AnálisesPS3

Castle Crashers

Análise

NOME: Castle Crashers
FABRICANTE: The Behemoth
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment America


LANÇAMENTOS
03/11/2010 03/11/2010 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Número de jogadores: 1-4 (Multiplayer Local e Online)

Definição: 720p

Troféus


Em uma geração recheada de mesmice por parte dos infindáveis Shooters que a povoam, nós, jogadores, eventualmente sentimos falta de algo original ou, ao menos, diferente. A verdade é que as super-produções estão cada vez tomando mais espaço – um processo natural, em vista dos custos cada vez mais caros de se desenvolver um jogo. Entretanto, os sistemas online da Microsoft e da Sony vem se provando consistentemente como ótimos lugares para jogos indies, ofertando-nos pérolas como Joe Danger e Braid. Castle Crashers (CC) é um título "cult", lançado na XBox Live Arcade em 2008, chegando à PSN mais de 2 anos depois com seu visual colorido e humor bizarro, carregando o mesmo impacto que obteve em seu lançamento original. 

 

 

Desenvolvido pela The Behemoth, CC é um jogo de ação 2D que se passa em um universo medieval fictício. Um mago sombrio rouba um poderoso cristal e sequestra algumas Princesas. O Rei envia, então, 4 cavaleiros para enfrentar o Mago, resgatar as Princesas e salvar o mundo. A história não tem grandes desenvolvimentos, "plot twists" ou até mesmo cutscenes emocionantes, mas é lotada de momentos divertidíssimos, como o enterro de um certo Boss ou o sensacional Milho Gigante, simplesmente impagáveis.  

 

Basicamente, CC é um jogo de progressão 2D com múltiplos planos (ou seja, você progride lateralmente, mas pode andar em vários níveis do cenário) Embora pareça ser um título de plataforma, o jogo possui apenas algumas poucas sessões de pulos ou corridas, e seu enfoque é quase integralmente o combate, no estilo dos bons e velhos Beat ’em Ups, como Streets of Rage. Existem botões para ataques fracos e fortes, e com o passar do jogo, você adquire combos que usam sequências de ambos. Além disso, segurando-se R2 e usando o botão de ataque forte, você consegue usar Magia, que é diferente para cada personagem. Um outro aspecto importante do combate são os itens, que vão de bombas e poções de recuperar energia a uma pá para cavar alguns lugares no mapa, para obter mais itens ou dinheiro.

 

 

O mapa do jogo possui um bom tamanho e as fases são variadas, construídas de forma a estimular uma leve exploração que não fica como empecilho ao combate, por vezes frenético até demais. Inimigos cercam o jogador por todos os lados e podem oferecer uma resistência brutal, podendo ser frustrante jogar sozinho. A verdade é que CC foi feito para ser jogado em Multiplayer, e o jogo está facilmente em seus melhores momentos quando jogado com amigos. Jogando em 2, 3 ou 4 pessoas, o jogo se torna mais fácil e absurdamente divertido – como o jogo fornece inimigos de forma proporcional ao número de jogadores, um Multiplayer de 4 pessoas garante um caos interminável na tela. Além disso, jogar com amigos facilita sua evolução, e você provavelmente já caminhará bem melhor sozinho quando atingir o Level 10. Motivos para se jogar sozinho, entretanto, não existem. CC implora por Multiplayer, e em se tratando de Co-Op, CC está no topo do quesito diversão, e este é o objetivo primário do título da The Behemoth.

 

O visual e o som são bastante bastante cartunescos, pegando muito de seu estilo emprestado das animações em Flash de sites como o Newgrounds. Este estilo casa perfeitamente com a proposta do jogo, e assim como em Fat Princess, fica ótimo quando contrastado com a violência absurda do título. Sim, o visual "fofo" pode enganar à primeira vista, mas CC é extremamente sanguinário. Inimigos são decapitados incessantemente, enquanto sangue, membros e ossos completam as decorações dos castelos. Alguns inimigos são queimados vivos, outros possuem seus torsos rasgados enfim… verdadeiramente "gore". Se você quiser jogar com seu irmão menor/filho/sobrinho ou similar, porém, há uma opção de se desligar esta violência, tornando CC um verdadeiro jogo-família. 

 

 
Se existe um ponto no qual CC peca é na variedade dos 4 Cavaleiros. Como você vai ganhando níveis com o passar do jogo e pode elevar suas habilidades como bem entender, os 4 personagens principais são basicamente iguais, diferindo-se apenas em suas magias – o que é muito pouco para diferenciá-los, visto o enfoque do jogo no combate corpo-a-corpo. Cada Cavaleiro tem seu Level independente, o que pode ser um pouco irritante se você quiser simplesmente mudar o personagem por causa da Magia. Como o seu Level é fator-chave para sua sobrevivência, você terá que se ater ao seu Cavaleiro inicial ou arriscar jogar praticamente tudo outra vez.
 

 
CC possui um tamanho razoável, mas não se engane. Além do modo história, há também uma Arena para vários tipos de combate Player VS Player, além de um inusitado mini-game de Vôlei. Aliado aos troféus, à vasta quantidade de armas e ao extremamente difícil Insane Mode, estas pequenas adições prolongam em muito a vida útil de CC. A um preço de 15 dólares e oferecendo a diversão que possui, CC é facilmente um dos melhores jogos disponíveis na PSN. Indispensável para quem gosta do gênero 2D ou quem aprecia um toque de originalidade no mundo marrom das super-produções modernas.

92%