Ubisoft

A Ubisoft disse aos investidores que acredita que pode permanecer independente. A atividade de fusões e aquisições na indústria de jogos atingiu um recorde de US$ 85 bilhões em 2021 e deve chegar a US$ 150 bilhões este ano, com grandes acordos como a aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft e a compra da Zynga pela Take-Two já anunciadas nos primeiros meses de 2022.

Questionado em uma teleconferência de resultados na quinta-feira se a Ubisoft acredita que seria capaz de garantir o acesso às várias plataformas de jogos nas quais lança seus jogos no futuro, caso resista a qualquer consolidação que esteja acontecendo na indústria, o CEO Yves Guillemot disse que sim (via VGC).

“Continuaremos a ter acesso a todas essas plataformas porque todas as plataformas precisam de ótimo conteúdo. Se continuarmos a fazer um ótimo conteúdo como fazemos hoje, poderemos acessar todas essas plataformas”, disse ele.

“Se olharmos para a Nintendo… somos a third-party número um. A Nintendo está interessada em tudo o que fazemos e [estamos] até desenvolvendo jogos com suas marcas, então a colaboração existe e é muito frutífera”.

O executivo disse acreditar que a Ubisoft poderia permanecer independente, mas que quaisquer ofertas de compra da empresa seriam analisadas no interesse de suas partes interessadas. “Sempre tomamos decisões no interesse de todas as partes interessadas, que são nossos funcionários, jogadores e acionistas. A Ubisoft pode permanecer independente: temos talento, escala financeira e um grande portfólio de IPs originais”, acrescentou Guillemot. “Tendo dito isso, se houvesse uma oferta para nos comprar, o conselho de administração, é claro, a analisaria todas as partes interessadas”.