AnálisesPS4

Análise – Trials Rising

Análise

NOME: Trials Rising
FABRICANTE: RedLynx / Ubisoft Kiev
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Corrida / Arcade
DISTRIBUIDORA: Ubisoft


LANÇAMENTOS
26/02/2019 26/02/2019 26/02/2019


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1-4 (offline); 2-8 (online)
Troféus (inclusive Platina)
DLC
Leaderboards
Espaço necessário: 22,84 GB
Legendas em PT-BR: Sim
Dublagem em PT-BR: Não


Trials é uma série bastante conhecida por ser desafiadora, mas com uma proposta bastante simples: pegue a sua moto e chegue ao fim do percurso. A sua maior inimiga no processo será apenas uma: a física (ou a falta dela?).

Acredite ou não, Trials celebrará seu vigésimo aniversário em 2020, sendo que foi lançado primeiramente para navegadores de PC. No entanto, apenas em 2009 que sua popularidade cresceu significativamente com Trials HD. Um console PlayStation acabou recebendo o primeiro título da série somente em 2014 com Trials Fusion no PS4.

Mesmo com quase 20 anos nas costas, a parte fundamental da série continua a mesma. Como dito, avance por um percurso desafiador com a sua moto e tente chegar inteiro ao final. E não se preocupe: falhar será inevitável.

Trials Rising

Trials Rising é um título que mantém a essência da série. O gameplay continua basicamente o mesmo e há mais de 125 pistas inéditas. Além disso, há o modo de criação de pistas que também aumenta a longevidade do game consideravelmente.

O que isso significa é que, na prática, ainda é uma espécie de montanha-russa cheia de obstáculos. Não há movimentos especiais ou upgrades nesse sentido, apenas a gravidade e o entendimento da física do jogo. Tudo que você precisa fazer é saber se posicionar na moto (o equilíbrio nela, pois se torna o seu centro de gravidade), além de acelerar, soltar o acelerador e freiar nos momentos certos.

A dificuldade é uma característica da série e isso continua presente em Rising. No entanto, ao longo da campanha disponível há tutoriais que explicam o básico das coisas. Isso é algo bem-vindo aos novatos (que não ficarão assustados com a dificuldade tão cedo), mas pode tornar o jogo entediante para os veteranos no início.

Trials Rising

Essa campanha funciona da seguinte forma: há um mapa em que você vai destravando novas pistas. Cada pista possui um sistema de ranking e você também evolui o seu piloto. Essa evolução destrava novas motos especializadas. É aqui que surge um problema sério de Trials Rising: o grind.

No início, você praticamente continuará avançando independente de sua pontuação. Porém, ao atingir um determinado momento do game, os requerimentos para destravar novas pistas ficam cada vez mais difíceis. Isso obrigará você a retornar às pistas que já completou em busca de um tempo melhor. Dependendo de sua vontade de fazer isso, o jogo pode se tornar um tédio completo.

Outro ponto negativo são as loot boxes. Você basicamente recebe novas caixas conforme avança no jogo, mas há microtransações com dinheiro real nesse sistema. Portanto, caso você seja uma pessoa que se preocupa com o visual do seu piloto, pode se decepcionar com esse aspecto. Vale ressaltar que, obviamente, as loot boxes abrangem apenas conteúdo cosmético e que não afeta o gameplay.

Trials Rising

Trials Rising é, tecnicamente, um jogo single-player, porém enquanto você joga, se estiver conectado aos servidores da Ubisoft, sempre estará acompanhado de fantasmas de outros jogadores. Portanto, além de você ter a pressão de buscar um bom tempo em cada pista, ainda terá que competir com outros jogadores aleatórios que já fizeram o percurso. Muitas vezes os fantasmas são desses jogadores que estão fazendo grind e já estão muito mais avançados que você, o que pode tornar a experiência um pouco frustrante para quem se importa com isso.

No entanto, vale ressaltar que há experiências multiplayer normais, tanto online quanto local. Uma delas é justamente a possibilidade de controlar uma mesma moto com dois jogadores. É algo engraçado e que gera um desafio extra, mas é uma mecânica que você vai conferir uma vez e deixar de lado em pouco tempo.

Trials Rising

A parte técnica de Trials Rising, como os seus gráficos, é muito melhor que a de Trials Fusion. Caso não se recorde, quando Fusion começava a corrida, apresentava muitas texturas incompletas que iam carregando aos poucos antes da partida começar de fato (o que era algo muito feio). Porém, apesar dessa melhora, ainda há problemas de pop-in de texturas em Rising – só não são tão frequentes assim.

Vale ressaltar também que Rising tenta voltar um pouco às suas origens com cenários simples. Ainda há coisas absurdas como a Grande Muralha da China e até a Torre Eiffel. Mas é notável que há cenários que buscam simplicidade, principalmente no início da campanha.

No fim, o maior problema de Trials Rising é a sua dificuldade e o grind que surge por conta disso. Não gosto de usar esse termo por ser modinha, mas “Trials Rising é um Dark Souls de moto”. Você vai se irritar, cedo ou tarde, com as pistas que o jogo oferece. Não sei dizer se é apenas impressão, mas determinadas pistas ainda por cima contam com obstáculos que parecem ser aleatórios, o que causará ainda mais frustração. Além disso, depois de conseguir concluir essas pistas, você terá que aprimorar o seu tempo para poder continuar avançando no game. É um processo tedioso que pode fazê-lo desistir do game. Mas não há satisfação melhor que vencer em uma pista difícil e com um ótimo tempo.

Trials Rising

Um aspecto curioso é que Trials Rising não possui dublagem em nosso idioma. No entanto, há legendas em português do Brasil e que são de ótima qualidade, como é de costume nos jogos da Ubisoft.

Trials Rising promete receber bastante suporte nos próximos meses, sendo que a primeira temporada já começou. A expansão “Sixty Six”, a primeira prevista, chegará no próximo dia 16 de abril. Considerando todas as expansões que serão lançadas, teremos mais de 55 novas pistas.

Veredito

Trials Rising continua com a proposta de seus antecessores, oferecendo um desafio bastante alto e viciante, além de um ótimo design de fases. No entanto, o grind que o jogo exige em determinado ponto, assim como o sistema de lootboxes, são pontos negativos que tiram o brilho do título.

Jogo analisado com código fornecido pela Ubisoft.

80%