Leatherface (também conhecido como Cannibal) tem uma tendência horrível de usar os rostos de suas vítimas como máscaras, um detalhe que a Behavior Interactive incorporou quando o apresentou a Dead By Daylight como um dos assassinos do jogo em setembro de 2017. Essa habilidade agora está sendo removida – uma decisão que vem depois que muitos jogadores argumentaram que uma das máscaras foi usada para perpetuar o assédio racista e prejudicial no jogo na forma de ‘blackface’.

Em Dead By Daylight, o Cannibal pode desbloquear e equipar uma das quatro máscaras baseadas nos sobreviventes originais do jogo: Claudette Morel, Dwight Fairfield, Meg Thomas e Jake Park. Você deve matar cada um pelo menos 25 vezes como o assassino para obter seus respectivos rostos como máscaras. Infelizmente, é o rosto de Claudette, uma mulher negra, que foi mais usada como máscara pelos jogadores de Leatherface.

De acordo com uma atualização do desenvolvedor, jogadores de Dead by Daylight usaram o Cannibal com a máscara Claudette para “mirar e assediar” outros. O estúdio disse que “condena absolutamente” esse comportamento, embora admita se sentir desconfortável quando as máscaras são “usadas como uma ferramenta para espalhar o ódio”. Como resultado, todas as quatro máscaras desbloqueáveis ​​serão removidas na próxima atualização do jogo.

“Qualquer pessoa que já tenha jogado o Cannibal até o lançamento da atualização receberá 6.000 Iridescent Shards para compensar a remoção [das máscaras]”, disse a Behavior Interactive. “Não toleraremos atividades odiosas e continuaremos tomando todas as medidas necessárias para proteger a comunidade”.

Dead by Daylight