Um novo relatório do Wall Street Journal alega que o CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, estava ciente de várias alegações de má conduta sexual na empresa, algumas das quais ele supostamente ocultou de seu conselho, e também o acusa de maltratar pessoalmente várias funcionárias.

A empresa está enfrentando atualmente várias investigações regulatórias sobre agressões sexuais e assédio a funcionárias, muitas das quais centradas em torno da Blizzard.

No entanto, o Wall Street Journal (via VGC) afirma que casos de agressão sexual e maus-tratos têm sido generalizados na empresa, incluindo nos estúdios Treyarch e Sledgehammer Games de Call of Duty.

Embora Kotick supostamente tenha dito aos diretores da empresa e outros executivos que não tinha conhecimento de muitas das alegações, o WSJ afirma ter recebido evidências que diz o contrário, incluindo entrevistas com ex-funcionários e documentos internos da Activision.

As evidências coletadas sugerem que Kotick estava ciente de várias alegações de má conduta de funcionários em muitas partes da empresa e que ele optou por não informar o conselho de administração sobre tudo o que sabia. Isso inclui o suposto estupro de um ex-funcionário(a) da Sledgehammer Games por um supervisor do sexo masculino em 2016 e 2017 – uma questão que foi resolvida fora do tribunal.

E depois que o co-diretor da Treyarch, Dan Bunting, foi acusado de assédio sexual em 2017, o assunto foi investigado pelo departamento de RH da Activision e foi recomendado que ele fosse demitido, mas Kotick supostamente bloqueou a ação. Bunting teria deixado a empresa depois que o WSJ investigou o incidente. Kotick também foi acusado de maltratar várias funcionárias, incluindo deixar uma mensagem de voz em 2006, na qual ameaçava matar uma assistente.

Um porta-voz da Activision disse sobre a acusação: “Sr. Kotick rapidamente se desculpou há 16 anos pela mensagem de voz obviamente hiperbólica e inadequada, e ele lamenta profundamente o exagero e o tom de sua caixa postal até hoje”. Em outra declaração, um porta-voz da Activision disse que o “Sr. Kotick não teria sido informado de todos os relatórios de má conduta em todas as empresas Activision Blizzard, nem seria razoável esperar que ele fosse atualizado sobre todas as questões de pessoal”.

O porta-voz também forneceu um comunicado atribuído ao conselho da Activision, que disse ter sido “informado em todos os momentos a respeito da situação das questões regulatórias” e negou que Kotick tivesse dito que os problemas da empresa eram restritos à Blizzard.