NotíciasPlayStation

FBI solicitou informações à Sony sobre usuários da PSN

No último mês de outubro, o FBI (Federal Bureau of Investigation ou Departamento Federal de Investigação) deu entrada em um mandado de intimação para apresentação de informações sobre um usuário do PlayStation 4 que foi acusado de fazer parte de uma rede de distribuição de cocaína, de acordo com documentos processuais obtidos pelo Motherboard.

O pedido requer até mesmo quais jogos o suposto traficante de drogas jogava e o seu progresso neles. O pedido veio em razão de Curtis Alexander, também conhecido como “Dola”, ser acusado de usar os serviços online do PlayStation para coordenar a venda de grandes quantidades de cocaína.

Segundo o Motherboard, o mandado de intimação é mais um indício de que as agências de segurança pública tem solicitado com frequência cada vez maior por informações sobre os usuários de consoles e outros dispositivos conectados a internet por informações dos usuários.

“A CHS [Confidential Human Source ou Informante Confidencial] alegou que ALEXANDER estava cobrando $34.000,00 por kilograma de cocaína. A CHS alega que ALEXANDER utilizada o nome de usuário PlayStation ‘Speedola20‘”. Segundo o informante do FBI, Alexander o contactou “durante o jogo”.

“A fase ‘durante o jogo’ se refere à comunicação por áudio durante a participação da CHS e ALEXANDER em um jogo multiplayer online”, segundo a petição. “Os investigadores acreditam que ALEXANDER provavelmente acreditava que a sua comunicação por áudio durante o curso de sua participação em um jogo online era segura. Assim, ALEXANDER acreditava que poderia usar a comunicação por áudio durante o jogo no PlayStation para acertar os detalhes da venda das drogas.”

O FBI e o informante passaram a preparar então uma emboscada durante a qual a Agência monitorou Alexander vendendo um saco de cerca de 100 gramas de pó branco por $4.400,00 e Alexander disse ao informante que queria conversar novamente naquela noite no “jogo”, segundo os documentos.

O jogo que Alexander utilizava não foi nomeado e não há indicação se a aplicação para essa comunicação foi através do próprio jogo ou da Sony. Mas as partes teriam conversado usando o sistema de mensagens da PSN, o qual permite o envio de mensagens de texto ou voz entre os usuários.

Em razão disso, o FBI pediu por toda e qualquer informação que a Sony possa ter do usuário. O Motherboard não foi capaz de identificar se a Sony entregou as informações, mas o pedido incluía todas as comunicações associadas a conta PlayStation, “incluindo cópias preservadas ou guardadas de emails, conversas ou outras mensagens enviadas de e para a Conta, rascunhos e a fonte dos endereços de destino associados a elas, a data e hora em que foram enviados e o peso e tamanho de cada”.

Além disso, o FBi pediu ainda todos os dados referentes a identificação da conta como nome, endereço físico, números de telefone, quaisquer senhas associadas com a conta, perguntas de segurança e respostas e informações técnicas como endereço de IP usados para registrar e logar na conta.

A Sony não respondeu ao pedido de comentários feito pelo Motherboard.