AnálisesPS4

PlayStation 4

Análise

NOME: PlayStation 4
FABRICANTE: Sony Computer Entertainment
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Console
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment


LANÇAMENTOS
29/11/2013 29/11/2013 22/02/2014


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
8GB de alta velocidade GGDR5 RAM, X86 CPU de 8 núcleos

DualShock 4

PlayStation Camera

PlayStation Move

Headset

Wi-Fi/Ethernet


Há exatamente um mês, era dado início a uma nova geração para a marca PlayStation. O PS4, após quebrar diversos recordes de vendas, já está à venda em diversos países.

Você viu a nossa tradução do FAQ definitivo do PlayStation 4 (se não viu, veja). Ele deve responder praticamente todas as dúvidas que você pode ter do console. O que não está no FAQ, foi comentado em notícias de nosso site.

Em outras palavras, esta análise do PlayStation 4 não será descritiva, mas sim crítica.

Vamos separar esta análise em três tópicos (pontos positivos, negativos e neutros) e listar cada característica.

Pontos Positivos

  • DualShock 4: se você tinha medo de que um controle levemente diferente poderia ser ruim, não tenha. O controle é realmente bom e é maior que o DualShock 3. Demora um pouco para se acostumar com os novos gatilhos, mas é tudo muito funcional. O Touch Pad adicionado é bacana e resta ver o que as desenvolvedoras pretendem com ele. Como já foi divulgado, ele é "clicável" e a razão disso se tornou clara: é o novo "Select". Além disso, usar um fone de ouvido no controle, seja para conversar via headset ou escutar o som do jogo, funciona muito bem enquanto esperamos por um suporte verdadeiro do console;
  • Remote Play: em nossos testes, o Vita controlou sem problemas e sem lag o PS4. Obviamente há uma limitação gráfica quando comparado com uma TV de 40", mas tudo funciona exatamente como a Sony promoveu. O único porém fica pela falta de botões. Como o Vita não possui um L2 ou R2, por exemplo, algumas coisas são feitas no Touch Pad traseiro (podendo usar quatro botões ali, dois de cada lado). Isso pode complicar para alguns jogos;
  • Share: se você gosta de compartilhar fotos, vídeos e stream, o PS4 é o seu console. Através do botão Share, tudo é muito facilmente compartilhado no Facebook, Twitter, Twitch ou Ustream. O vídeo, por exemplo (que no momento só dá via Facebook), pode ser cortado antes de ser hospedado. Ou seja, você não precisa enviar os 15 minutos gravados, mas pode recortar um trecho de 30 segundos se desejar;

 

  • PS Store: se você tem um PS3, sabe como a loja online da Sony é um lixo depois que o seu layout mudou. Imagine essa mesma loja mas sem a lerdeza toda que existe no PS3 – é assim no PS4;
  • Standby: o PS4 pode ser configurado para ficar em standby. Dessa forma, o console baixará todas as coisas que precisa automaticamente – atualizações, hospedar os saves em nuvem se você for assinante Plus e mais. Um fator importante são os jogos digitais. Por exemplo: se você baixar Battlefield 4, um arquivo de apenas 6288 MB será dado a você na PS Store (desconsiderando os patches). Porém, o jogo completo ocupa mais de 36GB no PS4. O que acontece? Simples, a primeira fase da campanha poderá ser jogada quando esse arquivo instalar, mas o jogo completo ainda estará sendo baixado (no menu principal do jogo há uma % que indica o quanto falta). Não há em lugar algum um indicativo de que está sendo baixado o jogo, mas deixando em standby o console isso acontece, não há com que se preocupar;

  • Troféus: quem é viciado neles no PS3 sabe o tempo que demora para sincronizá-los. E mais: se deseja vê-los online, é praticamente uma eternidade. No PS4, os troféus abrem como se fosse uma página na internet. A sincronização também é rápida;
  • Lista de amigos: muito mais funcional que no PS3. Assim que você liga o console, já aparecem todos eles e o que estão fazendo, independente da plataforma;
  • Line-up de jogos: apesar dos títulos exclusivos do PS4 não serem atraentes (veja o ponto negativo referente a isso mais abaixo), é inegável que há uma line-up forte disponível para o console. Claro, a maioria existe no PS3 e nos concorrentes, mas o ponto positivo que queremos destacar aqui é justamente a variedade e, em sua maioria, de títulos bons, como Battlefield 4 (que, apesar dos travamentos e que a DICE sem dúvida consertará, ainda é um excelente jogo), NBA 2K14, FIFA 14 e Assassin's Creed IV: Black Flag.

Pontos Negativos

  • Compatibilidade: o PS4 não tem compatibilidade com quase nada. Muitas acontecerão "no futuro", como os headsets oficiais da Sony (Pulse). Mas outros não há previsão. E isso inclui coisas que você deve ter gastado um bom dinheiro na época do PS3: Arcade Sticks, o próprio DualShock 3 e praticamente qualquer outro acessório que você imaginar;
  • Alcance do DualShock 4: pode ser um problema somente do meu console/controle, mas o DS4 possui um curto alcance aqui. Ou seja, se me afasto muito do PS4 (coisa como mais de 1,5m), o controle começa a não responder de forma 100%. Procurando casos semelhantes na internet, algumas pessoas comentam que também sofrem disso. Ainda sobre o DS4, há relatos de que o analógico se desgasta muito facilmente. O meu já foi usado em cerca de 20h de jogo e até agora está ok, mas vale ressaltar esse problema;
  • Navegador: admitimos que foi uma das coisas que menos testamos. Afinal, quem é que usa o navegador do PS3? Uma das coisas que sem dúvida você usaria é para ver o YouTube ao menos, certo? Pois bem, o navegador não tem suporte a flash e, portanto, não é possível ver o YouTube nele. Mas há alguns sites de vídeos que podem ser vistos;

  • Line-up de jogos exclusivos: é inegável que no futuro o PS4 terá muitos jogos bons e exclusivos como o PS3 teve. Porém, no momento, não vemos isso. Knack é um jogo legalzinho, enquanto que Killzone: Shadow Fall é bom, mas não é um "system seller" (ou seja, um jogo que faria você comprar o console). Se considerarmos "system seller", o melhor jogo do PS4 no momento é Resogun, justamente o título que todos têm acesso por estar de forma gratuita na Plus. A partir de março de 2014, com a chegada de inFamous: Second Son, as coisas podem mudar um pouco;
  • Discos: sinceramente, a cada geração que passa fica difícil entender como eles ainda existem. Temos a Steam no PC para mostrar que um caminho inteiramente digital não é impossível. Mas sabemos das vantagens dos discos. O ponto negativo aqui não é a existência deles, mas sim o descaso por parte da Sony. Mais especificamente dois problemas: a capinha vir praticamente vazia (ou seja, caixa e disco apenas, além do encarte; não há mais manual ou outra coisa que faz "gosto" ter uma edição física) e o processo de instalação no PS4. Se você ainda não sabe, o PS4 instala o jogo completamente no HDD. Não apenas uma parte como o PS3, mas o jogo inteiro. Ou seja, Battlefield 4, como mencionado anteriormente que ocupa 36GB em sua versão digital, também vai ocupar isso com a física. Porém há duas diferenças: não é preciso baixar o arquivo (pois ele vai instalar através do disco) e obviamente é necessário o disco para rodar o jogo, mesmo tendo instalado todo ele. Ou seja, o disco, depois que instalar tudo que é preciso, funciona apenas como uma chave. O PS4 não lê nada in-game a partir dele. Claro, você pode jogar enquanto instala e tudo mais, mas o seu console ainda vai precisar dos 36GB;
  • Problemas com o modelo de lançamento: parece clichê mencionar isso, mas todo console novo no mercado vai vir com problemas em suas primeiras unidades. O nosso, de uma hora para outra, parou de ler discos. Outros relatam problemas de "auto-eject". Leia esta notícia para entender melhor. Mas não pára por aí: temos a "Blue Light of Death", ou seja, "luz azul da morte". O console, quando envia sinal para o televisor, fica com uma luz branca ao invés de azul. Com os usuários em questão, o console fica o tempo todo com a luz azul e nunca fica branca. Enfim, há uma gama de problemas que muitos usuários estão sofrendo.

Pontos Neutros

  • Console cru: infelizmente, o PS4 ainda está cru. As coisas essenciais e básicas estão presentes, mas nota-se que muitas características estão faltando. A Sony vai adicioná-las via firmware no futuro (por isso é um ponto neutro essa característica), mas quando? Não sabemos da grande maioria;
  • Retrocompatibilidade é algo que muitos queriam, mas o console não oferece. Nem mesmo se você tem os jogos em forma digital. Porém, a Sony promete oferecer isso via Gaikai. Isso vai funcionar? Não sabemos, pois ainda não há nem previsão de chegada (apenas "2014" e com sorte);
  • Configurações: o PS4 está bastante cru até mesmo em sua interface. Há duas coisas que me incomodam bastante: não é possível organizar os jogos na linha da interface (ou seja, o console escolhe como quer deixar, colocando normalmente os jogos recentemente jogados no início) e os downloads não podem ser pausados. Isso só acontece ao desligar completamente o console;
  • Filmes: o PS3 é um console multimídia, principalmente para ver filmes blu-ray. O PS4 ainda tem essa característica, mas não tem suporte a filmes 3D (ainda) e para poder assistir a filmes, é necessário se conectar à internet uma única vez;
  • Demora: o console é extremamente rápido em sair do standby. É praticamente instantâneo isso. Mas quando você desliga ele completamente ou liga sem estar no standby, demora em torno de 20 segundos ou mais.

Conclusões

O PlayStation 4 é um ótimo console. Possui um futuro muito promissor e suas funções novas apenas fortalecem esse fato. Porém, no momento, ele não é uma boa opção para compra.

Não estamos nem considerando o seu preço (não aguentamos mais os comentários de "PS4K"), mas sim pelas funções e jogos apresentados. Se você puder esperar, recomendamos que você compre o seu PS4 no segundo semestre de 2014. Até lá, é possível que muitos problemas de fabricação tenham sido resolvidos, existirá uma line-up mais forte de jogos (março, mesmo, será bastante épico com inFamous, Watch Dogs, Metal Gear Solid V e outros), e provavelmente mais funções existirão no console através das atualizações de firmware.

"Greatness Awaits" é o slogan do PS4. Mas se deseja seguir nossa recomendação, essa grandeza pode esperar mais um pouco.

85%