Final Fantasy VII Rebirth

A Game Informer, como parte de sua cobertura exclusiva de Final Fantasy VII Rebirth, divulgou novos detalhes do título via um preview.

Mundo Aberto

Quem comanda esta demonstração é o diretor Naoki Hamaguchi. Ele abre o mapa do mundo para mostrar o quão grande é a área explorável de Final Fantasy VII Rebirth.

Embora cada seção de cada região – neste caso, Grasslands e Junon – seja rotulada no mapa como áreas separadas, você pode caminhar facilmente entre elas. “Pensamos que seria mais fácil para os jogadores irem para apenas uma região e, portanto, do ponto de vista da interface do usuário, separamos tudo – Junon e Grasslands – mas, na verdade, você pode atravessar e eles estão todos conectados entre si”, diz Hamaguchi.

Na verdade, de acordo com Hamaguchi, o conteúdo secundário representa cerca de 80% do conteúdo baseado em exploração, mas mesmo focando apenas no enredo principal, os jogadores ainda podem esperar cerca de 40 horas de jogo. Enquanto isso, aqueles que fazem uma boa quantidade de conteúdo paralelo devem esperar aproximadamente 60 horas de jogo, enquanto os sidequesters mais dedicados podem ultrapassar a marca de 100 horas para seu arquivo salvo.

Final Fantasy VII Rebirth

Novas Cidades

Nesta demo, Hamaguchi mostrou o Crow’s Nest, uma nova cidade que não estava presente no Final Fantasy VII original. Esta cidade irmã de Under Junon compartilha o mesmo sentimento anti-Shinra e serve como um centro para missões secundárias e minigames.

Final Fantasy VII Rebirth

Missões Secundárias

As missões secundárias desempenham um papel importante em Final Fantasy VII Rebirth, mas, naturalmente, os jogadores precisarão tomar uma decisão consciente para enfrentá-las. Fazer os jogadores buscarem esse conteúdo secundário foi uma missão que a equipe de desenvolvimento assumiu. “Parte do design do jogo que assumimos para Rebirth é que, no enredo principal, você salvará Yuffie e Under Junon e, a partir daí, seguirá em direção a Junon e depois seguirá em direção à Costa del Sol”, diz Hamaguchi. “Mas, por exemplo, ouvindo as histórias do povo anti-Shinra que vive em Under Junon, você pode pensar: ‘e quanto a essa área do Crow’s Nest de que estou ouvindo? Talvez eu queira ir até lá e explorar e ir em uma aventura paralela sozinho para salvar pessoas. Queremos que o jogador possa fazer essas diferentes aventuras e seguir suas próprias jornadas de acordo com seus interesses”.

Obviamente, as missões secundárias oferecem muitas oportunidades adicionais para aprender sobre o mundo e seus habitantes, mas uma de suas funções principais em Rebirth é expandir as relações entre os personagens. Sidequests apresentam protagonistas secundários específicos ao lado de Cloud; completar a missão irá aprofundar e expandir o relacionamento entre Cloud e aquele personagem.

Minigames

De volta ao Crow’s Nest, Hamaguchi guia Cloud e o grupo em direção a um piano, mas no caminho ele passa por um homem falando sobre um jogo de cartas. Embora Hamaguchi permaneça calado sobre a mecânica, ao conversar com a equipe, descobri que é um jogo de cartas estratégico no qual Cloud poderá competir em toda a região. Diferentes NPCs oferecem vários graus de desafio aos jogadores, mas a equipe espera que os jogadores gostem do aspecto de construção de deck deste minijogo.

Finalmente chegamos ao piano. Através da exploração, Cloud pode encontrar partituras para composições do mundo de Final Fantasy VII. Ele pode então sentar-se ao piano e tocar a música. Este minigame baseado em ritmo permite que você use os analógicos para tocar as notas necessárias, além de alguns botões para alterar oitavas e tonalidades. Parece extremamente complexo em sua forma mais elevada, mas isso não é nada comparado ao que Hamaguchi me mostra a seguir, quando ele entra no modo freeplay, onde os jogadores podem tocar o que quiserem no piano usando a mecânica do jogo.

Confira o preview completo no site da Game Informer.

Final Fantasy VII Rebirth será lançado em 29 de fevereiro de 2024 para PS5.

Winz.io