AnálisesPS3

Street Fighter x Tekken

Análise

NOME: Street Fighter x Tekken
FABRICANTE: Capcom
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Luta
DISTRIBUIDORA: Capcom


LANÇAMENTOS
09/03/2012 09/03/2012 08/03/2012


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Definição: 720p

Downloadable Content (DLC)

Multiplayer: 2-4 (offline e online) / 8 (lobby)

Troféus

Headset

Arcade Stick

Espaço Mínimo no HDD: 18 MB


Street Fighter x Tekken é um dos crossovers que ninguém poderia ter imaginado, principalmente pelo estilo de luta diferente dos dois jogos. Mas a Capcom conseguiu. Inseriu de forma convincente diversos personagens de Tekken no universo Street Fighter e também colocou muitos mecanismos novos para as pessoas acostumadas com Street Fighter IV (engine base de SFxT).

SFxT possui tantos mecanismos novos que, a primeira coisa que o jogo pede para você fazer é conferir o tutorial. Ele explica de forma detalhada desde o básico como movimentação, passando por golpes especiais (apesar de SF já ter 25 anos de estrada, ainda temos pessoas que não sabem dar Hadouken) e chegando a elementos novos como trocar de parceiros, sistema de gemas e assim por diante.

Sistema de parceiro é algo crucial neste jogo. Você monta uma dupla que mais lhe agradar e, a partir desse fato, existem alguns sistemas: o básico seria a troca durante a luta, algo que precisará ser feito pois, se um dos dois personagens for nocauteado, o round será finalizado. Não é como Marvel vs Capcom, por exemplo, que a luta só termina quando todos forem nocauteados. A troca pode ser feita de forma simples, apertando chute médio (CM) + soco médio (SM), ou mais complexa e de forma segura, como no meio de Cross Assaults (espécie de “Super Combo” que faz os dois personagens atacarem) ou com trocas no meio de combos, apertando-se CM+SM no meio da animação de um golpe.

Com esse sistema, algo interessante e descontraído surge: a possibilidade de jogar em quatro pessoas, ao invés de apenas duas. Existe, inclusive, um modo que ficam os quatro personagens na tela em uma zona completa chamado Scramble Mode.

Outro mecanismo polêmico de SFxT são as gems. Gems são pedras preciosas que você configura em seu personagem. Existem seis tipos diferentes: ataque, defesa, velocidade, barra, vida e assistência. Os três primeiros são básicos: realize determinadas ações (defenda cinco vezes um ataque normal ou acerte três movimentos especiais, por exemplo) e a gem ficará ativa na luta por um certo tempo, proporcionando uma % de ataque, defesa ou velocidade, dependendo do que você escolheu para o personagem. A barra é semelhante, porém fornece o acréscimo mais rápido da barra de “Super”. Já a vida permite que você recupere a sua vida literalmente, porém lentamente. E, finalmente, a assistência só será usada por novatos: são oferecidas coisas como se livrar de um agarrão automaticamente, a facilidade de dar movimentos especiais e assim por diante. No entanto, nesse último caso, o “pagamento” por isso é bastante severo: metade da barra especial será consumida para escapar do agarrão automaticamente e a facilidade de dar movimentos especiais torna seus ataques 10% menos poderosos.

Além das gems e várias outras coisas básicas que não serão discutidas aqui, há mais sistemas novos, como uma espécie de counter. Como o jogo é agressivo – você, na maior parte do tempo, estará indo atrás do seu adversário – há situações que poderá estar defendendo o tempo todo. Para isso, basta apertar para frente e chute forte + soco forte, o que atacará o adversário instantaneamente e gastará um pouco da barra especial.

Enfim, Street Fighter x Tekken possui muitos mecanismos (até demais) que os jogadores precisarão se acostumar e, em alguns casos, aprender literalmente do zero.

SF x T possui um grande número de personagens: 43, para ser mais exato, na versão de PlayStation 3, incluindo adições inusitadas como Pac-Man, Mega Man e Cole (de inFamous).

Navegando pelas opções do jogo, você encontrará o clássico Arcade, que possuirá duas variações dependendo do time que escolher. Se escolher um aleatório, a história será curta e genérica. Porém, se escolher uma dupla que o game definiu (por exemplo, Ryu e Ken ou Nina e Kazuya), a história será contada para essa dupla. A abertura deixa a desejar, contando apenas com uma narração e artworks paradas. Mas o final é todo animado.

Além do Arcade, temos os modos Versus, Training, Customização, Challenge e Online. O Challenge possui três ramificações: Mission (faça 20 missões definidas que variam desde vencer uma luta com Time Over e sem levar/dar dano até vencer os quatro chefes do Street Fighter II), Trial (são as já conhecidas trials dos jogos de luta – faça combos e movimentos que o jogo pede e complete. Aqui as trials estão mais fáceis) e o Tutorial, caso queira vê-lo novamente ou se não o completou quando iniciou o jogo. A customização engloba coisas como editar os sets de gems, frase para o seu perfil online e a possibilidade de customizar as cores dos personagens. No momento, só existe, basicamente as cores preta e branca. Portanto, você só poderá inserir essas cores em diferentes partes do seu boneco – via DLC gratuito mais cores serão disponibilizadas. Há também o Quick Combo (no padrão, aperte L3 ou R3 para usá-lo), que são combos pré-definidos e servem para ajudar os novatos (gasta 1 barra de super para usá-los na luta).

E, por fim, o modo online. Ele utiliza uma espécie de GGPO modificado, o que tornaria, teoricamente, a jogatina mais fluente. Com brasileiros, na maioria dos casos, o jogo roda muito bem. Porém, quando a luta estiver com lag, há duas coisas irritantes que podem acontecer: por causa do GGPO, o jogo tenta “adivinhar” o que acontece, então muitas vezes você verá seu personagem acertando o golpe, mas, repentinamente, terá animações puladas e o seu adversário pode estar pulando em cima de você. Já o outro problema, e crítico, é o som: sem explicações, os efeitos sonoros da luta são cortados no online. Você pode escutar um Hadouken agora, mas mais tarde na mesma luta, o golpe pode sair sem o grito de Ryu, por exemplo. Novamente: se a luta estiver na situação ideal, isso não acontecerá, mas como estamos no Brasil, prepare-se para passar por esses casos sem sons.

O Online possui as opções que você espera, como Ranked e Player Matches (no caso, Endless), além de um ranking e a possibilidade de ver replays bem idêntico à Super Street Fighter IV. No menu do Online é possível chamar um amigo seu para jogar em duplas.

No fim das contas, Street Fighter x Tekken é um bom jogo. Possui pouco conteúdo single-player como a maioria dos games de luta, mas ao contrário da maioria, está lotado de opções para o modo multiplayer. Há diversos sistemas novos de gameplay a serem masterizados. As gems serão bastante polêmicas e a cada dia que se passa, descobre-se um novo combo infinito no jogo, que provavelmente serão consertados via patch. O modo online é bom, mas pode ser problemático com usuários “lagados”. Há também toda a polêmica de personagens DLCs presentes no disco, mas isso não há o que se fazer – é decisão da Capcom.



— Resumo —


+
Street Fighter e Tekken em um mesmo jogo de forma convincente


+
Modo multiplayer completo e divertido


+
Muitas mecânicas novas no gameplay


+
Tutorial e diversos sistemas para novatos


+
Muito conteúdo no gameplay para os fãs de jogos de luta


+
Modo Arcade com finais animados





Modo Online pode ser bastante problemático





Poucas opções para o single-player





Jogo dependerá de patches de correções e DLCs para se tornar completo

90%