Final Fantasy VII Rebirth

O texto abaixo foi publicado no PlayStation.Blog brasileiro.


O State of Play de hoje mostrou novidades sobre Final Fantasy VII Rebirth. Sem dúvida, o trailer vai agradar fãs de longa data e também quem deseja saber o que aconteceu após a conclusão de Final Fantasy VII Remake, com Cloud e o grupo saindo em uma jornada para além de Midgar. No trailer, nós vimos novos integrantes do grupo, áreas abertas extensas para explorar e a reinvenção de alguns momentos icônicos do jogo original.

Em vez de deixar vocês especulando, entrevistamos a equipe de desenvolvimento de Final Fantasy VII Rebirth para dar mais detalhes sobre o trailer e o gameplay. A entrevista conta com o produtor Yoshinori Kitase, o diretor criativo Tetsuya Nomura, o diretor Naoki Hamaguchi e o supervisor musical Keiji Kawamori.

Vocês podem explicar o sistema de combate? Ele é o mesmo do Final Fantasy VII Remake ou houve alterações para Final Fantasy VII Rebirth? 

Hamaguchi: Eu quero destacar os novos movimentos de sinergia do sistema de batalha. Essa nova mecânica permite que o jogador use comandos e habilidades de sinergia a qualquer momento, e isso esgotará o medidor de carga, da mesma forma que acontece em Limit Breaks. Nas batalhas, os jogadores vão notar os relacionamentos e vínculos que se criaram entre os personagens muito mais do que no jogo anterior. Nós também adicionamos árvores de habilidades como um novo elemento de desenvolvimento dos personagens. É possível desbloquear habilidades de sinergia nelas também. Diversos novos tipos de Matéria com novas habilidades que não existiam no primeiro jogo estão disponíveis, então os jogadores terão ainda mais opções para personalizar e criar os equipamentos dos personagens.

As pessoas puderam ver um pouco do Red XIII no meio de uma luta no novo trailer. Agora, é possível controlá-lo diretamente. O que podemos esperar em relação às habilidades dele que o tornam diferente (e um ótimo integrante de grupo) nas batalhas do Final Fantasy VII Rebirth? 

Hamaguchi: A equipe de desenvolvimento se desafiou com o objetivo de dar ao Red XIII um novo estilo de jogo que era diferente dos estilos dos outros personagens. O Red XIII não tem só um medidor de ATB, mas também uma mecânica única de “medidor de vingança”. Esse medidor é carregado quando ele se protege de ataques inimigos e permite que ele use diversas habilidades quando cheio. Nós desenvolvemos o Red XIII como um novo tipo de personagem que exige um equilíbrio entre estratégia ofensiva, com o medidor de ATB, e estratégia defensiva, com o medidor de vingança.

Vimos o Red XIII e Cait Sith como personagens jogáveis e o vídeo também mostra outro personagem que parece ser o Vincent. Ele vai ser jogável também? O grupo vai ser expandido?

Nomura: Todo mundo que fazia parte do grupo original está presente em Final Fantasy VII Rebirth. No jogo anterior, Final Fantasy VII Remake, o Red XIII se tornou uma companhia na segunda parte. Mas a partir de Final Fantasy VII Rebirth, ele vai ser um integrante oficial e jogável do grupo. Há também personagens que serão companhias em Final Fantasy VII Rebirth e se tornarão parte oficial do grupo no próximo jogo.

Também vimos um pouco de Alexander e Odin! Veremos mais invocações de FFVII em Rebirth e invocações do Remake vão retornar?

Hamaguchi: Haverá várias invocações no jogo além das que foram reveladas nos nossos vídeos anteriores, incluindo o retorno de algumas do Final Fantasy VII Remake. Na verdade, a seleção de invocações foi modificada para ir além do jogo anterior, com conteúdo secundário inédito, ampliado e baseado em uma invocação que não apareceu no Final Fantasy VII original e várias outras além dela.

Ao entrarem na Junon do jogo original, os jogadores podiam participar de outro minijogo único. Vimos o desfile e muitos outros minijogos no novo trailer. O minijogo do Final Fantasy VII original ainda vai ser jogável?

Hamaguchi: Sim, esse minijogo vai ser jogável. No entanto, aumentamos muito o escopo dele em comparação com o Final Fantasy VII original. Nesse jogo, o Cloud se infiltra em uma das unidades do desfile e participa da apresentação. Mas, em Final Fantasy VII Rebirth, ele se torna o líder dessa unidade e pode mudar a composição dos soldados que estão no desfile. A composição escolhida vai afetar a apresentação e, naturalmente, como o minijogo será jogado. O desfile para comemorar o começo da presidência de Rufus na Shinra é o auge da primeira parte do jogo original. Por isso, a equipe de desenvolvimento adorou criar todos os detalhes dele. É um dos momentos que eu espero que os jogadores mais gostem.

Falando nisso, vimos uma parte divertida do Gold Saucer e os minijogos disponíveis lá. Como os minijogos de FFVII Rebirth se diferem dos originais nessa parte?

Hamaguchi: Acho que muitos fãs citam a variedade de minijogos como um dos atrativos do Final Fantasy VII original. No caso de Final Fantasy VII Rebirth, nós fomos além e criamos uma quantidade de minijogos que supera o jogo original! Vários desses minijogos podem ser jogados durante a história principal, mas também há vários jogos e desafios únicos que acontecem nas histórias secundárias que você pode encontrar enquanto explora o mapa geral. É possível até que alguns jogadores fiquem tão focados nos minijogos que podem acabar não progredindo tanto na história principal…

O Gold Saucer é outro local icônico que os jogadores vão querer muito visitar. Como vocês decidiram recriar esse parque de diversões?

Hamaguchi: As pessoas vão visitar o Gold Saucer pela primeira vez na metade do jogo, mas poderão voltar quando quiserem depois. Para criarmos motivos para elas voltarem, criamos o parque de forma que ele mude constantemente e ofereça experiências cada vez mais fantásticas a cada visita. Então minijogos inéditos são adicionados e modos mais difíceis são desbloqueados à medida que a história principal progride, oferecendo mais atividades no local. Não são só os minijogos. E as partes do Gold Saucer vistas na história principal também foram completamente refeitas e atualizadas, então esperem coisas incríveis lá.

O trailer também mostra momentos do grupo explorando áreas abertas exuberantes. Como essas áreas maiores funcionam no contexto do gameplay e da história? 

Hamaguchi: Assim que a equipe sai de Midgar, o objetivo principal dela e de Cloud em Final Fantasy VII Rebirth é ir atrás de Sephiroth no mundo expansivo em que eles se encontram. Nós demos muito ênfase à exploração nesse jogo, já que queríamos criar aquela sensação de sair em uma aventura ao redor do mundo procurando indícios dos movimentos de Sephiroth.

Agora que se passaram alguns anos desde que vocês começaram a recriar locais icônicos de Final Fantasy VII e considerando o sucesso de Final Fantasy VII Remake, vocês sentem uma pressão menor para atender às expectativas dos fãs quando reinventam as áreas e os momentos que eles mais gostam? 

Hamaguchi: Como Final Fantasy VII Rebirth levará os jogadores para vários locais do mundo do jogo, tivemos que recriar o gigantesco mapa geral de Final Fantasy VII para que contivesse também locais como cidades e masmorras. Para fazer isso, estudamos bastante o sentimento que cada região evocava e refletimos isso nos gráficos. Criamos áreas que são bem diversas. Além disso, criamos chocobos únicos para cada região, que têm suas próprias habilidades (por exemplo, chocobos montanheses que podem escalar locais íngremes, chocobos celestes que podem voar etc.). Os jogadores poderão usá-los para explorar as regiões totalmente. Espero que eles se divirtam bastante com esse aspecto da exploração!

Final Fantasy VII Remake ofereceu novas interpretações de locais e momentos clássicos, bem como novidades que enriqueceram o jogo. Esse equilíbrio também existe em Final Fantasy VII Rebirth? 

Kitase: Assim como no jogo anterior, tentamos criar o equilíbrio correto entre cenas já conhecidas e inéditas em Final Fantasy VII Rebirth, mas também nos desafiamos mais do que em Final Fantasy VII Remake em algumas das cenas inéditas. Eu tenho certeza de que tanto os fãs quanto pessoas que estão conhecendo o jogo agora vão adorar essas cenas.

Qual é a função do mapa geral em Final Fantasy VII Rebirth?

Hamaguchi: O mapa geral é grande e expansivo, então nem todas as áreas nele serão usadas só na história principal. Na verdade, em termos de volume, a quantidade de conteúdos secundários em Final Fantasy VII Rebirth é quase o dobro do conteúdo da história principal. Quem quiser aproveitar mais o cenário de Final Fantasy VII poderá explorar todos os cantos do mundo e descobrir muitas experiências diferentes e emocionantes, como novas histórias, batalhas e minijogos. Também será possível retornar a qualquer uma das regiões, mesmo após a história principal passar de lá, então você não vai precisar ficar pensando se deixou algo para trás ou sem terminar.

Considerando que se trata de uma continuação de Final Fantasy VII Remake, os jogadores podem transferir os arquivos salvos e personagens que tiverem para Final Fantasy VII Rebirth? 

Hamaguchi: Nós anunciamos o projeto de remake de Final Fantasy VII como uma trilogia e que cada jogo será independente. Por causa disso, o balanceamento deles é feito de forma separada, e os níveis e habilidades dos jogadores não serão transferidos de um título para outro. No entanto, nós criamos bônus especiais para os fãs que jogaram o jogo anterior, permitindo que comecem com algo a mais.

O que vocês podem falar sobre a trilha sonora de Final Fantasy VII Rebirth? 

Kawamori: O mundo de Final Fantasy VII Rebirth é muito maior do que o de Final Fantasy VII Remake. Por causa disso, a equipe criou uma série de músicas novas para o jogo. Nós também ampliamos a variedade de gêneros musicais desta vez, então acho que vai ter muitas coisas para o pessoal curtir. Nós também criamos, é claro, novos arranjos das músicas do Final Fantasy VII original, então espero que os fãs gostem de comparar as duas versões da mesma música para ver o que mudou. Por exemplo, a música do trailer que saiu agora é um novo arranjo do tema principal de Final Fantasy VII como tema de batalha e dá uma ideia da direção que a equipe escolheu usar em Final Fantasy VII Rebirth.

Qual foi o conceito por trás do novo trailer?

Nomura: Cada trailer tem um propósito específico. Já que se trata do segundo título do projeto de remake de Final Fantasy VII, há pessoas que jogaram o título anterior e fãs entusiasmados que acompanham os mistérios do universo do jogo, mas há também quem está chegando agora ou que simplesmente tem interesse na franquia Final Fantasy VII. Para essas pessoas, nós decidimos incluir uma visão geral do tipo de experiência que elas terão no remake. Então, o mistério em relação à história é menor desta vez, mas esperem o próximo trailer.

Houve uma cena com Cloud e Sephiroth lutando juntos. Os jogadores vão poder controlar o Sephiroth em Final Fantasy VII Rebirth?

Nomura: Se você jogou o Final Fantasy VII original, aposto que sabe qual é essa cena. Você poderá controlar o Sephiroth na mesma cena no título atual, como foi no original.

O Gold Saucer aparece no novo trailer, mas os jogadores vão poder ver a tão esperada cena do encontro na roda gigante também?

Nomura: Claro. É um dos destaques do Gold Saucer, então está incluída no jogo. E ela vai ficar muito legal em Final Fantasy VII Rebirth, por causa do visual em alta resolução.

Final Fantasy VII Remake contou a história até a fuga de Midgar. Até que ponto Final Fantasy VII Rebirth vai nos levar?
Nomura: Já falamos disso antes, mas a ordem de exploração dos locais não é a mesma do Final Fantasy VII original. Algumas coisas foram mudadas. Por exemplo, Wutai, que é um dos locais principais, não faz parte da rota de Final Fantasy VII Rebirth. Essa nação será visitada no próximo jogo. Apesar da mudança na ordem dos locais, os que aparecem em Rebirth vão até a “Capital Esquecida”, onde o principal momento de Final Fantasy VII aguarda você.