AnálisesPS3

MAG

Análise

NOME: MAG
FABRICANTE: Zipper Interactive
PLATAFORMA: ps3
GENERO: First-Person-Shooter Online
DISTRIBUIDORA: Sony


LANÇAMENTOS
26/01/2010 26/01/2010 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Número de jogadores: 256

Definição HD: 720p

Downloadable Content (DLC)

Trophies


Anunciado na E3 de 2008 e confirmado no mesmo evento no ano passado, MAG (acrônimo de Massive Action Game) tinha tudo pra se passar por mais um FPS genérico. Seus gráficos não convenciam muito, e o iminente lançamento de Call of Duty: Modern Warfare 2 prometia enviá-lo diretamente ao ostracismo. E isso provavelmente teria acontecido, não fosse por dois pequenos detalhes: o jogo seria apenas para multiplayer online, e com até 256 jogadores simultâneos.

256 jogadores? Como assim? Como combater o tamanho lag e confusão que haveria de se esperar de um jogo com esta amplitude? A Zipper Interactive, desenvolvedora do jogo, resolveu este problema de forma excelente com uma engine bastante otimizada. Mas não sem o custo de alguns prejuízos para a experiência do jogo como um todo, como, por exemplo, a ausência de um modo história. MAG é um jogo unicamente multiplayer, o que deve ser observado por aqueles que têm interesse no título. Além disso, seus gráficos sofrem um pouco, dando até a impressão de que poderiam ser conseguidos nos consoles da geração passada.

 

Por estes motivos e para tentar manter o interesse dos jogadores que podem ter medo de adquirir um jogo muito simples pelo preço que custa, a Zipper sempre fez questão de exibir MAG como uma plataforma, e não como um simples um jogo. Desde o princípio foi-se alardeado que existiriam diversos DLCs, atualizações e correções, na expectativa de garantir a longevidade do título por bastante tempo.

A ausência de um modo história tenta ser compensada por um plano de fundo minimante razoável para os combates. Em um futuro próximo, onde não existem mais exércitos ligados a países, três companhias militares privadas – PMCs (S.V.E.R., Raven e Valor) estão envolvidas em uma guerra chamada "Shadow War", em busca de contratos militares. Nesta guerra, as companhias militares atacam umas às outras, em suas fábricas, refinarias e acampamentos de concentração, para ganhar dianteira nos seus potenciais de combate. E é neste plano de fundo que o jogador é solto, devendo optar pela participação em alguma das companhias, e combatendo para o crescimento da mesma.

 

Existem quatro principais modos de jogo que tentam dar certo ar de progressão para que o jogador vá progredindo na escala do jogo conforme vai subindo de nível. O primeiro é o modo Suppression, um "team deathmatch" contra os membros da sua própria facção, que é encarado como um modo de treinamentos internos à sua companhia militar. O seguinte é o modo Sabotage, que introduz o conceito de conquistar e guardar localidades. Neste modo, o time atacante deve capturar dois modos separados no mapa, para que um terceiro seja desbloqueado e subseqüentemente destruído. Ambos os modos são para até 64 jogadores simultâneos, o que já é muito além do que estamos acostumados.

Quando você sobe de nível, tem acesso aos modos seguintes. O modo Acquisition pode ser jogado por até 128 jogadores e tem como objetivo a derrocada dos bunkers inimigos para que se alcance algum objetivo que deve ser removido de dentro do coração da base inimiga. E o modo Domination é o principal, jogado por até 256 jogadores simultaneamente.  Neste modo, o objetivo é destruir a refinaria de petróleo do inimigo, tomando torres, poços e prédios dos mesmos.

 

As partidas são sempre disputadas em mapas (gigantescos, porém pouco variados) que representam locais dominados pelo time que deve se defender, exibindo sempre um esquema "ataque x defesa". Por exemplo, em um jogo na refinaria de petróleo da S.V.E.R., o ataque será realizado por um dos dois outros PMCs.

MAG apresenta um tipo de ação bastante rápido e tenso, embora bastante genérico em sua essência, sem apresentar muitas novidades em sua jogabilidade. Incorpora algumas idéias bastante inteligentes para evitar que as partidas se tornassem gigantescas e injustificadas batalhas campais. A que mais assusta aos novatos no jogo, mas experientes com outros FPSs online é a pontuação. Você recebe mais pontos por curar um companheiro do seu time ferido do que por matar inimigos. Este ponto ressalta o enorme aspecto tático de MAG. Aqui o que importa é trabalho em equipe e o cumprimento dos objetivos determinados pelo seu comandante.

Os times de 128 jogadores são divididos em 4 platoons de 32 jogadores, e cada um destes platoons em equipes de 8 jogadores. E é com estes 8 jogadores que você deve trabalhar durante todo o combate (alguns podem passar de 30 minutos). Um deles é escolhido como comandante do mesmo, que tem como objetivo determinar Fragmentation Orders (FRAGOs), que são os micro-objetivos a serem cumpridos pelo seu time dentro da batalha, como destruir um bloqueio de estrada ou uma arma antiaérea. Existem também jogadores responsáveis pelos platoons, que determinam a organização da batalha, e um comandante responsável por todo o esquadrão de 128 jogadores, que controla o fluxo geral da batalha. Isto deixa claro que sair atirando de peito aberto em MAG não vai fazer muito sentido, e que a progressão de pontuação é obrigatória para se alcançar postos mais altos.

 

Como já dito, MAG está longe de ser um primor gráfico. Os gráficos são pouco detalhados, as texturas de baixa resolução e o popup de objetos no cenário é constante. É o preço a se pagar para um jogo com 256 jogadores simultâneos rodar de forma tão suave. A mesma falta de capricho é vista no áudio, que é repetitivo. As frases proferidas pelos soldados quando morrem beiram o ridículo. Tem como o único ponto de destaque as músicas que são tocadas ao se alcançar alguns streaks. Fornecem uma agradável sensação de estar cumprindo bem o seu dever.

Mesmo com a sua falta de polimento sendo em alguns momentos frustrante, MAG em geral é bastante desafiador. O combate que funciona bem e os papeis de alto comando (embora bastante difíceis de serem alcançados) formam um excelente conjunto. É o tipo de jogo cuja recomendação é bastante difícil de ser dada, e que depende muito do interesse do leitor por FPSs com multiplayer online para ser levada a sério. Se você não se interessa muito por jogos neste estilo, talvez MAG não seja muito interessante, principalmente por causa da ausência de um modo história e pela dedicação que as batalhas de 256 jogadores simultâneos requerem. Agora se você é daqueles que compra Call of Duty ou Battlefield principalmente por causa do seu modo online, MAG é absolutamente recomendado.

75%