AnálisesPS3

[PSN] Gatling Gears

Análise

NOME: [PSN] Gatling Gears
FABRICANTE: Vanguard
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Shooter isométrico multidirecional
DISTRIBUIDORA: Electronic Arts


LANÇAMENTOS
28/06/2011 28/06/2011 28/06/2011


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução: 720p

Jogadores: 1 - 2 (local e online)

Leaderboards

Troféus


Gatling Gears (GG) é um dos melhores jogos que pouca gente conhece no PS3. Ele é um jogo de tiro isométrico que utiliza os dois analógicos do controle: um para controlar o personagem e o outro para atirar, tal qual Dead Nation ou Super Stardust HD, por exemplo. Mas, ao contrário do jogo de zumbis, GG é um jogo de cores vivas e brilhantes e tem um dos melhores gráficos de jogos da PSN, e até do PS3 em geral. Além de bonito, GG é divertido e viciante com suas muitas fases e vários colecionáveis. Mesmo possuindo algumas falhas, Gatling Gears é um jogo obrigatório para qualquer fã de shooters e é um excelente exemplar de jogo para criar novos fãs do gênero.

A premissa do jogo é simples: você controla um tanque bípede e deve atirar em tudo que encontrar. O belo mundo em que o jogo se passa está sendo destruído pela intervenção de um império do mal, e cabe a você impedir que isso aconteça. O jogo principal é dividido em 5 missões (mais um prólogo), cada uma delas dividida em várias fases que se passam em ambientes variados, de florestas a cavernas escuras e montanhas nevadas. Todos os cenários foram muito bem criados e possuem detalhes de encher os olhos. Além da campanha principal, ainda há um modo Survival, no qual você deve enfrentar inimigos até não resistir mais. Tudo isso pode ser jogado sozinho ou com um amigo, localmente ou via a PSN. O multiplayer é drop-in / drop-out, ou seja, adicionar ou remover um jogador é rápido e fácil.

 

Como já dito, o jogo é muito bonito, e imagens como as desta análise não fazem jus a esta afirmação. Somente vendo-o em ação você poderá confirmar isso. Os terrenos são muito bem construídos e muitas vezes sofrem modificações dinâmicas durante o jogo e tudo é muito bem feito, com deformações do chão e de edifícios, por exemplo, que fazem um bom uso da física do jogo. Os efeitos de partículas também merecem destaque, com folhas voando perto da tela nas fases da floresta e neve caindo nas montanhas nevadas. O jogo sempre rodou bem comigo, apesar de tantos detalhes visuais e de ter um anti-aliasing bem eficiente, com todas as bordas retas e não picotadas, como é a regra. Não enfrentei quedas de frames em nenhum momento durante minha experiência com o jogo.

O design de arte do jogo é espetacular, com um tema meio retro-futurista, com tanques, aviões e equipamentos que são ao mesmo tempo antigos para os nossos padrões de estética e avançados pela tecnologia. Tudo no jogo parece meio super-deformado, com proporções exageradas tanto nos veículos quanto nas construções. GG me lembra muito Advance Wars nesse sentido, só que ainda mais bonito.

Os controles são ótimos e precisos: o analógico esquerdo controla o seu personagem, enquanto o direito atira a metralhadora na direção em que estiver segurado. O jogo oferece mísseis que causam um dano maior mas que podem ser usados apenas algumas vezes antes de exigirem recarga, bombas que limpam a tela de inimigos, mas que obviamente vem em quantidade limitada, e também upgrades temporários, que permitem alguns segundos de matança ainda mais desenfreada. O movimento do tanque é um tanto quanto lento, e senti falta de algum botão para dar um rush, ou seja, acelerar rapidamente para alguma direção, o que é ótimo para fugir de inimigos e era indispensável em Dead Nation, por exemplo. Seria legal se aqui houvesse algo similar.

 

Tanto o visual do seu tanque quanto as armas dele podem ser melhoradas através de créditos e barras de ouro encontrados pelo cenário. Você também pode adquirir pets, que acompanham o seu personagem pelas fases. Contudo, há poucos itens para adquirir e customizar, fazendo com que você esteja com todos os status no máximo antes de chegar perto do final do jogo, ficando assim com dinheiro inútil que não pode ser gasto em nada.

O jogo também peca pela relativa baixa dificuldade que oferece. Mesmo jogando na dificuldade mais alta eu tive poucos problemas na campanha principal ou mesmo no modo Survival, e isso mesmo sem ter um tanque totalmente evoluído e ainda jogando sozinho. Obviamente algumas seções das fases oferecem uma dificuldade maior, forçando você a lutar para não morrer, mas mesmo assim senti que poderia haver uma dificuldade um pouco mais elevada. Aqueles que gostam de sofrer com dificuldades insanas podem se decepcionar com o jogo.

 

Gatling Gears é um jogo muito divertido, e no final é isto que importa. Ele oferece muita coisa para fazer, de dezenas de fases a um modo Survival, tudo isso permeado por Leaderboards para você comparar suas pontuações com os amigos ou com o resto do mundo. Ele é um dos jogos mais bonitos do PS3, não somente pelos gráficos em si, mas principalmente pela sua direção de arte. Apesar de não ter uma dificuldade elevada e poder ser terminado em poucas horas, ele certamente é muito recomendado para qualquer um, de fãs do gênero a novatos no pedaço.

 

— Resumo —

+ Gráficos belíssimos
+ Direção de arte inspirada
+ Diversas fases em cenários variados
+ Co-op local e online

 

Dificuldade relativamente baixa
Poucas opções de customização

90%