A Sony afirma ter garantido componentes suficientes para colocar mais 12 milhões de PS5 no mercado durante seu atual ano fiscal, que termina em 31 de março de 2022, a fim de atingir a meta de 22 milhões (e considerando que estamos em 10,1 milhões).

Falando durante uma chamada pela web na quinta-feira (transcrita pelo VGC), o CFO Hiroki Totoki afirmou que a Sony garantiu semicondutores suficientes – que estavam em falta durante a pandemia – para atingir sua meta de vender 14,8 milhões de PS5s no ano fiscal atual.

“A escassez de semicondutores tem impactos em diversas áreas e, por meio de diversas medidas, estamos tomando algumas providências”, afirmou. “Para o PS5, a meta foi definida para o número de unidades a serem vendidas neste ano, e nós garantimos o número de chips necessários para isso. Em relação ao fornecimento de semicondutores, não estamos preocupados”.

Em uma chamada anterior de lucros da Sony, Totoki disse que a Sony não esperava resolver completamente os problemas de abastecimento que viram o PS5 amplamente esgotado desde o lançamento. O executivo disse na época que a Sony estava considerando várias soluções para ajudá-la a lidar com a escassez global de componentes de hardware, incluindo a possível alteração de designs de hardware ou fornecimento de fornecedores secundários.

Paralelo a isso tudo, Totoki disse hoje (via Bloomberg) que o principal produto da empresa, o PlayStation 5 de US$ 499, não estava mais vendendo com prejuízo. O PS5 Digital Edition, de US$ 399, está a caminho de ter sua perda compensada por outras vendas de hardware, incluindo acessórios e o PlayStation 4, acrescentou o CFO.