AnálisesPS4

Análise – SD Gundam G Generation Cross Rays

Análise

NOME: SD Gundam G Generation Cross Rays
FABRICANTE: Bandai Namco
PLATAFORMA: ps4
GENERO: RPG/Estratégia
DISTRIBUIDORA: Bandai Namco

LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel 28/11/2019


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1
Troféus (inclusive Platina)
Espaço Necessário: 43,50 GB
Dublagem PT-BR: Não
Legendas PT-BR: Não
Disponível em Inglês na PS Store Asiática


Por maiores e mais importantes que sejam todas as várias contribuições do Japão para a Cultura Pop mundial, poucas estão na mesma estratosfera de importância, longevidade e influência que a série Gundam. Completando 40 anos desde o lançamento da primeira temporada da série (popularmente conhecida como Gundam 0079), nada mais justo do que celebrá-la através de um ótimo jogo.

Para isso, a Bandai Namco lançou no final de 2019 SD Gundam G Generation Cross Rays, mais um capítulo da longeva série de RPGs de Estratégia baseada na franquia e que traz aos jogadores um crossover entre algumas das principais gerações lançadas ao longo desses 40 anos.

Antes de falarmos mais sobre o jogo, é necessário apontar que, mesmo com a recente consolidação pela Bandai Namco da propriedade sobre a IP de Gundam, ainda se trata de uma série com um licenciamento um pouco complicado no Ocidente, o que impediu o jogo de ser lançado oficialmente para PS4 por aqui. No entanto, assim como o ótimo Super Robot Wars T que analisamos no ano passado, o jogo está disponível em alguns países do Sudeste Asiático com legendas em inglês, facilitando um pouco mais o acesso a ele, algo que raramente acontecia em seus lançamentos anteriores.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Mesmo com essa dificuldade de acesso, SD Gundam G Generation Cross Rays é um jogo que merece ser buscado pelos fãs da franquia. Sendo impossível trazer a história de todos os diferentes capítulos em todas as diferentes linhas temporais que Gundam já teve, ele foca em recontar os acontecimentos de algumas das gerações mais conhecidas e incorporar conteúdos distintos de várias outras.

Isso significa que em seu modo principal, o Story Mode, Cross Rays conta com 13 campanhas distintas, cada uma focada em recontar os eventos de uma determinada linha temporal da franquia. Assim, vemos aqui um foco nos eventos da linha After Colony da seminal Mobile Suit Gundam Wing (03 campanhas), a Cosmic Era de Gundam SEED (05 campanhas), a Anno Domini de Mobile Suit Gundam 00 (03 campanhas) e Post Disaster do recente Iron-Blooded Orphans (02 campanhas).

Cada uma dessas histórias é focada em uma determinada parte daquele universo, com Gundam Wing, por exemplo, contando com campanhas dedicadas ao anime original, o mangá Dual Story G-Unit e uma para a sua sequência, Gundam Wing: Endless Waltz. Essa opção acaba sendo muito boa, permitindo a curiosos que não tenham tido a oportunidade de ver as diferentes séries conhecer esses arcos de maneira bem fechada e para os fãs de longa data reviverem alguns dos momentos mais icônicos que a franquia tem a oferecer.

SD Gundam G Generation Cross Rays

A estrutura adotada para recontar essas histórias também merece elogios. Cada campanha é dividida em capítulos, cada qual contando uma parte essencial daquela história e permitindo ao jogador reviver os combates mais emblemáticos daquela série. Ao longo de cada um deles, o jogo mostra através de uma visual novel (completamente dublada em japonês) os acontecimentos que levaram a cada batalha, permitindo ao jogador conhecer mais daqueles personagens, suas motivações e a sua ligação com a guerra e o porquê de cada um ter a visão que tem sobre ela.

É claro, o jogo não consegue chegar ao mesmo nível de reflexão filosófica que o anime e o mangá possuem sobre guerra, relações humanas e tantos outros temas abordados em Gundam, o que talvez a torne menos recomendável para quem não está familiarizado com a franquia, mas é uma forma bem divertida de se reviver esses momentos enquanto se assume o controle dos seus pilotos favoritos.

As partes de exposição não são tão longas assim, uma vez que o jogo realmente foca nos momentos-chave de cada série, mas os combates em si é que são. Isso é algo que já esperaria pelo jogo ser um RPG de Estratégia, gênero notoriamente conhecido pela necessidade de planejamento e cuidado com cada uma das suas ações, mas Cross Rays consegue tornar isso ainda maior ao se valer de volume para tentar representar a grandiosidade das guerras vistas em Gundam.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Como em qualquer outro jogo do gênero, o jogador movimenta os seus personagens por um mapa dividido em grid, com cada unidade ocupando um espaço distinto e podendo atuar em seu devido momento. O jogador e os seus inimigos atuam cada um em uma fase, então é possível mover e realizar ações com todos as Mobile Suits para só então as facções adversárias fazerem o mesmo.

Durante as batalhas, o jogador contará com unidades de duas origens diferentes. A primeira delas são os personagens da série ali representada, cada piloto com os seus Gundams emblemáticos, seus ataques e habilidades vistos na série original. A segunda são dois grupos distintos e totalmente customizáveis de Mobile Suits que o jogador pode customizar para o combate como preferir e que agirão como soldados na batalha.

Esses grupos, que podem ser de 1 a até 10 unidades distintas, são divididos em dois tipos. Os Raid Groups, que vão de 1 a 8 unidades, são o grupo mais comum e contam com vantagens específicas, como a regeneração de HP e EN (o que é gasto para realizar ataques) todos os turnos a depender da proximidade umas das outras, e os Warship Groups, no qual até 9 unidades integram uma nave de guerra que, apesar de não possuírem regeneração, sempre podem retornar a nave para serem consertadas, além da própria nave contar como uma décima unidade, com seus próprios ataques e habilidades.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Essa estrutura funciona muito bem e gera algumas decisões e desafios bem interessantes. Como os Gundams utilizados pelos personagens principais são bem únicos e famosos, quanto mais unidades inimigas eles destruírem, uma barra chamada GET vai sendo preenchida e ao chegar em 100% lhe permite produzir aqueles Gundams para a sua própria equipe (e algumas MS só podem ser conquistadas assim). No entanto, as suas próprias unidades só ganham experiência caso elas participem da destruição de mobile suits inimigas e não fazê-los pode deixá-las bem defasadas, sendo fundamental encontrar um equilíbrio entre os dois.

Felizmente, inimigos para serem derrotados não faltarão. Cross Rays capricha bastante nisso, com algumas das batalhas envolvendo mais de uma centena de unidades no total. Isso acaba tendo o efeito de arrastar as batalhas por bastante tempo (não é raro algumas delas demorarem múltiplas horas), o que poderia ser um problema se o sistema de combate não fosse tão divertido.

Cross Rays não traz nada de muito especial para o gênero, mas o que ele faz enquanto SRPG é bastante sólido e rende boas horas de diversão. O combate é bem direto, com cada unidade podendo equipar habilidades para serem usadas antes de se mover (e que não custam turnos), e podendo atacar os inimigos dentro do seu alcance com diferentes tipos de ataque. Por envolver MS, um fator que precisa sempre ser considerado é que quase todas as unidades sempre vão contar com todo tipo de ataque à sua disposição, sendo raras as unidades que possuem apenas ataques físicos ou à distância.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Isso traz um fator de estratégia interessante para o combate, uma vez que um movimento em errado e os inimigos logo farão o possível para te destruir, algo que não é tão difícil assim. Felizmente, o jogador sempre possui a possibilidade de escolher entre contra-atacar, defender ou se esquivar de ataques inimigos ou até mesmo utilizar o auxílio de outras unidades para tentar se salvar do que seria um ataque fatal.

O sistema mais distinto e especial que Cross Rays traz é justamente esse suporte dado pelas unidades umas às outras. Convenientemente chamado de “Support System”, unidades de um mesmo grupo podem agir em conjunto, seja auxiliando na ofensiva, no contra-ataque (desde que as habilidades escolhidas estejam marcadas como “Link-Up Attacks) ou tomando dano no lugar umas das outras. Por fim, há ainda as chamadas “Raid Link-Ups”/”Warship Link-Ups”, ataques em conjunto muito poderosos e que podem atingir vários inimigos de uma vez só.

Esses sistemas todos se combinam para entregar sessões de combate muito divertidas. Existem ainda algumas coisas menores, como o “Step System”, que permite a unidade que destrói um inimigo agir novamente dentro daquele turno, o sistema de moral, em que quanto mais inimigos derrotados e ataques evitados, mais poderosa a unidade vai se tornando por causa da sua confiança, a possibilidade de determinadas unidades se transformarem…

SD Gundam G Generation Cross Rays

É visível então que SD Gundam G Generation Cross Rays conta com uma grande variedade de sistemas e eles resultam em um bom combate, mas, infelizmente, não é um sistema de combate especialmente desafiador. A maior parte da dificuldade encontrada, mesmo nos níveis mais altos, vem da quantidade de inimigos e não do poder deles (apesar dele escalar bem com o nível dos seus próprios Gundams). Existe algum desafio com unidades que são resistentes a ataques à distância ou físicos, mas, fora isso, o combate é quase um passeio.

Algo que traz um pouco mais de variedade são as Quests que o jogo possui, trazendo alguns desafios secretos para o jogador nas missões e no desenvolvimento do jogo em si, indo desde criar determinadas Mobile Suits a derrotar inimigos com ataques específicos ou em uma certa ordem em cada cenário. Essas quests destravam novos personagens, novas habilidades e outros bônus. Por fim, há ainda os “Groups Dispatchs”, missões em que o jogador envia as suas equipes para realizar certas atividades que demoram uma certa quantidade de horas (em tempo real) e que resultam em ganhos de experiência, Capital, novas MS e outros itens.

Felizmente, esse passeio é um muito bonito. O jogo se utiliza do estilo SD visto no spin-off de mesmo nome, com versões “chibi” dos Gundams, o que acaba funcionando muito bem aqui, com animações e modelos extremamente detalhados, mesmo quando vistos isometricamente, e muito bonitos, surpreendentemente ainda melhores do que os vistos em Super Robot Wars T. Cada ação de combate é um show à parte e mais do que compensam os cenários relativamente simples. A trilha sonora também dá um charme especial ao jogo, sendo uma ótima recriação das trilhas originais da franquia.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Por fim, o último ponto que precisa ser explorado é a vasta gama de opções de customização que o jogo possui. É possível desbloquear personagens e Mobile Suits de todas as diferentes séries aqui presentes (e algumas outras desses universos que não possuem campanhas específicas), incluindo originais da franquia G Generation, e, após desbloqueá-los, o jogador pode parear qualquer Mobile Suit com qualquer piloto, independente de universo.

A progressão de personagens e das Mobile Suits são separadas, cada ganhando experiência no seu determinado tempo. Enquanto os personagens vão melhorando de forma linear, cabendo ao jogador apenas equipá-los com habilidades destravadas ao longo do jogo, com as Mobile Suits as coisas funcionam de forma bem diferente, com a MS ganhando “Upgrade Points” que podem ser gastos pelo jogador como preferir em cinco estatísticas distintas, HP, EN, ATK, DEF e MOB.

Além disso, a medida que cada as MS vão evoluindo e alcançam determinados níveis, é possível desenvolvê-las, resultando na transformação da MS original em uma de quatro opções disponíveis. Existem alguns tipos específicos que só podem ser conquistados assim, além de outras só acessíveis através da opção de “Design”, combinando duas armaduras distintas para alcançar uma nova.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Por fim, é possível ainda equipar as MS com diferentes modificações que alteram suas estatísticas, equipá-las com SRS, itens que modificam o funcionamento das MS nos vários terrenos disponíveis e permitindo que unidades que só funcionam em solo ou no espaço possam atuar na superfície do mar ou na estratosfera, por exemplo. É um sistema vasto e com o qual os fãs mais dedicados poderão passar horas para montar as suas unidades preferidas como bem entenderem.

No geral, temos então que SD Gundam G Generation Cross Rays é uma experiência incrivelmente divertida e que vale muito a pena para jogadores fãs de SRPGs, mesmo que ele falhe um pouco em entregar um desafio muito grande, em especial para os que também são apaixonados por Gundam e por robôs gigantes, sendo uma belíssima celebração do que torna a série tão especial e tão cheia de fãs.

SD Gundam G Generation Cross Rays

Veredito

Divertido, apesar de não muito desafiador, SD Gundam G Generation Cross Rays é um ótimo jogo e uma digna celebração da franquia, que deve manter os fãs apaixonados pela icônica série entretidos por dezenas e dezenas de horas.

Jogo analisado no PS4 padrão com cópia digital fornecida pela Bandai Namco Southeast Asia.

84%