AnálisesPS3

[PSN] Ethan: Meteor Hunter

Análise

NOME: [PSN] Ethan: Meteor Hunter
FABRICANTE: Seaven Studio
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Puzzle, Plataforma
DISTRIBUIDORA: Seaven Studio


LANÇAMENTOS
23/10/2013 23/10/2013 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Número de jogadores: 1

Troféus (sem platina)

Leaderboards

Preço no lançamento: U$ 9,99


Ethan: Meteor Hunter é um jogo de plataforma que faz uso intenso de puzzles com física para tentar trazer variedade ao gênero. O jogo, do novato estúdio francês Seaven, pode ser visto em alto nível como uma mistura de LittleBigPlanet com Trine e é mais um bom jogo independente que chega ao PS3 e deve agradar aqueles que gostam de um jogo difícil.
 
A história de Ethan: Meteor Hunter é contada em uma cutscene de 1 minuto sem diálogos no começo do jogo e serve como pretexto para as aventuras do protagonista, o rato Ethan que dá nome ao jogo. Resumidamente, você deve coletar diversos fragmentos de um meteoro que destruiu sua casa, ao mesmo tempo em que enfrenta obstáculos criados pelo seu vizinho maligno.
 
 
 
Os controles são simples e intuitivos, como se deve esperar de um jogo de plataforma, e permitem que se mova o personagem com o analógico esquerdo ou com o direcional digital. Uma mecânica interessante, e que eu gostaria de ver em mais jogos, permite que Ethan deslize para baixo em rampas inclinadas, acelerando muito a navegação das fases e até abrindo novas possibilidades de desafios.
 
Além de atravessar plataformas, Ethan oferece um mecanismo que permite você parar o tempo e organizar blocos para resolver puzzles. Isto funciona mais ou menos como na edição de fases de LBP, permitindo que você mova e gire os blocos para poder resolver o puzzle. A maior parte destes desafios é ótima e vão fazer você pensar muito e suar para resolvê-los, mas alguns chegam a ser tão difíceis que se tornam frustrantes. Tenha em mente de que você pode demorar vários e vários minutos em um único puzzle quando for jogar.
 
 
 
Inicialmente os blocos a serem organizados são apenas de madeira, mas com a progressão no jogo novos elementos são introduzidos: blocos metálicos que conduzem eletricidade; chamas que queimam os blocos de madeira; ventiladores que o fazem flutuar; walljumps, e muito mais. O jogo tenta sempre acrescentar algo novo, e isso ajuda a evitar o tédio e a repetição de ter apenas fases similares.
 
O jogo oferece dezenas de fases distribuídas em 3 mundos, cada um deles temático. As fases vão desde as mais simples, com algumas plataformas e puzzles, até algumas mais elaboradas em que você deve usar um pula-pula para escalar fases verticais ou controlar um pequeno avião no melhor estilo shoot-em-up (jogo de navinha, para os mais íntimos). Cada fase possui colecionáveis e um tempo a ser batido, além de uma quantidade-limite de utilização da mecânica de manipular os blocos, aumentando ainda mais a longevidade do jogo.
 
 
 
A dificuldade já mencionada faz com que algumas fases sejam verdadeiros martírios para serem finalizadas. Não há vidas no jogo, e se você morrer voltará ao último checkpoint que ativou. Em mais de uma ocasião eu me vi há 20 ou 30 minutos na mesma fase, tentando superar algum puzzle complicado ou uma seção de plataforma cruel. As fases de pula-pula e as lutas com os chefes, em especial, não oferecem checkpoints e se você morrer em qualquer ponto delas, deverá voltar ao começo e fazer tudo de novo.
 
Os aspectos técnicos do jogo são bons, mas nada que chame muito a atenção. Os visuais são simples e cumprem seu papel, apesar de algumas animações não serem muito fluidas. As músicas são simpáticas, mas nenhuma chega a ser realmente memorável. Os loadings e os retries são bem rápidos, o que é sempre bom em um jogo no qual você vai errar e morrer muitas e muitas vezes.
 
Apesar de alguns momentos muito frustrantes, eu me diverti bastante com Ethan, e muitas vezes ao terminar uma fase eu queria jogar “só mais uma”. Se você gosta de jogos de plataforma desafiadores e que oferecem uma boa variedade de modos de jogo, Ethan: Meteor Hunter é para você. Se você se cansa facilmente em desafios e se não gosta de quebrar a cabeça ao jogar, você pode não apreciar muito o que encontrar aqui.
 
 
 

— Resumo —

+ Vários puzzles muito legais
Controles
+ Fases e mecânicas variadas
+ Replay alto


Dificuldade excessiva pode afastar alguns
Alguns puzzles e fases são frustrantes
 Falta de checkpoints em algumas fases

 

Jogo analisado com código fornecido pela desenvolvedora

80%