A Bungie está processando um YouTuber de Destiny 2 que supostamente revidou as remoções de DMCA em sua conta, apresentando falsas alegações de DMCA, em nome da Bungie, contra outros streamers e o próprio estúdio. O processo da Bungie, aberto em um tribunal federal na quarta-feira, pede pelo menos US$ 7,6 milhões em danos.

DMCA é a sigla para Digital Millennium Copyright Act. Ou seja, basicamente copyright. No YouTube, as empresas podem se basear no DMCA para que conteúdos sejam removidos – como trailers vazados ou filmes completos.

A denúncia alega que Nicholas Minor, que transmitiu sob o nome Lord Nazo, criou dois endereços falsos do Gmail se passando por funcionários da CSC Global, uma empresa de gerenciamento de direitos autorais que representa a Bungie. O processo diz que Lord Nazo usou esses endereços em fevereiro para enviar 96 demandas de remoção do YouTube, citando a Lei de DMCA de 1998.

As remoções envolveram vídeos postados por YouTubers My Name is Byf (que tem 974.000 inscritos); Aztecross (615.000) e a própria conta do YouTube da Bungie. “O ataque de Minor enviou ondas de choque pela comunidade de Destiny”, dizia a queixa. “Os criadores de conteúdo descreveram o efeito assustador que as falsas remoções tiveram em seu próprio trabalho, dizendo: ‘estou com medo de fazer novos vídeos de Destiny, quanto mais manter os que já fiz'”. No caso do YouTube, se o canal recebe três strikes (avisos de vídeos removidos), ele é apagado do site.