NotíciasPlayStation 4

Ubisoft: processo contra os usuários de DDoS; diretor criativo de Splinter Cell retorna à companhia

Algumas notícias relacionadas à Ubisoft aconteceram recentemente. Primeiramente, de acordo com o site VGC, o ex-diretor criativo de Splinter Cell, Maxime Beland, voltará à Ubisoft depois de menos de um ano na Epic Games..

O diretor de criação voltará a fazer parte da equipe editorial reorganizada da empresa, que foi ampliada e reestruturada parcialmente para tentar tornar a sua linha de jogos mais variada.

Beland passou mais de 20 anos na Ubisoft trabalhando nas maiores franquias, antes de sua partida em 2019. Ele é mais conhecido por seu trabalho como designer-chefe e diretor criativo de Rainbow Six: Vegas, em 2006, antes de se tornar diretor de design do Assassin’s Creed original.

Beland foi diretor criativo de dois títulos de Splinter Cell, o Conviction de 2010 e Blacklist de 2012, o último dos quais foi o primeiro jogo da Ubisoft Toronto, o estúdio que ele co-fundou. Beland também foi o diretor criativo das partes desenvolvidas em Toronto de Far Cry 4, Far Cry 5 e Far Cry Primal, incluindo as seções de Shangri-La do quarto jogo.

Em seu novo cargo, Beland atuará como novo vice-presidente da influente equipe editorial da Ubisoft, ajudando a orientar vários jogos em toda a empresa.


Paralelo a isso, de acordo com o site Polygon, a Ubisoft está processando as pessoas que realizaram ataques DDoS (sobrecarga de servidor) a Rainbow Six Siege.

Os ataques DDoS em Rainbow Six Siege têm sido um grande problema para a Ubisoft. Em setembro de 2019, o desenvolvedor divulgou um plano multifacetado para impedir jogadores que realizam ataques DDoS e criam atraso nas partidas multiplayer, podendo travar servidores. A Ubisoft disse que viu uma queda de 93% na frequência de ataques depois de compartilhar seu plano. Agora, ela está tentando suprimir o problema da fonte – um grupo de pessoas que a empresa diz estar vendendo assinaturas de serviços DDoS.

Os réus, que supostamente operam um site chamado SNG.ONE, vendem assinaturas por até US$ 299,85 para acesso “vitalício” ao servidor, de acordo com o processo; uma assinatura mensal custa cerca de US$ 30. Uma captura de tela da denúncia mostrou Fortnite, FIFA 20 e Call of Duty: Modern Warfare 4 como possíveis alvos também.

A Ubisoft diz que os proprietários do site “estão bem cientes dos danos” que seus serviços causaram à empresa. “De fato, os réus se esforçaram para insultar e tentar embaraçar a Ubisoft pelos danos que seus serviços causaram [ao Rainbow Six Siege]”, escrevem os advogados da Ubisoft.