AnálisesPS4

Análise – The Dark Pictures: Man of Medan

Análise

NOME: The Dark Pictures Anthology: Man of Medan
FABRICANTE: Supermassive Games
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Terror
DISTRIBUIDORA: Bandai Namco


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 4K (com suporte a HDR)
Nº de Jogadores: 2 a 5 (local ou online)
Troféus (inclusive Platina)
Espaço necessário: 29.02 GB
Legendas em PT-BR: Sim
Dublagem em PT-BR: Não


Jogos de terror têm sido uma constante na atual geração (e nas mãos desse redator que vos fala). Bem ou mal, embora isso possa parecer desagradável para alguns, para os fãs (que ficaram um pouco carentes desse gênero na geração anterior), o fato empolga muito. Tendo em vista o sucesso desses títulos, a Supermassive Games, estúdio responsável por Until Dawn, trouxe The Dark Pictures Anthology: Man of Medan, para expandir ainda mais a biblioteca do console.

The Dark Pictures Anthology: Man of Medan tenta seguir os mesmos passos de Until Dawn, porém, a entrega é um pouco mais rasa e deficiente, com alguns problemas técnicos que acontecem com frequência. Porém, mesmo com seus contras, é preciso admitir que o estúdio trabalhou muito bem o fator terror do título ao trazer uma ambientação sombria e misteriosa.

Man of Medan
O navio Man of Medan era usado para transporte irregulares. Fonte: PS4 Share

Antes de qualquer coisa, é importante explicar que The Dark Pictures Anthology é uma série que contará com cerca de 8 jogos distintos de terror. Man of Medan é apenas o primeiro dessa coletânea e busca trazer uma ambientação em alto mar focada no “além”.

O jogo conta a história do navio de carga batizado de Man of Medan. Tudo sai do controle quando uma aparente força sobrenatural toma conta do local e leva os tripulantes à loucura e posteriormente, à morte.

Anos se passam até que um grupo de amigos decide explorar as profundezas do mar em busca de riquezas. No meio dessa aventura aquática, eles descobrem que um tipo de tesouro está à bordo do Man of Medan e decidem explorá-lo. Porém, para chegar nesse monte de ouro, será preciso descobrir o que de fato aconteceu no navio.

Embora as vagas informações dadas na introdução possam parecer um defeito, elas conseguem instigar o jogador a se aprofundar cada vez mais no enredo para descobrir o que aconteceu no navio. Para tornar isso um pouco mais fácil, há um tipo de curador de histórias que aparece entre um capítulo e outro. Ele te oferece ajuda de vez em quando, dando dicas rasas do que pode ser certo ou não.

Man of Medan
O curador lembra o Dr. de The Until Dawn e dá dicas de caminhos para serem trilhados. Fonte: PS4 Share

Assim como em vários outros títulos do gênero, as escolhas feitas em Man of Medan alteram completamente o fluxo da história. Uma vez que a decisão é tomada, não há como voltar atrás, e cabe a você lidar com as consequências.

Como visto em Until Dawn, a Supermassive Games implementou um sistema de premonição. Há diversos quadros no cenário que podem mostrar o que está por vir. Algumas dessas visões podem nem vir a acontecer, outras são inevitáveis e apenas uma prévia de uma decisão rápida que precisará ser tomada no futuro.

E por falar em decisões, aqui os QTEs também influenciam no destino dos protagonistas. Em determinados momentos, por exemplo, será preciso apertar um botão rapidamente para não “cantar para subir” mais cedo do que o planejado. Porém, essa “fácil” tarefa torna-se um verdadeiro pesadelo por conta de alguns problemas técnicos presentes.

Man of Medan
Errar qualquer QTE pode significar a morte para o seu personagem. Fonte: PS4 Share

Como dito anteriormente, os QTEs influenciam no roteiro, porém, há alguns problemas muito comuns em jogos no estilo novel que atrapalham demais em Man of Medan: queda de frames e travamentos nos momentos mais importantes. Então não se espante se em um determinado ponto você acabar errando um botão de ação por culpa de uma falha técnica. Isso se torna uma constante, principalmente em lugares em que a dinâmica exige respostas rápidas aos comandos.

Outro ponto negativo está na jogabilidade. Jogos de escolha tendem a trazer um pouco da realidade e deixam o próprio sistema decidir se está na hora de correr ou simplesmente andar, porém, isso não acontece aqui. Seu personagem anda devagar o tempo todo e causa uma sensação de que “as coisas não estão seguindo o fluxo”. O fato do gameplay não ser fluído e confuso, pode afastar jogadores que buscam algo nos moldes de Detroit: Become Human ou o próprio Until Dawn.

Os personagens, além de não serem marcantes, são rasos nas demonstrações de seus sentimentos. Às vezes eles colocam muita empolgação em momentos que não precisam, e pouca em pontos cruciais da história. Há também algumas falhas na sincronização das legendas e fala.

Em contrapartida às falhas técnicas, o jogo apresenta gráficos muito bem elaborados, além de uma trilha sonora que coincide muito bem com o ambiente. Efeitos de água e os detalhes dos rostos dos personagens são simplesmente incríveis, principalmente quando o HDR está ativo. Mas como nem tudo são flores, fica aqui um ponto negativo para as expressões referentes às demonstrações de humor, que podem ser bem estranhas às vezes.

Os cenários sofrem com a demora da renderização dos objetos presentes. Fonte: PS4 Share

No quesito técnico, Man of Medan (assim como qualquer outro jogo) tem seus prós e contras. Porém, ele consegue fazer algo de forma simplesmente brilhante: dar sustos. O clima sobrenatural foi trazido com maestria pela Supermassive Games, o que obriga o jogador a apagar todas as luzes se quiser ter essa experiência com 100% de aproveitamento.

Para os jogadores que não gostam de ter esse tipo de experiência sozinhos, é possível convidar até cinco amigos, online ou localmente, para jogarem juntos. Em ambos os casos, cada jogador assume a narrativa de algum dos personagens e torna-se inteiramente responsável pelas suas escolhas, podendo estragar ou não o rumo da história pretendida pelos outros integrantes.

Outra vantagem de se jogar em grupo é que eles podem desvendar mistérios que passaram totalmente despercebidos por você. São 14 quadros de premonição e outros 50 segredos para serem descobertos durante a jogatina, que pode durar cerca de 6 horas no total.

Caso você seja do tipo explorador e consiga encontrar todos os colecionáveis, mini documentários serão liberados para serem assistidos no menu principal. Eles contam um pouco da vida dos escritores de histórias de terror e como as ideias para esse tipo de conteúdo surgem.

Os documentários são desbloqueados de acordo com a quantidade de segredos desbloqueados. Fonte: PS4 Share

Man of Medan é um caso de amor e ódio, onde você pode amá-lo muito pelo enredo, mas detestá-lo pelas falhas técnicas que podem atrapalhar o rumo da sua história.

Após a primeira atualização, algumas coisas foram melhoradas, como a tradução das falas em francês, por exemplo, que por vezes não acontecia e deixava o jogador perdido. Porém, as quedas de frame ainda estão lá para estragar o seu passeio nesse cemitério flutuante.

Veredito

Man of Medan tem alguns defeitos que podem ser corrigidos via atualização, e embora os personagens não sejam tão marcantes, a história consegue prender o jogador e deixar todos os envolvidos morrendo de medo.

Jogo analisado no PS4 padrão com código fornecido pela Bandai Namco.

74%