Em entrevista ao site IGN, o diretor de Sonic Frontiers, Morio Kishimoto, comentou mais sobre o jogo.

Sonic Frontiers será o primeiro título da série a apresentar um mundo vasto e livremente explorável, que a SEGA chama de ‘Open Zone’.

“Os jogos de plataforma baseados em níveis geralmente têm um mapa-múndi. Nossa Open Zone é um mapa-múndi, só que nós o tornamos totalmente jogável”, afirmou Kishimoto. “Um mapa do mundo jogável que inclui elementos semelhantes a fases é algo que realmente não foi feito antes, então tivemos que criar um novo nome. O que geralmente é definido como um mundo em outros jogos de plataforma baseados em níveis é chamado de Zona nos jogos do Sonic, então pegamos isso e combinamos com Open, que se refere a um campo livremente explorável”.

Como o design do Open Zone foi baseado no conceito de um mapa do mundo, Kishimoto vê Sonic Frontiers como um rival de outros jogos de plataforma, como Mario, Kirby e Donkey Kong, em vez de outras experiências de exploração livre. Os recentes empreendimentos 3D de Mario também foram mais abertos, e Super Mario Odyssey e Bowser’s Fury parecem compartilhar semelhanças com a direção que Sonic parece estar tomando no conceito Open Zone de Frontiers. O que deve diferenciar Sonic Frontiers de tais títulos é, como sempre, pura velocidade. “Na Open Zone, a jogabilidade de alta velocidade pode levar os jogadores em qualquer direção sem as limitações de um estágio”, disse Kishimoto.

“Nos títulos anteriores de Sonic, tínhamos que tornar os estágios gradualmente mais difíceis para atingir uma quantidade de tempo de jogo que satisfizesse os jogadores. É natural que os jogos de plataforma baseados em níveis se tornem mais difíceis à medida que você progride. O problema sempre foi que uma dificuldade maior pode atrapalhar a sensação de velocidade do jogo. Em Sonic Frontiers, o Open Zone já oferece muito conteúdo, então aumentar a dificuldade para aumentar o tempo de jogo não era mais necessário. Do início ao fim, conseguimos manter uma sensação de velocidade com o design de nível ideal para um jogo de Sonic”.

Com a implementação da Open Zone, Sonic Frontiers possui muito mais conteúdo do que os jogos anteriores de Sonic. Kishimoto diz que o jogador médio deve levar entre 20 e 30 horas para terminar o jogo, enquanto que quem deseja fazer 100% pode facilmente gastar o dobro do tempo para ver tudo. Para manter o jogador motivado durante toda a jornada, Kishimoto e sua equipe decidiram implementar a progressão do personagem para acompanhar o tempo de jogo mais longo.

“Embora isso possa ser incomum para um jogo de plataforma baseado em níveis, decidimos implementar uma árvore de habilidades e a capacidade de aumentar o nível de Sonic”, disse Kishimoto. Curiosamente, a própria velocidade de Sonic também pode ser aumentada. Ao correr, um velocímetro indica o quão rápido o Sonic está correndo, e isso pode ser atualizado.

“Nos títulos anteriores, os fãs de Sonic gostavam de Time Attack para cada fase. Para Sonic Frontiers, fazer uma corrida de velocidade durante todo o jogo pode ser um desafio divertido”, disse Kishimoto com um sorriso.

Sonic Frontiers será lançado para PlayStation 5, Xbox Series, PlayStation 4, Xbox One, Switch e PC no fim de 2022.