™ 3, as revistas em quadrinhos… todos estes produtos incluíram uma história adicional que colocamos no jogo”.

“Isso. Queríamos que o jogo se encaixasse mais na história geral do universo de Dead Space, que evoluiu após o primeiro jogo”, diz Roman. “Para dar um exemplo, Isaac tem uma voz neste jogo, assim como em Dead Space 2 e Dead Space 3. E algumas pessoas que tinham um papel mais secundário e apareciam só em registros de áudio, como a Dra. Cross, receberam mais espaço de tela. E queríamos dar um passado e uma agência maior para algumas pessoas do elenco, como a Nicole. Então, criamos uma nova camada de missões secundárias que permitirão que você veja o que aconteceu com Nicole durante o surto, por exemplo.”

E, claro, há diversas melhorias tecnológicas que as plataformas modernas oferecem. “É um novo engine, Frostbite™”, diz Roman. “E todos os arquivos, todas as animações, todas as texturas, todos os efeitos e comportamentos de oponentes foram refeitos no novo engine”.

“Também estamos criando o jogo inteiro como uma sequência só”, diz Philippe. “Desde o momento em que você inicia o jogo até terminá-lo, não há cortes de câmera ou telas de carregamento. A não ser que você morra. Agora, a Ishimura está totalmente conectada. Então você pode andar do ponto A ao Z, visitar toda a nave e revisitar locais que você já completou para obter coisas que pode ter perdido. Tudo isso é novo. Agora, é uma experiência completa.”

“A gente também queria melhorar a forma de se movimentar em G-Zero, em termos de experiência e imersão”, diz Roman. “Então, há uma liberdade completa em 360 graus. Agora, quando você joga Dead Space , você se sente no espaço sideral. Isso também nos permite revisitar alguns dos conteúdos antigos e criar novas formas de navegar, novos trajetos e novos ambientes com novos desafios.”

“E, com o poder computacional que temos agora, podemos investir muito, muito mais na iluminação”, observa David. “Tanto sob a perspectiva da luminosidade, quanto sob a do sombreamento. E o sistema de descamação e desmembramento que temos agora é muito legal e acrescenta muito à jogabilidade. O jogo fica mais dinâmico e estratégico.”

“Sim. Quando você começa a atirar, começa a ver a pele e a carne rasgando no corpo inimigo”, diz Roman. “E depois, você vê os ossos por baixo. Ao cortar os ossos, o membro é separado do corpo e assim por diante. É incrível. Mas também dá feedback direto, para quem está jogando, sobre a quantidade de dano que está sendo aplicada”.

“E estamos usando efeitos volumétricos, como neblina”, diz David. “E como isso se encaixa com tudo: as sombras, a iluminação e também o sistema de física. Não seria possível investir tanto assim no passado.”

“Mas, no geral, queremos que as pessoas entendam que a gente não está apenas melhorando os gráficos”, diz Philippe. “Mesmo que isso fosse incrível por conta própria! Mas também é o conteúdo novo, novas partes da história, esse tipo de detalhe e de profundidade, para criar uma experiência inédita e melhorada.”

PASSO TRÊS: JUNTAR TUDO

Mesmo com tudo que foi adicionado ao jogo, a equipe nunca tirou o foco da missão principal: honrar o legado do Dead Space original. “Queremos garantir que a base seja o jogo original e a experiência seja fiel a isso”, diz Roman. “E aí, entregamos muito mais”. “O objetivo era fazer com que quem joga tivesse a experiência de jogar Dead Space novamente pela primeira vez, já sendo fã do jogo. Mas também temos a chance de dar àquelas pessoas que nunca jogaram a oportunidade de ter a experiência definitiva de Dead Space, com um jogo que tem a jogabilidade, o visual e o áudio de um jogo moderno.”

“Já que foi um jogo incrível”, diz Philippe. “E eu ainda fico feliz de jogá-lo hoje, com a nossa versão. Isso é algo que eu sei que as pessoas vão gostar. E eu mal posso esperar para ver a comunidade vivenciar isso por conta própria.”

Você vai poder fazer exatamente isso quando Dead Space for lançado, em 27 de janeiro de 2023, no PlayStation 5, Xbox Series X|S e PC. Até lá, fique de olho neste espaço para ver mais detalhes diretamente da equipe de desenvolvimento!