O CEO da Take-Two Interactive, Strauss Zelnick, reiterou sua opinião de que a decisão de cobrar US$ 69,99 pelas versões de última geração de NBA 2K21 foi a correta, porque o público estava “pronto” para um aumento de preço.

Falando durante a Morgan Stanley Technology, Media & Telecom Conference nesta semana, o CEO da Take-Two foi questionado sobre sua opinião sobre a reação ao preço do NBA 2K21 e o que isso significa para os preços dos jogos no futuro.

“Anunciamos um preço de US$ 70 para NBA 2K21, nossa visão era que estamos oferecendo uma variedade de experiências extraordinárias, muito replay e a última vez que houve um aumento de preço de primeira linha nos EUA foi em 2005, 2006, então pensamos os consumidores estavam prontos para isso.

Não dissemos nada sobre o preço de outros títulos até agora e tendemos a fazer anúncios título por título, mas acho que nossa visão é [que queremos] sempre entregar mais valor do que cobramos, fazer com que o consumidor tenha a experiência e […] a experiência de pagar por isso, ambas são experiências positivas.

Todos nós sabemos que, mesmo que você ame uma experiência de consumidor, se achar que foi cobrado demais por isso, isso estraga a experiência, você não quer tê-la novamente. [Se você] vai a um ótimo restaurante, um restaurante realmente muito bom, tem uma ótima refeição e um ótimo serviço, então recebe um cheque que é o dobro do que você acha que deveria ser, você nunca vai voltar.

Portanto, sempre queremos ter certeza de que os consumidores sintam que entregamos muito mais do que pedimos em troca, e isso também se aplica aos nossos atuais gastos com consumidores. Somos uma empresa de entretenimento, estamos aqui para cativar e envolver os consumidores e, se fizermos isso, a monetização virá”.

NBA 2K21 foi o primeiro jogo de próxima geração a custar oficialmente US$ 70 e, mesmo assim, alcançou 8 milhões em vendas. A Sony e a Activision também aderiram à nova faixa.