AnálisesPS3

[PSN] Spare Parts

Análise

NOME: [PSN] Spare Parts
FABRICANTE: EA Bright Light
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Plataforma
DISTRIBUIDORA: Electronic Arts (EA)


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Disponível na PlayStation Store

Número de jogadores: 1-2 (2 online)

Definição: 720p

Troféus


Spare Parts é um jogo de plataforma da Electronic Arts, lançado exclusivamente em formato digital e no qual você controla um robô que deve explorar um planeta para encontrar peças perdidas de uma nave espacial e escapar do planeta. Para isso você terá que enfrentar uma raça alienígena maligna conhecida como Krofax, que quer a nave para si. Com a possibilidade de jogar toda a campanha em modo cooperativo local e online, Spare Parts tinha tudo para ser um ótimo jogo, mas possui falhas que o impedem de ser melhor avaliado.

A história é um ponto fraco do jogo, sendo muito mal contada do início ao fim, mas isso até pode ser relevado. Os gráficos são legais, com cenários bem feitos e coloridos com cores vibrantes e que se destacam num mercado saturado de shooter cinza-amarronzados. A parte sonora não se destaca nem positiva nem negativamente, a não ser pela presença de Simon Pegg (de Shawn of the Dead, Hot Fuzz, Star Trek, dentre outros) como dublador do computador da nave.

No geral, o jogo lembra muito os da série Ratchet and Clank no estilo visual, no clima e na parte de colecionáveis, mas de forma simplificada. Você encontra peças novas para seu personagem para ampliar suas habilidades e pode comprar upgrades para elas com as moedas ganhas ao derrotar inimigos. As habilidades conquistadas são bem utilizadas, especialmente nos chefes, que geralmente exigem que você use todos os equipamentos disponíveis para derrotá-los. Também é possível comprar artworks com desenhos conceituais do jogo, mas poucas são disponibilizadas. Ao longo do jogo você pode resgatar alguns robôs e ao fazê-lo você pode usá-los como seu personagem principal, e cada um tem um design diferente, trazendo mais variedade ao visual.

O multiplayer é bastante competente, sendo possível jogar do começo ao fim com um amigo localmente ou pela PSN, ou mesmo jogar com algum desconhecido. O co-op é drop-in, drop-out, ou seja, a qualquer momento é possível que outro jogador entre ou saia, não atrapalhando o fluxo do jogo. Muitos dos itens colecionáveis exigem que dois jogadores se coordenem, então realmente há um incentivo para não jogar sozinho.

Spare Parts peca mesmo no quesito mais importante: a jogabilidade. Os controles do jogo são péssimos e muito imprecisos, especialmente quando você tem que pular sobre alguma plataforma pequena (uma fase que se passa em um rio é especialmente chata). É sempre difícil calcular os pulos e onde se vai pousar, então muito do jogo é baseado na tentativa e erro. Pelo menos ao morrer você apenas perde alguns pontos e consegue voltar próximo de onde estava.

A câmera do jogo é fixa e é horrível. Muitas vezes você não consegue ver seu personagem porque partes do cenário ficam na frente, e em duas ocasiões em chefes eu simplesmente não sabia onde meu personagem estava porque a câmera estava focada em uma parede ou no chão. Extremamente frustrante. Outros problemas mais graves também aconteceram com uma frequência maior que o desejável. No chefe final, por exemplo, em um momento ele simplesmente sumiu dentro de uma parede e fui obrigado a recomeçar toda a luta. O botão de ação (círculo) tem uma área de detecção muito limitada, então sempre que você quiser fazer uma ação você deve estar numa posição exata e apertar o botão em um instante específico, forçando você a tentar várias vezes até conseguir fazer o que quer.

O jogo é muito curto, sendo possível terminá-lo em 3 ou 4 horas, jogando sem pressa. Obter todos os colecionáveis e troféus pode dobrar a duração do jogo, mas ainda assim em menos de 10 horas você não terá mais o que fazer. Por um lado essa é uma duração honesta para o preço de 9,99 do jogo, e ainda mais considerando que por esse preço você terá um jogo simples e rápido com troféu de platina, então os caçadores de troféus definitivamente apreciarão isso.

Spare Parts, portanto, é um jogo simpático, mas que falha seriamente em muitos aspectos. Não é um jogo obrigatório de forma alguma, mas é um jogo recomendado para uma diversão rápida (e barata) estando você sozinho ou com um amigo. O fato do jogo ter um troféu de platina e custar menos de 10 dólares são seus maiores atrativos, no final das contas, o que é uma pena. Spare Parts tinha potencial pra ser um dos melhores jogos da PSN, mas acaba caindo no buraco dos jogos medianos e provavelmente sem futuro.

70%