AnálisesPS4

Análise – ToeJam & Earl: Back in the Groove

Análise

NOME: ToeJam & Earl: Back in the Groove
FABRICANTE: HumaNature Studios
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Ação
DISTRIBUIDORA: HumaNature Studios


LANÇAMENTOS
01/03/2019 01/03/2019 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1-2 (offline); 1-4 (online)
Troféus (inclusive Platina)
Espaço necessário: 3,38 GB
Disponível Exclusivamente na PlayStation Store
Legendas em PT-BR: Sim
Dublagem em PT-BR: Não


ToeJam & Earl é um clássico do Mega Drive de 1991 por diversas razões: seu humor inconfundível, o cooperativo marcante e a diversão de buscar as peças da nave enquanto encara humanos mais doidos que os alienígenas rappers que dão nome ao jogo. Porém, um dos fatores que chamou a atenção na época para o game foi a opção de torná-lo roguelike, caso o jogador assim deseje (o desafio nunca é o mesmo).

Anos mais tarde, tivemos duas sequências: ToeJam & Earl in Panic on Funkotron (também no Mega Drive) e ToeJam & Earl III: Mission to Earth (Xbox). Infelizmente, os dois títulos não agradaram tanto quanto o original e acabaram sendo esquecidos. Depois de vários anos e uma campanha de sucesso no Kickstarter, finalmente temos um quarto jogo, ToeJam & Earl: Back in the Groove, que busca trazer de volta a magia da dupla de alienígenas mais descolada do universo.

ToeJam & Earl: Back in the Groove

ToeJam & Earl: Back in the Groove começa com uma história simples e direta (vale ressaltar que o jogo possui legendas em português do Brasil): ao ativar um buraco negro sem querer, ToeJam, Earl, Lewanda e Latisha acabam parando na Terra novamente e precisam resgatar as peças de sua nave para voltar ao seu planeta de origem, o Funkotron.

O título possui um gameplay extremamente parecido com o primeiro game da série. Você controla o alienígena escolhido (há outros jogáveis além de ToeJam e Earl, sejam os dois em suas versões clássicas ou novas) e deve encontrar as 10 peças da nave. Ao encontrá-las, a jornada termina.

As peças estão espalhadas pelos diversos níveis. Cada nível é como se fosse uma planície flutuante que possui diferentes layouts, itens a serem pegos, humanos (inimigos e amigos) e outras coisas. Para avançar, você deve encontrar um elevador que o leve ao nível seguinte. É possível retornar ao nível que desejar – basta simplesmente se jogar no abismo.

ToeJam & Earl: Back in the Groove

Então, recapitulando: você deve coletar as peças das naves (que podem estar em um nível ou não, há um indicador que mostra se há uma peça onde você está) e encontrar o elevador para poder prosseguir. No meio desse percurso, você deve sobreviver. Essa é a lógica básica de ToeJam & Earl.

Para sobreviver dos humanos mais malucos que existem, você precisa usar os presentes (além de se alimentar com as comidas que encontrar pelo cenário para recuperar a sua vida). Jogadores do original já estão familiarizados com os presentes: são itens aleatórios, como asas para evitar qualquer tipo de problema ou uma chuva de tomate para eliminar os inimigos (e amigos!) presentes. Há itens idênticos ao primeiro jogo da série, mas há inéditos também. A maioria dos presentes só são descobertos quando você os abre, então existe a chance de ser algo ruim também. Para eliminar essa surpresa, é aí que entram os humanos amigos.

Espalhados pelo mapa há humanos que não querem matar o jogador, mas farão coisas específicas em troca de dinheiro. O dinheiro é encontrado no chão pelo mapa, principalmente, mas também pode ser achado em arbustos e outros locais escondidos. Um humano vestido de cenoura diz quais são os conteúdos dos presentes em troca desse dinheiro. Outro humano recuperará sua vida, também por dinheiro. E assim por diante.

Há ainda humanos (e aliens!) que oferecem pequenos mini-games, como apertar botões do controle em um ritmo pedido ou criado por você mesmo. É algo bacana no início, mas que você acabará ignorando cedo ou tarde. Também vale destacar uma espécie de portal que você pode encontrar no jogo e o levará a um mini-game inspirado ao que existe em ToeJam & Earl in Panic on Funkotron. Ou seja, o personagem anda por um ambiente psicodélico de forma automática e cabe a você desviar dos obstáculos. Ao chegar o mais longe possível, receberá XP.

ToeJam & Earl: Back in the Groove

XP é obtido fazendo várias coisas em sua sessão de jogo. Por exemplo, o simples ato de avançar no mapa e descobrir regiões já fornece XP. Ao alcançar níveis superiores, o seu personagem melhora os atributos, como andar mais rápido ou ter mais sorte na hora de adquirir os presentes.

Tudo isso que foi relatado pode ser aproveitado no multiplayer. Você pode jogar localmente com outra pessoa da mesma forma que fazia no primeiro título, ou online com outras três. O multiplayer cooperativo é, sem dúvida, um dos pontos mais fortes de ToeJam & Earl: Back in the Groove. Jogar sozinho pode ficar enjoativo em pouco tempo, mas o multiplayer, se você jogar com alguém que também goste do gênero, será uma experiência fora de série.

Antes de avançarmos, é preciso destacar outro ponto negativo: os loadings presentes são insuportáveis. Toda vez que você subir no elevador existirá um loading. No original também existia essa demora entre uma fase e outra, mas considerando a geração atual e que o título parece ser algo bem simples em sua programação e gráficos, essa demora é injustificável e chega a irritar.

ToeJam & Earl: Back in the Groove

ToeJam & Earl: Back in the Groove possui diferentes níveis de dificuldade que ajudam o jogador a entender todas as mecânicas gradativamente. A primeira, que é basicamente o tutorial, oferece um mundo curto e sem muitos desafios. Em seguida, temos o mundo fixo, que é basicamente a experiência padrão. Para aqueles que buscam variedade e desafio, há o mundo aleatório nas dificuldades normal e difícil.

Esse aleatório para o mundo significa que as peças da nave podem estar em qualquer nível, além do fato de que os próprios níveis serão diferentes toda vez que jogar. É aqui que entra o elemento roguelike mencionado no início da análise. Todas essas dificuldades mencionadas podem ser aproveitadas no multiplayer. Porém, é basicamente isso que o game oferece: não há outros modos ou destraváveis (no caso, o mundo aleatório mencionado é um destravável).

No fim, ToeJam & Earl: Back in the Groove é um bom jogo. Desconsiderando os loadings e o fato de que o single-player pode enjoar relativamente cedo, o multiplayer é divertido, o humor está presente (e, como dito, você entenderá graças às legendas em português bem-vindas) e apesar dos modos não serem muito variados, haverá boas horas em busca do troféu de platina.

ToeJam & Earl: Back in the Groove

Veredito

ToeJam & Earl: Back in the Groove é um retorno ao passado e o game que os fãs do original desejavam. É muito bom, divertido e o multiplayer é ótimo (principalmente offline). A parte negativa são os loadings e jogar sozinho pode ficar enjoativo em pouco tempo.

Jogo analisado no PS4 Pro com código fornecido pela HumaNature Studios.

80%