GameplayNotíciasPlayStation 4Vídeos

Impressões da beta privada de Fallout 76

Três anos depois que tivemos a oportunidade de colocar as mãos em Fallout 4, temos um novo jogo da franquia caminho. Faltando pouco mais de duas semanas para o seu lançamento, Bethesda Game Studios disponibilizou uma beta fechada do seu mais novo trabalho chamado Fallout 76. Embora seja uma franquia conhecida e com jogos muito bons, o teste deixou algumas dúvidas sobre como o produto final será dado o curto prazo de tempo para uma grande mudança. Segue então nossas impressões sobre o jogo assim como dúvidas que só serão sanadas no próximo dia 14.

Quem já está familiarizado não terá nenhum tipo de dificuldade de entender a história visto que ela se assemelha e muito nos jogos da franquia. Trezentos anos depois do primeiro Refúgio ter sido criado para salvar algumas pessoas de uma guerra iminente, 2076 chega com mais uma ameaça de um conflito que colocará o fim na humanidade. Apenas os escolhidos para adentrar o Refúgio 76 terão a capacidade de reconstruir o mundo pós-apocalíptico.

Você então será um dos elementos que se encontram dentro do Refúgio 76. Ao sair do refúgio, você encontrará o que restou e começará uma jornada de reconstrução, se é que ainda é possível. Além das missões relacionadas ao modo história, existem missões secundárias e, também, eventos diários. O problema aqui é que tanto as missões primárias quanto as secundárias são muito similares, tendo que ir do ponto A para o ponto B, investigar alguma coisa, eliminar alguns inimigos ao longo do caminho e tudo está resolvido.

Para sair de dentro do Refúgio, você terá que customizar o seu personagem. Escolha o gênero, corte de cabelo, cor da pele, etc.; nada de novo por aqui. O número de opções disponível na beta era bem limitado, então qualquer tipo de comentário a respeito seria um tanto quanto precoce. De qualquer forma, com a possibilidade de jogar o jogo em primeira pessoa, tal customização se faz até mesmo desnecessária.

A apresentação de Fallout 76 merece os devidos elogios sem dúvida alguma. Situado em West Virginia nos Estados Unidos, o jogo consegue passar uma boa impressão da geografia montanhosa da região com um colorido bem forte em seus gráficos. O nível de detalhe em todo e qualquer objeto é interessante se levarmos em consideração que o jogo é um RPG online com diversos jogadores ao mesmo tempo compartilhando servidores específicos.

Infelizmente, tais maravilhas gráficas não funcionaram de modo perfeito, pelo menos não durante a beta fechada. A queda de taxa por segundos em determinados momentos é absurda, dando a impressão de que o jogo está sendo pausado devido à algum lag do servidor. Quando atacado por inimigos, eles parecem atravessar o corpo do personagem ainda somado à péssima inteligência artificial dos mesmos. Quando eles percebem a presença do jogador, eles se movimentam para um ataque em grupo, mas a tentativa falha visto que eles simplesmente parecem ir em sua direção sem motivo aparente.

A sonoridade merece destaque por conta da excelente ambientação que ela causa ao jogador. Você tem a impressão de estar em uma montanha cheia de florestas com o vento soprando e as folhas das árvores fazendo barulho, além do som dos seus passos em diferentes terrenos ao longo do mapa.

E por falar no mapa, Fallout 76 traz talvez o maior mapa dos jogos da franquia. A imensidão do terreno a ser explorado se estende ao número de coisas que podem ser adquiridas ao longo do mesmo e a tudo o que pode ser criado, comido e melhorado. Vale falar que mapas enormes não são novidades, são quase pré-requisitos na visão dos gamers dos dias de hoje, mas sempre que uma empresa toma cuidado em colocar algo assim em seus jogos, os créditos devem ser dados.

Eventos também não diferem tanto assim dos outros dois tipos de missão. Entretanto, um dos pontos positivos relacionado a eles é a possibilidade de se tele transportar para o local onde eles estão acontecendo. Parece algo muito simples e talvez até um pouco controverso se for levado o fator RPG em consideração, onde quanto mais se explora o mapa, mais chance de melhorar o seu personagem você terá, mas em se tratando de um mapa tão gigantesco quanto esse, uma ajudinha assim não é de todo mal.

A jogabilidade é a esperada de qualquer jogo de RPG. Você terá que completar missões e eliminar inimigos para ganhar experiência e assim subir de nível. Conforme novos níveis são alcançados, novas cartas de habilidades são desbloqueadas e poderão ser utilizadas como melhorias para aspectos específicos como força, agilidade, energia, etc.

Esses pontos adquiridos não são definitivos, ou seja: se você quiser ao longo do jogo mudar certos pontos em seu personagem, basta acessar o menu e realocar as cartas de modo que melhor lhe convir. E aqui as coisas complicam um pouco em função do acesso ao menu que se dá pelo Bip-Boy 2000, acoplado ao braço do personagem. O menu é bem completo, mas ao mesmo tempo extremamente complexo, tendo que utilizar o R2, L2, R1, L1, analógico, X e Círculo para acessar os itens, missões e status.

Sobre o combate, o ponto negativo acontece quando você tenta acertar os inimigos através de uma arma de fogo pois é um sofrimento. Por mais que você mire e tenha certeza que irá acertar, algum bug acontece e você acaba por errar o tiro. Esse problema se agrava ainda mais quando se está em movimento ou sendo atacado por diversos inimigos.

Você poderá trabalhar de modo co-op em Fallout 76 para completar as missões, eventos ou qualquer tipo de atividade que seja do seu interesse. Você poderá convidar outros jogadores online no mesmo mundo que você. Aqui é interação é bem simples, pois uma vez que você ingresse ou convite alguém para lhe acompanhar, tudo acontece de forma instantânea sem tela de carregamento ou nenhum tipo de demora na resposta.

Veredito

Em termos de quantidade e variedade, a beta de Fallout 76 demonstrou que o jogo tem tudo para ser um RPG online que prenderá o jogador na frente do videogame por um bom tempo. Ao mesmo tempo que a beta deu a impressão que você possa interagir com tudo a sua volta, os problemas técnicos acabaram destruindo a emoção que o jogo tenta causa. Agora é esperar o dia 14 de novembro chegar, sair do Refúgio e esperar que os problemas tenham sido corrigidos.

Beta analisada com código fornecido pela Bethesda Game Studios.