De acordo com o site Bloomberg, um e-mail do chefe da PlayStation, Jim Ryan, foi enviado na quinta-feira que pedia aos funcionários que “respeitem as diferenças de opinião” sobre o direito ao aborto antes de entrar em cinco parágrafos detalhados sobre o primeiro aniversário de seus dois gatos.

O e-mail começa abordando vários eventos atuais, incluindo o recente vazamento de um projeto de parecer da Suprema Corte dos EUA que sinalizava a intenção de derrubar o histórico caso Roe v. Wade, de 1973, que legalizou o aborto em todo o país. Muitas corporações sentiram a pressão dos funcionários para comentar o caso, mas a maioria das empresas de videogames permaneceu em silêncio sobre o assunto.

Existem algumas exceções notáveis, no entanto, como a Bungie, desenvolvedora do jogo Destiny, que chamou a decisão de “um ataque direto aos direitos humanos” em um post no blog na semana passada. “Defender a escolha e a liberdade reprodutiva não é uma decisão difícil de tomar”, disse a Bungie, recebendo reações amplamente positivas de seus funcionários.

No e-mail visto pelo Bloomberg, o presidente da PlayStation, Jim Ryan, não se posicionou sobre o direito ao aborto, mas escreveu que a empresa e sua comunidade são “multifacetadas e diversificadas, com muitos pontos de vista diferentes”. Ele escreveu que “devemos uns aos outros e aos milhões de usuários da PlayStation respeitar as diferenças de opinião entre todos em nossas comunidades internas e externas. Respeito não é igual a acordo. Mas é fundamental para quem somos como empresa e como uma marca global valorizada”.

Ryan então escreveu que “gostaria de compartilhar algo alegre para ajudar a inspirar todos a estarem atentos ao equilíbrio que pode ajudar a aliviar o estresse de eventos mundiais incertos”, dizendo que recentemente foi o primeiro aniversário de seus dois gatos e elaborando em seguida sobre os bolos de aniversário de seus gatos, seus barulhos e seu desejo de um dia ter um cachorro.

Em discussões internas vistas pelo Bloomberg, funcionários de vários estúdios da PlayStation expressaram seu descontentamento com o tom do e-mail. Algumas mulheres escreveram que sentiram que seus direitos foram desrespeitados ou banalizados pela mensagem. Um funcionário disse que “nunca ficaram tão bravos com um aniversário de um gato antes”.