O CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, respondeu ao processo de discriminação e assédio sexual da semana passada e se desculpou pela reação inicial da empresa (via VGC).

Em uma carta enviada a todos os funcionários e publicada no site de investidores da Activision, Kotick disse à equipe: “nossas respostas iniciais aos problemas que enfrentamos juntos e às suas preocupações foram, francamente, surdas”.

Referindo-se especificamente às funcionárias que relataram sofrer discriminação e assédio sexual, ele acrescentou: “é imperativo que reconheçamos todas as perspectivas e experiências e respeitemos os sentimentos daqueles que foram maltratados de alguma forma. Lamento não termos fornecido a empatia e compreensão certas”.

Kotick prometeu “ação rápida” e recrutou o escritório de advocacia WilmerHale para conduzir uma revisão das políticas e procedimentos da empresa, fornecendo aos funcionários detalhes de contato direto para o líder de equipe se eles quiserem relatar confidencialmente quaisquer violações da política da empresa.

Ele também afirmou que a empresa tomaria as seguintes cinco ações para alcançar uma “mudança duradoura”:

  1. Suporte ao funcionário.
  2. Sessões de escuta.
  3. Mudanças de pessoal.
  4. Práticas de contratação.
  5. Mudanças no jogo.

Mais recentemente, mais de mil funcionários assinaram uma carta contra os executivos da Activision Blizzard e havia planos de protestos tanto online quanto presenciais nesta quarta-feira.