Após o lançamento de Horizon Zero Dawn para computadores, era completamente natural que a Sony Interactive Entertainment desse o próximo passo em sua nova estratégia. O escolhido desta vez é Days Gone, título desenvolvido pela Bend Studio e um dos lançamentos de peso da marca PlayStation em 2019. Mas como será o desempenho do jogo sem a limitação imposta pelo hardware dos consoles?

O foco deste review se concentra nas características do jogo rodando em sua versão para PC, portanto, caso deseje uma análise mais aprofundada em relação ao gameplay e enredo do título, você pode conferir a nossa análise de Days Gone.

Um dos principais fatores que me levaram a apostar no PlayStation como uma das minhas plataformas favoritas para jogar foi a qualidade indiscutível de seus jogos. Os títulos first-party da Sony possuem uma magia contagiante e irresistível, que o leva para vivenciar as mais diferentes e emocionantes aventuras possíveis. Seja ela no Japão antigo ou em um mundo primitivo tomado por máquinas, sua diversão está sempre garantida. Dito isso, se você conhece o histórico de jogos PlayStation, se torna no mínimo redundante descrever Days Gone para PC.

O título da Bend Studio já era belíssimo no PlayStation 4 e, ainda que tenha sofrido de problemas técnicos durante o lançamento, é uma experiência no mínimo obrigatória para donos do console. Mas devo admitir que se você procura obter a experiência definitiva que o título tem a oferecer, a versão de PC é, sem sombra de dúvidas, a mais indicada.

Logo de início já é possível perceber as melhorias que o PC pode proporcionar à experiência. A performance do título é elevada a outro nível ao ser executado em 60 quadros por segundo (opção também disponível no PS5). Tudo torna-se mais fluído e natural, seja o lento balançar das árvores com o vento, ou a movimentação desorganizada e caótica dos frenéticos enquanto o perseguem.

Claro, caso possua um monitor de 144hz (e um computador mais potente), é possível destravar a limitação de frames por segundo do jogo para desfrutá-lo em condições ainda melhores. Nos testes realizados em nossa máquina, o título manteve uma média de 75 quadros por segundo nas configurações máximas, com quedas acentuadas para 60 ou 55 quadros em situações com muitos inimigos na tela. É óbvio que cada computador terá um desempenho diferente, mas o jogo oferece uma boa gama de opções gráficas, que podem ser ajustadas para melhorar a sua experiência.

Quanto às melhorias gráficas, Days Gone no PC oferece alguns upgrades visuais em relação ao PlayStation 4. O jogo é belíssimo nas configurações máximas, entretanto isso é mais perceptível quando compara-se a qualidade das texturas e a renderização de folhagens com o PS4. Os efeitos de iluminação e sombras, por sua vez, estão mais definidas e acentuadas, algo que certamente não era possível nos consoles devido à limitação do hardware.

Abaixo você pode conferir o desempenho do título nas configurações mínimas e máximas. É preciso reforçar que a escala de renderização não foi alterada, permanecendo na distância padrão de 100. É possível elevá-la até 200, aumentando consideravelmente a qualidade de objetos mais distantes, mas isso impactará negativamente na taxa de quadros. De qualquer modo, o tamanho do campo de visão proporcionado na versão de PC é significativamente superior à versão dos consoles.

Os resultados anteriores foram obtidos com a resolução configurada em 1920×1080 e com HDR desligado, porém Days Gone é capaz de alcançar resoluções de até 4K no PC. Infelizmente, isso demanda bastante poder de processamento e não fomos capazes de alcançar uma taxa de quadros aceitável para rodar o jogo em 4K. Apesar disso, vale lembrar que o título também oferece suporte para monitores UltraWide, algo que tem se tornado cada vez mais comum nos jogos recentes.

Em relação aos loadings, é preciso apontar que o jogo foi executado a partir de um HD normal de 7200 rpm, resultando em telas de carregamento que duravam entre 20 e 40 segundos. Obviamente esse tempo pode ser bastante otimizado caso você opte por instalar o título em um SSD.

Assim como o port de Horizon Zero Dawn, Days Gone oferece suporte para controles da Sony, como o DualShock 4 e o DualSense, e basta conectá-los via usb para aproveitar o título, como se estivesse jogando-o por meio de um console PlayStation. Entretanto, é preciso deixar claro que as funções de feedback háptico e gatilhos adaptáveis do DualSense estão ausentes, ao menos por enquanto.

Para ser sincero algo que me desagradou bastante na versão de PC foi o layout dos botões do teclado. É bastante desconfortável realizar as ações do menu de criação do jogo, assim como selecionar itens diferentes na roda de armas. Esse tipo de mecânica é algo que em minha opinião funciona melhor em joysticks. Entretanto, é possível customizar a UI através das opções de acessibilidade para tornar a experiência mais agradável.

Em relação a conteúdo adicional, a versão para computador de Days Gone trás consigo todas as atualizações que foram adicionadas após o seu lançamento. Isso inclui os modos de desafio semanais, modo sobrevivência, New Game+ e visuais extras para a moto.

Mesmo com os elogios tecidos até então neste review, é preciso lembrar que este port não está totalmente perfeito. Problemas como atraso na renderização de objetos e alguns bugs com a física do jogo chegaram a ocorrer, ainda que em pequena escala. Em alguns casos, o áudio das cutscenes estava sendo reproduzido fora de sincronia com a imagem. Este problema, por sua vez, ocorre com certa frequência, mesmo com a reinstalação do título. Dito isso, com base na data em que você está lendo este artigo, é possível que os problemas aqui citados tenham sido solucionados por meio de atualizações.

Veredito

Se você ainda não teve a oportunidade de jogar Days Gone e possui um bom PC gamer, saiba que esta é a oportunidade perfeita para conhecer este título incrível que nasceu na geração passada. Sua versão para PC é, sem sombra de dúvidas, superior em diversos aspectos à sua versão original para PlayStation 4, sendo o melhor local para se ter a experiência definitiva com o título.


Configurações do PC Utilizado

  • Placa-Mãe: ASRock H310CM-HG4
  • CPU: Intel i5-9400F 2.9ghz
  • GPU: Radeon RX 580 Armor 8gb
  • RAM: 8gb DDR4
  • HD Toshiba 1TB Sata III 3.5 7200RPM

Configurações Mínima e Recomendada

Mínima

  • Sistema operacional e processador de 64 bits
  • OS: Windows 10 64-bits
  • Processador: Intel Core [email protected] or AMD FX [email protected]
  • Memória: 8 GB RAM
  • Gráficos: Nvidia GeForce GTX 780 (3 GB) ou AMD Radeon R9 290 (4GB)
  • DirectX: Version 11
  • Armazenamento: 70 GB

Recomendada

  • Sistema operacional e processador de 64 bits
  • OS: Windows 10 64-bits
  • Processador: Intel Core [email protected] ou Ryzen 5 [email protected]
  • Memória: 16 GB RAM
  • Gráficos: Nvidia GeForce GTX 1060 (6 GB) ou AMD Radeon RX 580 (8GB)
  • DirectX: Version 11
  • Armazenamento: 70 GB

Onde Comprar

Este artigo de impressões foi possível graças a uma cópia digital da Steam gentilmente cedida pela Sony Interactive Entertainment.