Durante uma entrevista sobre o making of da série Jak and Daxter, a desenvolvedora Naughty Dog revelou que não poderia continuar fazendo jogos Crash Bandicoot além de Crash Team Racing porque seu relacionamento com o então proprietário da propriedade intelectual (IP), Universal Interactive, havia “azedado”.

Em declarações ao site GamesRadar (via PlayStation LifeStyle), o cofundador Jason Rubin revelou que tendo percebido que não podiam mais trabalhar com a Universal, vários desenvolvedores da Naughty Dog começaram a desenvolver discretamente em uma nova engine, que formou a base de Jak and Daxter.

“Nosso relacionamento com a Universal havia chegado a um ponto em que não podíamos continuar a fazer jogos Crash Bandicoot”, disse Rubin. “Embora amássemos Crash Bandicoot e adorássemos trabalhar com a Sony, não fazia nenhum sentido financeiro. A Universal possuía a IP e havia uma hostilidade lá que era simplesmente brutal”.

O relacionamento da Naughty Dog com a Sony é antigo. A entrevista revela que, em 1999, o estúdio trouxe para casa o primeiro kit de desenvolvimento do PlayStation 2 a entrar nos Estados Unidos. Aparentemente, o cofundador Andy Gavin perguntou à sua equipe de testers do controle de qualidade se eles queriam uma “viagem de 48 horas com todas as despesas pagas para o Japão com muito jetlag e pelo menos uma boa refeição”, cujo resultado foi o estúdio conseguindo suas mãos no “PlayStation de próxima geração que ele esperava ansiosamente por anos”.

Crash Bandicoot foi originalmente produzido pela Universal Interactive que mais tarde se tornou Vivendi Games. Após uma fusão em 2007, a Activision é dona da IP. A Naughty Dog desenvolveu a série entre 1996 e 1999. Lançamentos recentes foram desenvolvidos pela Vicarious Visions e Toys for Bob.