AnálisesPS3

[PSN] Datura

Análise

NOME: [PSN] Datura
FABRICANTE: Plastic / Santa Monica Studio
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Adventure / Puzzle
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment


LANÇAMENTOS
09/05/2012 09/05/2012 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução: 720p

Jogadores: 1

Troféus

Espaço necessário: 879 MB

Disponível na PlayStation Store

PlayStation Move


Datura é um título para a PSN que busca mostrar o lado artístico dos videogames, como Journey. Produzido pela Plastic (e também com a ajuda da Santa Monica Studio), era de se esperar algo assim após o intrigante Linger in Shadows, também de PSN.

Portanto, não espere por ação frenética ou um jogo que faça sentido. Datura é um game curto que está aberto a diversas interpretações. A história começa com você sendo levado por uma ambulância e retirando os fios em seu corpo que monitoram seu batimento cardíaco. Com a enfermeira não notando isso, ela só vê que seu coração não está mais batendo e começa a aplicar choques para reanimá-lo. Isso nos leva a uma floresta. Sim, “do nada”. Esta floresta é o “hub” do game. Você é livre para explorá-la e a cada seção descoberta um mini-game acontece em um lugar diferente. Não vou descrevê-los, pois o jogo é curto e boa parte da experiência é você descobrir sozinho cada um deles e experimentá-los.

Datura claramente foi feito para ser usado com o PlayStation Move. Você controla apenas uma “mão flutuante” que pode interagir com diversos objetos. O game pode ser jogado com o Dual Shock 3, mas não possui a mesma fluidez. Principalmente pelo fato do jogo ser em primeira pessoa e não poder usar o segundo analógico para controlar sua visão, apenas sua mão ao redor da tela. É estranho descrever isso, mas você entenderá jogando.

Datura fornece uma experiência de aproximadamente duas horas, no máximo. Você terá explorado tudo que o game oferece nesse tempo. Não entenderá absolutamente nada da história – como dito, ela é livre para interpretação – e verá que foram poucos os momentos proveitosos.

Não existem extras, não existem dificuldades, nem um motivo para jogar pela segunda vez.

Datura tenta buscar o lado artístico dos games, mas esquece sua essência: o entretenimento. Jogos como Journey conseguem unir os dois lados da moeda, mas Datura focou-se demais na tentativa de impressionar o usuário com suas mensagens duplas que esqueceu do papel principal de um game.

Apesar disso, se você tem curiosidade de jogos nesse estilo, Datura talvez possa ser conferido. Possui gráficos bonitos e uma ambientação interessante. É um jogo que fará você pensar, principalmente no sentido da história. Mas é isso e somente isso. Pois pensar no sentido de solucionar puzzles, esqueça: são todos simples e com soluções óbvias.



— Resumo —


+
História intrigante e aberta a interpretações


+
Gráficos


+
Ambientação





Tempo médio do gameplay é de duas horas no máximo





Busca demais o lado “artístico” esquecendo do entretenimento





Jogabilidade travada





Não existe dificuldade nos puzzles

50%