Confira abaixo as notas dos reviews da revista britânica EDGE #370 em sua edição lançada hoje para assinantes.


Elden Ring – 10

Não pela primeira vez, um jogo de Miyazaki chegou e a paisagem parece transformada. À medida que você joga, há uma sensação de placas se movendo abaixo de você, dos T&Cs do desenvolvimento de jogos sendo reescritos. Não nos sentimos assim desde o Breath of the Wild.

Gran Turismo 7 – 9

Além de sua excelência técnica, então, Gran Turismo 7 parece profundamente, idiossincraticamente pessoal de uma forma que os jogos first party raramente fazem. É estranho e às vezes restritivo, decididamente nada legal e em sua celebração sincera da cultura do carro, às vezes até um pouco arrogante. Mas este é um simulador de corrida com alma real, realizado com paixão genuína e não pouca excentricidade. Vinte e cinco anos depois, o Gran Turismo nunca foi tão vital.

Tunic – 8

Quando Tunic aponta para os jogos Zelda de antigamente, algo que faz com a sutileza de um controle de tráfego aéreo, está indicando uma tentativa de remover as décadas intermediárias e voltar à sensação de jogar esses jogos pela primeira vez, quando eles ainda seguravam o que parecia um mistério sem fundo. Com certeza você será recompensado.

Triangle Strategy – 8

Mas é difícil negar que o estratagema mais eficaz da Square é o tempo que leva para investir você no destino deste continente atingido pela guerra e de todos os que lá estão….

Destiny 2: A Bruxa-Rainha – 7

O que deveria ser uma recomendação fácil é, em vez disso, carregado de ressalvas: esta é uma boa expansão, uma base sólida para o próximo ano de atualizações e um péssimo lugar para os recém-chegados começarem.

Kirby and the Forgotten Land – 8

Não que a FromSoftware esteja tremendo em suas botas. De fato, aqueles que nunca entenderam o apelo de Kirby dificilmente serão convencidos por sua mudança para o 3D. Mas, fora isso, esta aventura compacta e imaginativa é um triunfo discreto, uma obra de grande habilidade e inteligência que, ao contrário de sua liderança, não morde mais do que pode mastigar. E isso só deixa você com fome de mais.

Martha is Dead – 4

Esse mergulho miserável na psique de uma jovem traumatizada não é tão horrível, então, é simplesmente desagradável.

Total War: Warhammer III – 8

Ele traz uma das maiores adaptações licenciadas de jogos para uma conclusão estrondosa.

Norco – 7

Não espere uma conclusão, exatamente, ou muito mais feliz do que o início, mas a sucessão de momentos cada vez mais estranhos que o levam até lá é irresistível. Suspeitamos que são estes que viverão na nossa memória, pois as arestas dos jogos são corroídas pelo tempo.

Lost Ark – 7

Nenhum clássico então, mas Smilegate entregou uma brincadeira grande, boba e cheia de personalidade que é melhor vivida com os amigos.

Crossfire X – 3
Far: Changing Tides – 7