Os fãs estão procurando por pistas para um novo jogo Silent Hill desde que Konami anunciou uma parceria com a desenvolvedora.

Três projetos da Bloober Team foram descobertos sob codinomes – H2O (que se tornou Layers of Fear 2), Black (um projeto em primeira pessoa ambientado em uma Europa medieval assolada por ataques alienígenas) e Dum Spiro (um jogo de terror ambientado na 2ª Guerra Mundial Gueto polonês-judeu).

No entanto, em uma declaração ao site IGN, o CMO da Bloober Team, Tomasz Gawlikowski, deixou claro que nenhum dos jogos descritos estão sendo desenvolvidos ativamente.

“Especulações online com base em informações desatualizadas ou incompletas podem muitas vezes levar a teorias estranhas entre os jogadores, então agradecemos que você nos pergunte diretamente”, escreveu Gawlikowski, explicando que o financiamento da Europa Criativa permitiu que a Bloober fizesse projetos mais arriscados e confirmando que H2O tornou-se o Layers of Fear 2 de 2019.

“Também nos inscrevemos para dois outros projetos, com o codinome respectivamente Dum Spiro e Black”, continuou Gawlikowski. “Após várias iterações de Dum Spiro, concluímos que não podemos no momento entregá-lo de uma forma que seja apropriadamente sensível ao tópico e comercialmente viável ao mesmo tempo. Em suma, Dum Spiro não está mais em desenvolvimento ativo no momento”.

“Da mesma forma, a ideia inicial para Black também foi engavetada e, embora ainda estejamos desenvolvendo um jogo com esse codinome, agora é um projeto muito diferente do que você poderia ler na web nos últimos dias”. Gawlikowski compreensivelmente não entrou em nenhum detalhe sobre se o estúdio estava trabalhando em um jogo Silent Hill, ou o que seu trabalho com a Konami implica, mas ele confirmou que vários grandes projetos estão em andamento.

“Na Bloober Team temos dois projetos internos ativos, um na fase de produção e outro na fase de pré-produção. Ambos serão maiores em escopo do que The Medium, no entanto, nenhum deles é baseado em temas ou premissas que tenham tem circulado online nos últimos dias”, conclui Gawlikowski.