AnálisesPS4

Análise – Mighty Switch Force! Collection

Análise

NOME: Mighty Switch Force! Collection
FABRICANTE: WayForward
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Ação / Plataforma
DISTRIBUIDORA: WayForward


LANÇAMENTOS
25/07/2019 25/07/2019 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1 (1-4 - Mighty Switch Force! Academy)
Troféus (inclusive Platina)
Espaço Necessário: 892,93MB
Dublagem PT-BR: Não
Legendas PT-BR: Não


De todos os estúdios com uma longa história em produzir jogos independentes, a WayForward talvez seja a mais subestimada. Responsável pela ótima série Shantae, o estúdio finalmente lançou a sua reimaginação para os jogos de plataforma de ação quando deu início a série Mighty Switch Force!, antes exclusiva de PC e consoles da Nintendo e que finalmente chega ao PlayStation 4 agora.

Mighty Switch Force! Collection reune os 4 jogos principais da série, sendo eles o Mighty Switch Force! original, lançado para Nintendo 3DS, e a sua remasterização para PC e Wii U chamada Mighty Switch Force! Hyper Drive Edition, a sequência Mighty Switch Force! 2, também lançada para Nintendo 3DS, e o spin-off para PC Mighty Switch Force! Academy, todos em um pacote bem acessível e talvez mais voltado para quem não tinha tido contato com a série ainda do que para os fãs.

Mighty Switch Force! Collection

A mecânica central de todos os jogos é bastante simples, colocando o jogador no controle de Patricia Wagon, uma policial galáctica parte do “Esquadrão Penal Galáctico” responsável por enfrentar determinadas ameaçadas, se valendo de uma arma especial e um Siren Helmet para cumprir a missão que lhe foi dada.

Essas missões se dão na forma de um jogo de plataforma de ação com quebra-cabeças, em uma espécie de versão mais leve e bem-humorada de um Mega Man X. A influência da seminal franquia da Capcom pode ser sentida em todos os aspectos de todos os MSF, nenhuma delas mais clara do que na pistola que Patricia usa para derrotar os inimigos ou resolver determinados quebra-cabeças e alcançar o objetivo de cada fase, algo que varia de jogo em jogo.

Para isso, além de atirar nos inimigos, é necessário progredir por cada fase prendendo ou resgatando cinco membros da gangue chamada de “Hooligan Sisters” e é para alcançar algumas dessas meliantes que o jogador precisará superar a maior parte dos desafios de plataforma que o jogo apresenta. Pular é algo bastante consistente, com o momentum funcionando como se imaginaria e, como não há um pulo duplo ou um slide, conseguir superar alguns dos obstáculos vem através da mecânica única da série e que dá nome a ela: o switch.

Mighty Switch Force! Collection

A Patricia é uma das policiais cibernéticas munidas do Siren Helmet, um capacete especial capaz de dar massa física a alguns blocos especiais existentes no mapa, fazendo com que eles apareçam ou “desapareçam” do mapa, podendo ser utilizados para uma grande variedade de finalidades ao longo do jogo, sendo fundamental saber como usá-los a seu favor para alcançar as condenadas e terminar os estágios no menor tempo possível.

O foco no “menor tempo possível”, aliás, é um dos principais pontos de MSF. Cada fase tem um tempo de “par” que precisa ser superado, com o “fator replay” do jogo vindo do desejo de superar esses tempos, que são bem alcançáveis quando você entende a lógica por trás do desafio de cada fase. Isso acaba funcionando mais para tentar mascarar o grande problema de todos os jogos da série: eles são muito curtos.

Ao todo, o primeiro Mighty Switch Force! possui 21 fases, com a remasterização dele trazendo uma nova versão para cada uma das fases chamada de “Hyper Mode”, cuja principal função é adicionar uma nova camada de dificuldade as fases originais além de, naturalmente, trazer todo o conteúdo lançado como DLC para o original de 3DS e gráficos mais bonitos e nativamente em HD.

Mighty Switch Force! Collection

Esses gráficos em HD são os que mais fazem o jogador perceber o quão inspirado o visual do jogo e a trilha sonora são em Mega Man X. O visual cheio de tons azulados e muito neon com uma trilha sonora bem voltada pra música eletrônica passam uma impressão tão forte quanto a de se jogar a primeira fase do primeiro MMX e é uma ótima homenagem que deve cativar aos fãs do gênero que se sintam órfãos do bombardeiro azul.

Enquanto MSF é uma divertida homenagem, Mighty Switch Force! 2 leva as ideias do jogo original em uma direção bem diferente e interessante. Ao invés de reaproveitar história e ambientação do jogo anterior fazendo apenas um ou outro ajuste a ela, MSF2 traz uma perspectiva bem distinta do jogo anterior.

Mighty Switch Force! Collection

Ao invés de tentar prender as integrantes da Hooligan Sisters, o objetivo agora é resgatá-la, já que elas se reformaram, passando a viver uma vida pacata e tranquila. O jogador dessa vez controla Patty Wagon, membro da “Brigada de Incêndio Galáctica” e precisa salvar a Plant Land (mundo em que os jogos da série se passa) que entrou em combustão espontânea, causando uma série de grandes incêndios ao redor do mundo.

Equipada com o seu Infinity Dousing Apparatus (um extintor de incêndio a base de água portátil), a Patricia precisa salvar cinco Hooligan Sisters por mapa e um novo tipo de vítima, os U.S.B.s ou Ugly Secret Baby, dos quais existe um por fase, adicionando mais um elemento extra além da missão principal e do tempo a ser batido.

Além disso, MSF2 funciona como o jogo anterior, com a principal diferença sendo a arma equipada pela personagem, a qual ao invés de disparar pequenas balas funciona como um jato constante que vai se tornando mais poderoso quanto mais tempo o jogador manter o botão pressionado.

Mighty Switch Force! Collection

Com esse novo tipo de arma, novos tipos de blocos foram introduzidos para trazer novas estratégias para completar as fases ao jogador. Agora temos versões deles feitos de lama, que precisam ser derretidos, em forma de cano, com o fluxo de água precisando ser direcionado a determinados pontos e de madeira, os quais precisam ser queimados.

Assim como o jogo anterior, MSF2 é um jogo de plataforma bem divertido, sofrendo exatamente do mesmo problema: fases curtas e, em razão disso, um jogo como um tudo que é bem curto que conta com apenas 16 fases, com baixa “rejogabilidade”. Outra limitação é que como ele não possui nenhum remake em HD, a única opção é jogá-lo em sua versão original em resolução melhor, mantendo-se os gráficos pixelados inspirados pelo visual do fim da geração do SNES e os primeiros jogos em 2D para PSX.

Mighty Switch Force! Collection

Por fim, temos o Mighty Switch Force! Academy, um spin-off da série lançado para PC no qual o jogador assume o papel de uma trainee do Esquadrão Penal Galáctico, sendo preparada para enfrentar as Hooligan Sisters. O jogo funciona igual ao primeiro, inclusive sendo tão curto quanto, com apenas 20 fases, e com uma única e significativa diferença: a visão do mapa.

Enquanto os outros jogos funcionam como um jogo de plataforma tradicional, com a câmera se movendo junto com a personagem, MSF!A muda isso, colocando o jogador em uma situação em que ele vai sempre visualizar o mapa inteiro o tempo todo. É um pouco estranho quando se passa de um jogo para outro, essa nova perspectiva traz uma camada fresca ao desafio central da série.

Ao invés de ter que conhecendo os mapas aos poucos, aqui é possível observar o padrão de movimento dos inimigos, a disposição das Hooligan Sisters e dos blocos e assim montar o seu plano de ação antes mesmo de dar o primeiro passo. Essa possibilidade por si só faz valer a dificuldade um pouco maior de se ver os personagens, algo que é levemente compensado pelo jogo ter sido feito com telas modernas de alta resolução ao invés das telinhas do 3DS e sofrerem upscale para a TV da sua sala. É um jogo divertido se, novamente, curto e traz divertidos novos, variados e únicos ao pacote.

Mighty Switch Force! Collection

Se essa diferença da visão é da parte mecânica, MSF!A traz uma outra novidade ao jogo que é a existência de um modo multiplayer local, tanto cooperativo quanto competitivo. Essa opção pode ser jogada com e contra bots, mas o seu principal destaque é a possibilidade de reunir até quatro jogadores para completar os desafios do jogo, resultando em uma experiência bem divertida.

A verdade é que Mighty Switch Force! Collection é um sucesso não só pelo quanto a WayForward é capaz de fazer um bom jogo de plataforma, mas por toda a personalidade que a série possui e o quão desafiadores e variados os jogos são. Desaponta a sua curta duração e, notoriamente, o fato de estarem faltando jogos da série nesta coletânea, como o Mighty Flip Champs! (o jogo que originou a série) e o Mighty Switch Force! Hose It Down!, mas isso não a impede de entregar algumas boas horas de diversão para os fãs do gênero.

Mighty Switch Force! Collection

Veredito

Mighty Switch Force! Collection é uma coletânea repleta de jogos divertidos e criativos, trazendo uma bela mistura de inspirações clássicas com seus próprios toques para modernizar os jogos de plataforma, e mesmo sua curta duração não o impede de trazer uma ótima e consistente experiência.

Jogo analisado no PS4 padrão com cópia digital fornecida pela WayForward.

80%