AnálisesPS4

Ys VIII: Lacrimosa of DANA

Análise

NOME: Ys VIII: Lacrimosa of DANA
FABRICANTE: Nihon Falcom
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Ação / RPG
DISTRIBUIDORA: NIS America

LANÇAMENTOS
12/09/2017 12/09/2017 25/05/2017


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p

Nº de Jogadores: 1

Troféus (com Platina)

Espaço necessário: 14,6 GB

Disponível na PlayStation Store


Ys é uma série de jogos centrada nas viagens do aventureiro Adol Christin, sendo que cada um dos jogos é responsável por detalhar uma dentro de centenas de suas aventuras. Esse formato permite à produtora Falcom criar quantos jogos Ys desejar e, ao mesmo tempo, permite que jogadores possam conhecer a série em praticamente qualquer ponto. A série Ys é responsável por alguns dos melhores ARPGs no mercado e, felizmente, Ys 8 é tanto um de seus melhores títulos quanto um dos melhores jogos no ano.

Ys 8 começa com Adol e seu companheiro de aventuras, Dogi, a bordo do cruzeiro de luxo Lombardia, navegando os mares gregos rumo ao Leste. Infelizmente para Adol, Dogi e todos os outros passageiros do cruzeiro, o navio é atacado por um monstro marítimo gigante e naufraga. Todos logo se encontram na ilha amaldiçoada de Seiren, temida pelos misteriosos naufrágios próximos a ela e por ninguém conseguir retornar da mesma com vida.

Os sobreviventes do naufrágio logo se organizam em uma espécie de pequena vila para se proteger do ataque de criaturas nativas da ilha e procurar alguma forma de escapar de lá. Devido a sua experiência como aventureiro, Adol fica encarregado de explorar e criar um mapa da ilha, além de buscar outros sobreviventes do naufrágio e recursos naturais que possam ajudar a vila.

Ys 8 é um refinamento do formato utilizado anteriormente em Ys 7 e Ys Memories of Celceta, em que a história recebe uma grande exposição, fazendo com que o ritmo do jogo sofra devido a algumas cutscenes relativamente longas ou muito frequentes. De forma semelhante, personagens menores também têm momentos especiais que os desenvolvem para além de seus simples estereótipos e se tornem pessoas legitimamente interessantes. Felizmente, os dois alicerces principais da série Ys, exploração e combate, continuam excelentes.

A exploração de Ys 8 leva Adol para os diferentes biomas da ilha de Seiren como praias, florestas, pântanos e outros lugares muito mais surpreendentes. As áreas são usualmente abertas e interligadas em pontos específicos, com algumas áreas especiais servindo como dungeons e com um level design mais intrincado. Todas as regiões possuem tesouros para serem encontrados e recursos naturais para serem recolhidos e todos auxiliam de alguma forma no crescimento de Adol e de outros membros da equipe. É possível trocar recursos naturais mais raros por uma variedade de outros mais comuns e vice-versa ou utilizá-los como material para melhorar seus equipamentos ou a vila.

Em diversos momentos existe algum obstáculo que impede o progresso do jogador, sendo necessário obter um equipamento especial para progredir ou encontrar mais sobreviventes do Lombardia. Esse é um dos vários incentivos para retornar a locais já visitados, seja para encontrar novos tesouros, novas áreas opcionais ou simplesmente coletar mais materiais necessários à vila.

O combate de Ys 8 é em tempo real e utiliza uma equipe de três pessoas, sendo que o jogador tem controle pleno de apenas uma delas e as outras duas ficam como suporte ofensivo ou defensivo. O jogador tem a opção de rapidamente trocar o controle entre os personagens da equipe e essa é uma estratégia vital, já que alguns inimigos possuem fraquezas a tipos específicos de ataque. O combate tem um ritmo bastante rápido, fazendo com que batalhas individuais acabem de maneira bem rápida, além de contar com mecânicas como habilidades únicas de cada personagem, esquivas e defesas que, caso sejam perfeitas, garantem um bônus na velocidade e dano e muito mais.

O conjunto da obra é o que torna o combate de Ys divertido, desafiador e eficiente. Inimigos fracos são despachados em poucos segundos e derrotá-los pode garantir uma quantia mínima de experiência, recursos e até mesmo experiência para suas habilidades, fazendo com que qualquer combate contribua para o crescimento dos personagens. No entanto, um inimigo forte pode derrotar os personagens com facilidade, passando uma verdadeira sensação de perigo quando necessário. Em um momento achei que minha equipe estava muito forte, pois estava derrotando a maior parte dos inimigos com facilidade. Um boss, duas cutscenes e 30 minutos depois, eu estava usando quase todos meus itens de cura para sobreviver a novos inimigos que encontrei. Absolutamente sensacional.

Um dos grandes pontos da série sempre foram os chefes e Ys 8 continua essa tradição, apesar de haver um excesso deles dessa vez. Em alguns momentos a luta faz sentido, mas vários outros passaram a sensação de que colocaram um chefe ali na base do "porque não?". Felizmente, todas essas várias lutas continuam excelentes e realmente testam as habilidades dos jogadores, além de possuírem trilhas sonoras absolutamente maravilhosas, como também é padrão da série.

Ys 8 no PS4 difere consideravelmente da versão de Vita, sendo que a versão console roda a 60 quadros por segundo, tem um polimento visual melhorado e também possui uma quantidade significativa a mais de conteúdo, especialmente com a personagem Dana. Conteúdo também é algo que não falta em Ys 8 como quests opcionais, invasões, supressões, versões alternativas de algumas áreas e mais.

Veredito

Ys 8 é um polimento no formato iniciado em Ys 7 e posteriormente refinado em Ys Memories of Celceta. Também é um dos títulos mais ambiciosos da Falcom até o momento. Essa ambição gerou frutos, pois Ys 8 é um dos melhores jogos da série, um dos melhores ARPGs no ano e um título obrigatório para donos de PS4 ou Vita.  

Jogo analisado com código fornecido pela NIS America.

95%