Em uma entrevista para o jornalista Stephen Totilo do site Axios, Jim Ryan, CEO e presidente da Sony Interactive Entertainment, comentou sobre diversos aspectos quanto ao estado atual da divisão PlayStation.

Quanto ao novo console PlayStation 5, Ryan diz que se sente frustrado por não conseguir atender a demanda, principalmente pela baixa produção com a falta de chips e também pelo console acabar caindo nas mãos de cambistas, bots e revendedores. A Sony está trabalhando duro para que os consoles cheguem nas mãos certas e que esse é o maior desafio no início de geração. Para ajudar nisso, o programa PlayStation Direct será expandido para a Europa em março 2022 e não ficará restrito apenas ao território norte-americano.

A Sony também aprendeu com o início do PS4 que precisava disponibilizar grandes títulos já na janela de lançamento do console. O PS4 teve bons jogos em seu início, mas a maioria só saiu na segunda metade da vida do console. Lançar Returnal e Ratchet & Clank: Em Uma Outra Dimensão já no início reforça isso, com mais jogos a vir pela frente.

Quanto a expansão da marca, Jim Ryan diz que hoje a Sony não tem apenas outros consoles como concorrentes, mas que a concorrência evoluiu para tudo aquilo que é usado numa tela por algumas horas. Em resposta a isso, a Sony vem mostrando sua atuação em outros mercados, como levar as franquias para outras mídias na TV, cinema e mobile. Quanto a essa última, a Sony planeja grandes novidades em breve.

Ryan diz que o portfólio de IPs está num ótimo estado e seria restritivo manter isso apenas na comunidade PlayStation. Disse também que a Sony está trabalhando em várias formas de se colocar no mercado mobile e que os resultados disso aparecerão antes do que muitos imaginam.

Quando perguntado sobre a polêmica de remover Cyberpunk 2077 da PS Store em dezembro, Ryan disse que foi uma decisão bastante difícil, mas necessária. Complementa que tiveram que agir pensando no bem do consumir, principalmente em adquirir um produto que causaria uma experiência ruim.