O texto abaixo foi publicado no PlayStation.Blog brasileiro.


PlayStation VR

Hoje celebramos o quinto aniversário do dia em que apresentamos o PlayStation VR ao mundo e queremos aproveitar este momento para agradecer todos os nossos fãs, à nossa comunidade de talentosos desenvolvedores que abraçaram esta plataforma e apoiaram o PS VR todos estes anos. É incrível ver como a realidade virtual se estabeleceu nos últimos cinco anos como uma plataforma para jogos, e temos a enorme felicidade de ver que o PS VR teve grande papel em seu desenvolvimento.

E para celebrar este marco PS VR, queremos dizer um muito obrigado especial aos fãs de PlayStation: a partir de novembro, os membros do PlayStation Plus* ganharão jogos bônus PS VR sem cobrança adicional. Fiquem ligados para mais detalhes na atualização do PlayStation Plus nas próximas semanas.

Desde o lançamento do PS VR, temos visto uma grande variedade de experiências únicas que mostram o senso de presença que definimos alcançar com esta plataforma, incluindo jogos aclamados pela crítica, como o incrível jogo de tiro de ação, com imagens e sons realistas, Rez Infinite, o épico jogo da plataforma de missão de resgate Astro Bot Rescue Mission e a ação furtiva de Hitman 3.

Com mais de 500 jogos e experiências disponível no PS VR, vamos dar uma olhada nos cinco jogos mais jogados** no PS VR no mundo inteiro desde o seu lançamento há cinco anos.

Os jogos mais jogados no PlayStation VR globalmente

  • Rec Room
  • Beat Saber
  • PlayStation VR Worlds
  • The Elder Scrolls V: Skyrim VR
  • Resident Evil 7 biohazard

Os jogos de PlayStation VR mais jogados, por região

  • Europa: Rec Room, PlayStation VR Worlds, Beat Saber, The Elder Scrolls: Skyrim VR, Resident Evil 7 biohazard
  • América: Rec Room, Beat Saber, The Elder Scrolls V: Skyrim VR, Job Simulator, Firewall: Zero Hour
  • Japão: Resident Evil 7 biohazard, The Elder Scrolls V: Skyrim VR, PlayStation VR Worlds, Beat Saber, Gran Turismo Sport

Há muitos outros jogos PS VR por vir, com jogos em desenvolvimento como Moss: Book II, Wanderer, After the Fall, HumanityPuzzling Places, Zenith: The Last City e muitos mais. Os jogos criados para PS VR vem de alguns dos desenvolvedores mais talentosos da nossa indústria que frequentemente desafiam-se para trazer as experiências mais incríveis para a plataforma.

Para marcar esta ocasião, decidimos fazer uma viagem pela memória com os desenvolvedores, que compartilharam conosco suas experiências quando, pela primeira vez, puseram as mãos no PlayStation VR.

Você pode nos contar sobre a sua primeira experiência com o PS VR? 

Estávamos trabalhando em um primeiro protótipo de RV em 2015 e conversávamos com a equipe PS VR. Eu ainda não sabia o que o PS VR podia fazer até aquele momento e eles me encorajaram a verificar as demonstrações no GDC daquele ano, em março de 2015. A demonstração do London Heist me vendeu total a ideia do hardware e seu potencial. A primeira cena era eu sendo interrogado por um parceiro bruto e conseguia responder com os movimentos da cabeça e olhar para os lados. Na segunda cena, você estava vasculhando uma mesa buscando de itens com interação total usando os controladores de movimento e, depois, entrando em um combate de incêndio enquanto se protegia atrás da mesa.  Era o conteúdo de mais alta qualidade que eu tinha experimentado em RV até aquele momento e acabei começando a trabalhar na área de demonstração da GDC. Incrível! – Chandana Ekanayake, Outerloop Games 

VR é uma tecnologia pela qual sempre me interessei, então fiquei super animado ao saber que o PlayStation estava criando um dispositivo de RV para um ambiente doméstico. A primeira vez que pude realmente experimentar o PS VR foi trabalhando no protótipo para KITCHEN, que foi sem dúvida o prólogo que preparou as coisas para o que mais tarde se tornaria “Resident Evil 7 biohazard”. Inicialmente, eu só tinha visto o protótipo por um monitor normal e só podia imaginar como as coisas seriam em um ambiente de RV, mas não conseguia prever o quanto o fator medo aumentou ao ver as coisas de dentro do dispositivo. Foi muito incrível ver quanto a experiência em RV pode ser muito imersiva. – Masachika Kawata, Capcom 

Até onde consigo lembrar, a minha primeira experiência com o PS VR foi na verdade com um protótipo do Projeto Morpheus (como o PS VR era chamado em sua fase inicial), onde me via no topo de um trampolim muito alto com um Piscina olímpica logo abaixo de mim. Esta demonstração foi feita para mostrar como podemos ter uma sensação de vertigem na RV. E funcionou muito bem. – Nicolas Doucet, Equipe Asobi

Como jogador, tenho ótimas lembranças de jogar Thumper no PS VR próximo do lançamento em 2016.  A mistura incrível entre velocidades incrivelmente altas, lindos mundos e jogo baseado em ritmo se reúnem para criar um jogo que é incrivelmente compacto e atraente.  Também fiquei impressionado por ser o Cavaleiro das Trevas em Batman: Arkham VR. Isso me ajudou muito a perceber que o poder envolvente de ser um personagem no PS VR pode ser uma virada de chave de como poderíamos fazer jogos no futuro. – Stu Tilley, Firesprite

Eu me lembro que, em 2016, tive uma prévia de London Heist na Carnegie Mellon University de um ex-aluno que mostrou as primeiras demonstrações no Entertainment Technology Center. Foi tão emocionante ver que a Sony estava totalmente envolvida com a RV de uma forma que não acontecia com nenhum outro console. – Jesse Schell, Schell Games

Acho que nossa primeira experiência PS VR foi com Rush of Blood e RIGS: Mechanized Combat League. Rush of Blood foi e é uma das melhores experiências de terror em RV até hoje, esse jogo é incrível. Eu quero mais RIGS: MCL foi muito divertido e nos mostrou o potencial do verdadeiro multiplayer em RV e nos inspirou de várias maneiras. Realmente, foi muito além do seu tempo e um dos melhores jogos de tiro MP VR lá fora. – Hess Barber, First Contact Entertainment

Eu me lembro de jogar Thumper na casa de um amigo que me mostrou o PS VR pela primeira vez. Fiquei impressionado como uma mudança tão simples para o modo VR mudou completamente a experiência do jogo para mim. Ainda era o mesmo jogo, mas de alguma forma parecia um mundo totalmente diferente, que era mais épico do que ele mesmo, só que em 2D. – Vladimír Hrinčár, Beat Games

Como o PS VR mudou o que você pensava ser possível para os jogos de console? 

Acho que a maior mudança foi perceber que os jogadores não estavam mais assistindo as coisas em uma tela, mas que podiam fazer parte do jogo, entrar no ambiente virtual. Mesmo se estiver oferecendo ao jogador a mesma experiência de jogo base, foi fascinante ver a grande diferente essa mesma experiência de jogo poderia ter de um ambiente de TV normal para um ambiente de RV. – Masachika Kawata, Capcom

O PSVR deu uma maneira totalmente nova de jogar que não era exatamente a mesma de antes.  Ser capaz de mover suas mãos para apontar uma arma, levantar uma escotilha, se arrastar montanha acima ou jogar um donut em um cubículo vizinho parecia totalmente único em comparação com a jogabilidade normal.  A imersão que o PS VR oferece através da qualidade das telas é a melhor forma de experimentar um mundo de jogo – sentar à mesa de jantar da casa principal em Resident Evil 7 para PS VR é verdadeiramente inesquecível! – Stu Tilley, Firesprite

O PS VR realmente nos trouxe a oportunidade de simplificar a experiência a um nível muito instintivo. O melhor exemplo em que posso pensar é a remoção total do controle da câmera. Ao se tornar a câmera, você não precisa mais aprender a manipulá-la e pode focar na ação. Um simples olhar para a esquerda e para a direita, inclinando-se para ver por trás de uma parede, são todas as ações que fazemos muito e sem pensar, mas na verdade são muito difíceis de incorporar em jogos tradicionais. Com o PS VR, nós temos tudo isso virtualmente de graça (trocadilho intencional), o que nos ajudou a fazer um jogo mais acessível! – Nicolas Doucet, Equipe Asobi

O PS VR é muito confortável de usar por longos períodos de tempo, o que abre todos os tipos de possibilidades de projetos para diferentes tipos de jogos. Isso nos levou a fazer três experiências distintas para a plataforma: Wayward Sky – uma aventura de ação em diorama em terceira pessoa, Dino Frontier – um jogo de simulação de uma cidade do oeste com dinossauros e Falcon Age – um jogo de ação em primeira pessoa com um falcão de estimação. Todos os três aproveitaram o hardware PS VR e tivemos que repensar a abordagem de cada gênero durante o desenvolvimento para abraçar totalmente o que era possível com o hardware. – Chandana Ekanayake, Outerloop Games 

Eu acho que o PS VR é só a ponta do iceberg quando falamos de até onde a RV irá. Eu realmente acredito que um dia, a RV será a forma preferida de jogar todos os jogos. O PS VR é a única verdadeira plataforma de jogos RV dedicada. Atualmente, ainda tem mais jogos de qualidade do que qualquer outra plataforma de RV. Com tantos títulos de alta qualidade, é realmente a porta de entrada para AAA VR Gaming. Ele nos mostrou o a eficácia da RV pode ser e a direção potencial dos jogos de RV no futuro.  – Hess Barber, First Contact Entertainment

É como a diferença entre o dia e a noite – PS VR com controles Move desbloqueia tantas opções que não eram possíveis em uma tela 2D com apenas um controle normal. – Vladimír Hrinčár, Beat Games

O que as pessoas devem saber ao desenvolver jogos para PS VR? Quaisquer aprendizados importantes?

Aprendemos cedo a experimentar coisas no hardware o mais rápido possível, mesmo que seja a ideia mais boba. O que você acha que vai acontecer versus o que realmente acontece quando você experimenta no PS VR é muito diferente.  Enquanto criamos o Falcon Age, trabalhamos com um falcoeiro da vida real em Washington para garantir que estávamos sendo precisos em como tratávamos a falcoaria no jogo. Ela nos deu algumas dicas sobre como o falcão deve se comportar após uma caçada, como ele abre suas asas e protege uma caça e como os falcões reagem à água.  Houve uma parte assustadora durante nosso tempo com o falcoeiro. Ela nos avisou para não olharmos diretamente nos olhos do falcão, pois ele nos veria como uma ameaça! É difícil não olhar para um pássaro lindo como aquele, mas conseguimos fazer isso e nenhum desenvolvedor se machucou durante a produção. – Chandana Ekanayake, Outerloop Games 

Trabalhamos duro em KITCHEN, que era um protótipo PS VR que seria o degrau para eventualmente incorporar RV em Resident Evil 7 biohazard. Foi a primeira vez que nos aventuramos nesse tipo de cenário, então fizemos muitos testes internos. Ainda lembro de colegas de trabalho que participavam dos testes de jogo e pulavam de seus assentos ou escorregavam de susto em suas cadeiras, ao final, eles riam e comentavam com raiva da experiência “muito assustadora”. Lançamos um trecho da filmagem daquela época, então tenho certeza que seria muito engraçado para qualquer pessoa interessada em dar uma olhada. – Masachika Kawata, Capcom

Ao desenvolver nosso jogo de terror, The Persistence para PS VR, geralmente colocávamos os fones de ouvido enquanto desenvolvíamos recursos, ficando totalmente perdidos nos detalhes do trabalho.  Mas o jogo também oferece suporte a um aplicativo complementar onde você muda as coisas no mundo.  Um membro da equipe (que deve continuar sem nome!) adorava colocar os inimigos atrás de pessoas que estavam trabalhando em seus recursos.  De repente, eles seriam atacados do nada por um mutante furioso e você os ouviria gritando pelo estúdio! – Stu Tilley, Firesprite 

Na metade do desenvolvimento do Firewall, percebemos que todos os nossos testes de jogos eram muito divertidos porque nós (a equipe) nos conhecíamos e todos se comunicavam naturalmente. Percebemos que se as pessoas estivessem brincando com estranhos e fossem tímidas, isso poderia limitar a experiência e ficamos preocupados. Mas o engraçado sobre o PS VR é que ele é tão imersivo e o microfone já faz parte dele, (a maioria) das pessoas naturalmente se torna social. Não só o jogo prosperou com a comunicação, mas também formou muitos relacionamentos, pessoas de todo o mundo se reuniram, algumas se casaram, algumas até tiveram filhos juntos.  O que nos preocupava, na verdade, é uma das melhores características do jogo, é incrivelmente social e amigável. – Hess Barber, First Contact Entertainment

* PS Plus está sujeito a uma taxa de assinatura recorrente cobrada automaticamente até o cancelamento. Termos completos: play.st/PSPlusTerms.
** Dados de 13 de outubro de 2016 a 31 de agosto de 2021, exceto o Playroom VR.
PlayStation®VR não é para uso de crianças abaixo de 12 anos. Um sistema de PlayStation®4 ou PlayStation(R)5 (vendido separadamente) é necessário o uso do PlayStation®VR.