No final do ano passado, um artigo do site Bloomberg afirmou que a divisão PlayStation da Sony tem negligenciado o mercado japonês em favor dos mercados ocidentais, atraindo a ira dos consumidores em seu território. A empresa negou veementemente o artigo do Bloomberg.

Agora, segundo Kosuke Shimzu, do jornal Nikkei Asia, revelou que o PlayStation 5 continua em grande escassez no Japão e, apesar da promessa de liberar mais estoque durante o período de férias de 2020, parece que a Sony não aumentou a oferta no país. Embora a oferta também permanecesse baixa no Ocidente, alguns varejistas ocidentais receberam estoque antes do Natal. Não está claro se o mesmo foi feito no Japão ou não.

O artigo revela também como os varejistas japoneses têm sido criativos quando se trata de vender o PS5. Ao contrário do Ocidente, onde os cambistas continuam a adquirir milhares de consoles para revendê-los, os varejistas japoneses têm usado um sistema de loteria online para vender PS5, o que de certa forma os ajuda a contornar o problema de bots e cambistas, ao mesmo tempo que evita multidões nas lojas.

Como relatado anteriormente, o PS4 superou o PS5 no Japão, e muitas das vendas baixas foram reduzidas a restrições de fornecimento. O PS4 continua popular no país e, de acordo com o Nikkei, os consumidores japoneses ficaram um pouco surpresos quando a Sony anunciou que pararia de produzir o PS4, exceto um modelo.

No último ranking semanal japonês, o PS5 vendeu menos de 10 mil unidades. Ou seja, unidades estão surgindo à venda, mas não atende a demanda que existe pelo console.

Muitos acreditam que parte do motivo pelo qual a Sony está mais focada no mercado ocidental é a forte concorrência da rival Microsoft. Apesar de seus esforços, o fabricante do Xbox Series X teve uma recepção morna no Japão, vendendo menos de 30.000 unidades até o momento. Como Nikkei coloca: “em outras palavras, a Sony não precisa se preocupar com o Xbox conquistando o mercado japonês”, ao contrário do Ocidente.