O site GamesIndustry realizou uma entrevista com o COO da Capcom, Stuart Turner, e o diretor de marketing, Antoine Molant. Nela, diversos assuntos foram mencionados. Confira os principais tópicos:

Devil May Cry 5

  • O jogo anterior (da Ninja Theory) foi muito bom, segundo Molant, mas a Capcom sabe que muitos fãs não gostaram daquele Dante e que havia um desejo de ser mais parecido com a trilogia original. Dessa forma, o projeto nasceu;
  • Se o gênero possui o apelo que existia no passado é discutível, segundo Molant, mas o projeto pôde ser feito porque é o que os fãs queriam;
  • Porém, é claro, Molant explica que o projeto não começaria se não desse dinheiro à Capcom. Então apesar da previsão não ser muito alta, DMC5 tem o objetivo de agradar a base de fãs que ainda é consideravelmente grande.

Resident Evil 2

  • A Capcom teve várias discussões internas sobre como deveria ser a câmera. Tentaram em primeira pessoa, assim como fixa. Até a revelação dela do jeito que ficou (terceira pessoa acima do ombro), a companhia estava com medo se seria bem aceita;
  • Novamente, a Capcom não quer usar o nome Remake porque acredita que é praticamente um jogo novo;
  • A Capcom diz que prefere ter um jogo com ótimos reviews e que venda menos, do que uma nota 6 e venda mais. O exemplo de Resident Evil 7 biohazard é citado, dizendo que a longo prazo está vendendo de forma excelente. Esse é o plano para RE2 também.

Monster Hunter: World

  • A Capcom sabia que se fizesse um jogo mais online e estivesse na plataforma certa, faria sucesso no Ocidente. Porém, isso significaria que talvez o Japão não comprasse o jogo. Qualquer título da série consegue alcançar a marca de 3 ou 4 milhões no Japão. Por sorte, os japoneses também gostaram de Monster Hunter: World;
  • Com esse sucesso, a Capcom espera expandir a franquia com mais jogos no Ocidente. É como se fosse o lançamento de uma série nova em determinadas regiões.

Geral

  • A Capcom diz que acredita ter sucesso lançando uma nova franquia em formato digital, de pequeno orçamento, para daí se arriscar em fazer um projeto com mais dinheiro envolvido e riscos;
  • A Capcom possui títulos planejados a longo prazo e sabe que os desenvolvedores não querem fazer os mesmos jogos o tempo todo. Dito isso, a companhia também ressalta que é difícil lançar no mercado global uma nova franquia com sucesso.

Por fim, paralelo a isso tudo, o podcast da própria Capcom trouxe diversas curiosidades do desenvolvimento de DMC 5, como os acessórios de Nero (como o seu bracelete) terem sido desenhados a mão, e não foram feitos scans. Recomendo que leia o resumo do podcast clicando aqui (em inglês).