AnálisesPS4

Análise – Super Robot Wars T

Análise

NOME: Super Robot Wars T
FABRICANTE: Banpresto
PLATAFORMA: ps4
GENERO: RPG / Estratégia
DISTRIBUIDORA: BANDAI NAMCO Entertainment Inc. / BANDAI NAMCO Entertainment Southeast Asia


LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel 20/03/2019


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Troféus (inclusive Platina)
Nº de Jogadores: 1
Espaço Necessário: 6,88 GB
Dublagem PT-BR: Não
Legendas PT-BR: Não
Disponível em inglês na PS Store asiática


Mesmo na atual geração, com consoles sem bloqueio de região e com cada vez mais séries que antes não recebiam lançamentos localizados para o Ocidente finalmente chegando a essas bandas, a franquia Super Robot Wars sempre foi uma das principais séries inacessíveis aos jogadores que não sabem falar japonês.

A histórica franquia de RPGs de Estratégia da Banpresto e que marca o principal crossover entre várias e várias das mais populares séries de robôs gigantes do Japão finalmente vem se tornando mais acessível aos jogadores, não com lançamentos diretamente por aqui (algo que se torna mais complicado pelas várias empresas que detêm direitos sobre os animes retratados nele), mas com lançamentos em mercados asiáticos com legendas em inglês, que é o caso do seu jogo mais recente, Super Robot Wars T para PlayStation 4.

Marcando o segundo jogo da série principal a ser lançado com legendas em inglês pela Bandai Namco, SRW T marca mais um jogo da série “independente”, sem precisar de qualquer conhecimento prévio dos jogos anteriores para se aproveitar. O jogador assume o controle do protagonista, um piloto (ou pilota) de testes da empresa VTX Union responsável por ajudar no desenvolvimento de um novo mecha, o Tyranado, que é uma das principais opções para constituir a próxima geração de armas da Earth Federation.

Super Robot Wars T

Esses mechas se tornam especialmente importantes pois o mundo inteiro encontra-se em considerável caos após uma série de tentativas falhas em expandir o alcance da humanidade para o espaço sideral. O Tyranado se torna uma importante arma na luta contra forças alienígenas invasoras e terroristas, auxiliando em especial uma pequena facção independente dentro da Federação.

Convenientemente, essa facção é composta de alguns dos principais heróis da história da humanidade, ou seja, das várias séries que compõem esse crossover. Franquias históricas como Gundam, Armored Trooper Votoms, Mazinger, Cowboy Bebop e Magic Knight Rayearth, só para nomear algumas, todas fazem parte do enorme elenco de personagens disponíveis no jogo e que tanto farão parte da sua equipe quanto desempenharão papéis importantes na campanha principal e nas missões secundárias, o que totaliza mais de 50 missões, com rotas distintas e muito a se fazer se o jogador quiser ver tudo que o jogo tem a oferecer.

Por mais que Super Robot Wars tenha transformado em uma verdadeira forma de arte a maneira como eles fazem crossovers em forma de um bom RPG (e é algo que deve ter inspirado a Bandai Namco a fazer outros deles, como o ótimo Project X Zone), SRW T é especialmente atraente os jogadores ocidentais pela inclusão de Cowboy Bebop e Magic Knight Rayearth, séries muito populares por aqui que fazem sua estreia na franquia junto com Arcadia of My Youth e Expelled From Paradise.

Super Robot Wars T

O plot, no geral, funciona melhor do que alguém esperaria de um crossover. Alguns dos diálogos e interações entre os personagens das várias séries que, apesar de terem a mesma ideia central de envolverem robôs gigantes são tematicamente muito diversas, são muito bem desenvolvidas, construindo bem a sensação de que eles habitam o mesmo universo ao invés de terem sido simplesmente jogados no meio dos acontecimentos do jogo.

O único ponto negativo que fica claro na forma como Super Robot Wars T é escrito é na construção dos inimigos, em especial dos vilões principais, que muitas vezes não tem motivações tão bem construídas quanto as dos heróis, e um plot que às vezes leva muito mais tempo do que o necessário para progredir, com certas seções parecendo episódios “filler” de um anime.

Talvez o maior problema mesmo seja como algumas séries não tem tanta representação assim no jogo (talvez o mais assustador é só haver uma unidade jogável de Cowboy Bebop), com vilões aparecendo e sumindo do nada, parecendo estar presentes só pra preencher a cota de cada série. Isso tudo não impede que a campanha seja bem prazerosa de se aproveitar, sendo uma mera mancha no total, mas uma notável.

Super Robot Wars T

No que tange o gameplay de SRW T, a quantidade de opções que o jogo apresenta é quase assustador de tão profundo. As missões se passam exatamente como alguém esperaria considerando que se trata de um SRPG: os personagens ficam dispostos ao redor de um mapa em grid, com o jogador agindo no seu próprio turno e escolhendo a ordem das ações de cada uma das suas unidades. Cada uma das unidades pode se mover, atacar, utilizar habilidades especiais chamadas Spirit Commands, se defender ou invocar as habilidades de suporte de unidades especiais.

O sistema básico de combate lembra muito os outros jogos da série ou de outras franquias conhecidas do gênero como Disgaea ou Final Fantasy Tactics, mas talvez seja ainda mais profundo do que elas. Diferentes tipos de ataque estão disponíveis a depender das ações tomadas pelo jogador. Certos ataques só podem ser usados caso o personagem se mova, enquanto outras exigem que o ataque seja a única ação realizada pela unidade naquele turno. É necessário sempre administrar as barras de HP e EN dos robôs, sendo o primeiro a sua vida e o segundo a energia gasta para atacar, que, se usada sem pensar, pode acabar deixando o jogador sem opções de combate até se recuperar.

O sistema de Supporter, a principal novidade de SRW T em relação aos seus antecessores, adiciona ainda mais profundidade, com unidades específicas não-combatentes sendo destinadas a ajudar os robôs em batalha. Isso amplia ainda mais o leque de opções de como lidar com diferentes situações, algo que é balanceado com o fato dessas unidades utilizarem uma única barra de Spirit Points (SP), sendo necessário saber programar essas ações, pois utilizá-las indiscriminadamente podem deixar o jogador sem opções em momentos de grande urgência.

Super Robot Wars T

Algo que também chama a atenção e até mesmo assombra um pouco é a vasta quantidade de opções de customização tanto dos pilotos quanto dos mechas em si. Ambos são tratados como entidades separadas, sendo os pontos de experiência utilizados para melhorar a capacidade do piloto em realizar o seu trabalho, incluindo adquirir novas habilidades, spirit commands ou melhorar pontos de força, destreza e outras categorias. Por outro lado, o jogador pode utilizar dinheiro para melhorar as estatísticas dos mechas, adquirir novas peças para customizá-los, incluindo novas armas, modificações visuais e todo tipo de opção imaginável.

Felizmente o jogo apresenta bem exatamente como cada opção funciona, facilitando o aprendizado do jogador, principalmente para quem não teve contato prévio com a franquia, diante de tantos termos específicos e opções disponíveis. O jogo também tem uma curva de aprendizado muito boa, adaptando bem o jogador aos desafios, sem, no entanto, tornar o jogo muito fácil e tirar todo e qualquer sensação de êxito ao se jogar. Existem ainda mais opções do que se fazer, com objetivos especiais em cada missão que dão mais recursos e a opção de automatizar missões para outros robôs que vão ajudando o jogador a conseguir ainda mais pontos de experiência e dinheiro para gastar.

Algo que merece ser aplaudido é o visual do jogo. Super Robot Wars T adota um visual bem característico para a série, com um 2D de altíssima qualidade, com um cuidado absurdo com as animações. Parte disso vem de cerca de metade das unidades serem reaproveitadas de jogos anteriores, mas mesmo as unidades mais novas, como as de Magic Knight Rayearth são bastante detalhadas, com as animações de combate merecendo um destaque ainda maior para a forma como cada movimento retrata bem o funcionamento dos robôs.

Super Robot Wars T

Para casar com a qualidade visual, a trilha sonora não fica para trás. Parte disso vem de SRW T usar recriações de alta qualidade das músicas originais das séries que o compõem (e que pode ficar ainda melhor com o pacote de DLC que adiciona as músicas originais ao jogo, inclusive com vocais), ajudando bastante na ambientação do jogo, que se torna ainda mais especial ao ouvir músicas tão boas durante os momentos mais empolgantes de batalha.

No geral, Super Robot Wars T é um excelente RPG de Estratégia, que é incrível mesmo para quem não tem uma história anterior com os animes que compõem o elenco desse crossover, mas que se torna obrigatório para quem é fã de carteirinha dessas séries de robôs gigantes. Existem alguns problemas com a história, mas nada capaz de realmente afetar o quão bom o jogo é e o quanto esse lançamento em inglês para países asiáticos faz o jogador querer ver a série receber o amor que merece no Ocidente.

Super Robot Wars T

Veredito

Mais de 25 anos após o lançamento do jogo original, Super Robot Wars T continua provando porque a série é uma das mais tradicionais e especiais do seu gênero. Um ótimo crossover, um SRPG com jogabilidade magnífica e cheia de profundidade fazem deste um jogo recomendado para fãs do gênero e obrigatório para os fãs de robôs gigantes.

Jogo analisado no PS4 padrão com código fornecido pela Bandai Namco Southeast Asia.

90%