2015 pode não ter sido um ano ideal para o PlayStation 4. Afinal, tivemos diversas remasterizações e poucos exclusivos de peso. Porém, esses exclusivos é que fizeram a diferença, assim como os títulos multiplataforma.

Por outro lado, o PS3 consolidou cada vez mais seu adeus em 2015 e o PS Vita continuou contando com seus títulos de nicho.

Chegou a hora de definirmos os jogos que você não devia ter deixado de conferir no ano que passou!


Melhor Jogo de PlayStation 4

O PS4 teve excelentes títulos em 2015. Bloodborne é um deles e que por muito pouco não levou o título de jogo do ano pelo PSX Brasil. Tivemos Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, que encerrou a carreira de Kojima na Konami de forma memorável. O aguardado Fallout 4. O inesperado Life is Strange. O fim da jornada do homem-morcego em Batman: Arkham Knight. E muito mais.

Mas The Witcher 3: Wild Hunt foi escolhido como o melhor do ano para o PS4 pelo PSX Brasil. A saga de Geralt pode ter aparecido apenas com este jogo em um console PlayStation, mas sem dúvida deixou uma marca que será lembrada por muitos anos. The Witcher 3 é um pacote completo: há uma história fantástica e que fica cada vez mais intrigante; há um mundo aberto massivo e realmente vivo, com inúmeros personagens carismáticos, sejam eles das quests principais ou secundárias; apesar de não ser unânime, há um sistema de combate sólido; há uma localização para o português do Brasil impecável; apesar do jogo estar excelente desde o lançamento, houve uma preocupação por parte dos desenvolvedores de polir tudo o máximo possível com patches e adições gratuitas; e há o Gwent, que por si só poderia ser um jogo isolado.

The Witcher 3: Wild Hunt é um dos melhores jogos de todos os tempos e não somente de 2015. A CD Projekt RED se superou e conseguiu entregar aquilo que prometeu desde o início. Leia nossa análise completa clicando aqui.


Melhor Jogo de PlayStation 3

O PS3 não teve um ano saudável. Apesar de ter recebido alguns jogos em 2015, a maioria estava disponível em uma versão melhorada no PS4, como Call of Duty: Black Ops III que chegou ao ponto de remover a campanha single-player, ou os títulos foram simplesmente cancelados, como é o caso de Mortal Kombat X. No entanto, o console esteve vivo com Resident Evil HD Remaster, Resident Evil: Revelations 2, Tales of Zestiria, Yakuza 5 e outros.

Mas nosso prêmio vai para Metal Gear Solid V: The Phantom Pain. Apesar de rodar em resolução e taxa de quadros por segundo menor que o PS4, o jogo é basicamente a mesma obra-prima no PS3. É simplesmente incrível a Kojima Productions ter conseguido alcançar isso e manter a promessa de lançar o título no PS3 (e 360), ao invés de pegar o caminho mais fácil e cancelar esta versão.

A jornada de Venom Snake pode não ter um enredo memorável, mas o seu gameplay impecável deixou o jogo inesquecível. Leia nossa análise completa clicando aqui.


Melhor Jogo de PlayStation Vita

O PS Vita, apesar das críticas que recebe de muitos jogadores, possui muitos títulos interessantes. Tivemos The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel, Hotline Miami 2: Wrong Number, Shovel Knight, Ar nosurge Plus: Ode to an Unborn Star, Dungeon Travelers 2: The Royal Library & The Monster Seal, One Piece: Pirate Warriors 3, Dengeki Bunko Fighting Climax, Persona 4: Dancing All Night, SUPERBEAT: XONiC, Bastion, Resident Evil: Revelations 2 e muito mais em 2015.

Porém, um jogo se destacou entre os demais (que inclusive também está disponível para o PS3): Steins;Gate. O título é uma visual novel, gênero em que o jogo é contado através de diálogo e muito texto, enquanto imagens dos personagens vão interagindo durante o diálogo. Desenvolvida originalmente para PC pela Nitroplus e 5pb no Japão e trazida para o Ocidente pela PQube, Steins;Gate está cotado entre as melhores visual novels de todos os tempos.

Desde a arte, a trilha sonora, até a história e suas reviravoltas, tudo é impecável. É uma experiência única. Leia nossa análise completa clicando aqui.


Melhor DLC

Mesmo com o excelente The Witcher 3: Hearts of Stone, foi Bloodborne: The Old Hunters que foi o vencedor do melhor DLC/expansão do ano, não só adicionando novos elementos como armas, chefes e cenários, mas enriquecendo o universo do jogo como poucos DLCs fizeram antes.

The Old Hunters responde os segredos mais obscuros da trama, além de oferecer uma experiência que se equivale a campanha original. Uma desculpa para os jogadores retornarem à Yharnam, que foi aperfeiçoada ao longo do ano pela From Software com patches que melhoraram o desempenho do jogo e adicionaram elementos como uma nova Guild e mais possibilidades para o PvP. O único problema da expansão é saber que ela será o único DLC para este fantástico game. Há poucas experiências no ano como Bloodborne, e sua expansão só enfatiza o que o jogo tem de melhor, oferecendo conteúdo de qualidade para os fãs da obra. Leia a análise completa aqui.


Melhor Jogo Indie

2015 foi um ano fantástico para os jogos independentes nas plataformas PlayStation. Com diversos jogos chegando a PSN todas as semanas, é difícil apontar apenas um. Entre sequências de jogos adorados como Hotline Miami 2: Wrong Number e OlliOlli2, jogos que finalmente chegaram aos donos dos consoles da Sony como The Vanishing of Ethan Carter, Bastion e Shovel Knight e enormes sucessos que poucos esperavam, como Rocket League e Helldivers, vários jogos de vários gêneros e diferentes propostas foram lançados em 2015.

Entre todos esses grandes nomes e grandes lançamentos, o que mais se destacou para equipe do PSX Brasil foi Teslagrad. A cativante história de um menino preso em uma torre do reino de Elektropia tem tudo o que nós aprendemos a esperar de um bom jogo independente: mecâncias desafiadoras e criativas, uma história intrigante, direção de arte caprichada e gameplay rápido, que se encaixa tanto nas sessões de PS3/PS4 ou na telinha do Vita. Teslagrad é um jogo fantástico que em momento algum tenta se prolongar mais do que o necessário, sendo longo o suficiente para ser memorável e difícil o suficiente para que o jogador se sinta envolto na experiência.

Teslagrad é um dos jogos que melhor mostra o quão valioso é o esforço da Sony de trazer os melhores jogos independentes para as plataformas PlayStation. A Rain Games acertou em cheio no jogo e é uma das melhores experiências disponíveis para os amantes de jogos indie. Leia nossa análise completa clicando aqui.