AnálisesPS3

[PSN] Unmechanical: Extended Edition

Análise

NOME: [PSN] Unmechanical: Extended Edition
FABRICANTE: Grip Games
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Puzzle
DISTRIBUIDORA: Grip Games


LANÇAMENTOS
11/02/2015 11/02/2015 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Definição: 1080p

Jogadores: 1

Troféus: Sim

Disponível na PlayStation Store (1.8 GB)


A primeira vez que joguei Unmechanical foi em 2012, próximo ao lançamento para PC, por indicação de um amigo. Vi um vídeo no Youtube e fiquei com um pé atrás. Adoro jogos de puzzle – Portal e Limbo estão entre os meus jogos favoritos – mas ainda faltava algo. Resolvi comprar e dar uma chance ao título. Nunca me arrependi.

A primeira vez que joguei foi inesquecível e passei cerca de cinco horas, que pareceram duas, tentando resolver diferentes problemas para avançar no jogo. Desde então sempre recomendo para amigos e conhecidos quando perguntam por um jogo curto e divertido. Quando foi anunciado para as plataformas PlayStation, fiquei extremamente feliz de pensar que mais pessoas iriam conhecer o jogo.

Logo que comecei a jogar, me fiz a seguinte pergunta: “Será que o jogo continua o mesmo e as mudanças são suficientes para justificar a nova compra?” Gastei pouco mais de três horas para terminá-lo dessa vez e a experiência continuou satisfatória. É claro que o intervalo de três anos ajudou, mas o jogo continua intuitivo e divertido. O título não possui um fator replay que ajude na compra, mas jogá-lo pela segunda vez não foi ruim.

A grande mudança aqui é a inclusão de um novo capítulo, Extended, que na verdade é como se fosse um curta situado no universo do jogo. Demorei cerca de uma hora para terminar essa nova parte e os quebra-cabeças são inteligentes e no nível do original. Na verdade, considerei essa segunda parte como uma breve continuação do título, um spin-off.

O jogo se passa em um mundo subterrâneo, com um visual bastante sombrio e melancólico. Você controla um robô/helicóptero que é levado para esse lugar e precisa resolver os diversos desafios para fugir. O ambiente é muito bonito e bem feito, o que ajuda muito na hora de avançar. Muitas vezes, a solução de um problema está na sala anterior e você precisa se lembrar desses detalhes. A direção de arte é muito bonita e realmente mereceu os prêmios da categoria quando foi lançado em 2012.

O jogo contém diversos tipos de desafios, mas a maioria gira em torno de lógica e uso da física para serem resolvidos. A física do jogo é muito bem feita e bem utilizada. A maneira como tudo é interligado também é interessante e ajuda ainda mais na imersão. Unmechanical tenta contar uma história por trás disso tudo. Você vai juntando os pequenos pedaços e aos poucos desvenda esse segredo. O novo capítulo adiciona fortes elementos ao universo do jogo, sendo algo que vale a pena conhecer.

A trilha sonora é bem feita e ajuda a criar o clima da narrativa. Sons mecânicos, efeitos bem posicionados, tema principal soberbo… O jogo tem uma trilha muito boa. Procurando sobre os prêmios que o jogo recebeu, percebi que venceu na categoria de melhor som (e melhor jogo) no Brazilian International Game Festival em 2012. Merecido.

Os controles estão muito bons nas plataformas da Sony e os análogicos são extremamente intuitivos. O jogo foi anunciado também para o Vita, mas ainda não há data programada. O mais engraçado é que durante todo o tempo eu pensei: “Esse jogo ficaria perfeito no Vita!”. Espero que não me decepcione. É importante também dizer que o jogo conta com a opção de Cross-buy.

Mas nem tudo são flores, ou robôs helicópteros. O jogo não possui nenhum fator replay. Não existem colecionáveis ou muitos segredos. A lista de troféus é bem pequena e provavelmente não é necessário mais que duas vezes para completá-la. O preço é um pouco elevado para o conteúdo oferecido. O jogo é muito curto.

Resumindo, é necessário dizer que adoro Unmechanical e ainda mais a nova versão. Acho que o conteúdo poderia ser um pouco maior, mas não tira o brilho do jogo. Quem não jogou a versão de PC, deve dar uma chance para conhecer esse título incrível. E quem jogou e gostou… acho que vale a pena relembrar essa experiência. Por mais que seja curto e fique devendo em alguns aspectos, não consigo pensar nesse título como algo abaixo da média.

Veredito

Unmechanical retorna depois de três anos, agora aos consoles, e tenta ganhar um novo espaço no gênero que está cada vez mais difundido. Os puzzles continuam incríveis e o universo continua misterioso. Realmente acho que todos deveriam dar uma chance para esse jogo. Fiquei feliz com esse relançamento e o novo conteúdo é bem interessante e elaborado. Espero que o retorno do jogo seja sinônimo de uma possível continuação.

Jogo analisado com código fornecido pela Grip Games.

75%