AnálisesPS3

Plants vs Zombies: Garden Warfare

Análise

NOME: Plants vs Zombies: Garden Warfare
FABRICANTE: PopCap Games
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Tiro em terceira pessoa
DISTRIBUIDORA: Warner Games


LANÇAMENTOS
22/08/2014 22/08/2014 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 720p

Nº de Jogadores: 1-12 (online)

Troféus (inclusive Platina)

Headset

Disponível na PlayStation Store (2.9 GB)


Você gosta de jogos de tiro em terceira pessoa? E de Plants vs Zombies, aquele famoso jogo do estilo tower defense? E se eu te dissesse que a união desses dois gêneros aparentemente tão distintos poderia resultar em um jogo divertidíssimo, tanto para o público casual quanto para o hardcore? Aposto que te deixei curioso, caro leitor. Pois então, convido você a conhecer mais sobre este fantástico jogo através desse texto.

Ao iniciar o jogo, a primeira coisa a ser notada é que Garden Warfare é totalmente multiplayer, o que significa que você não conseguirá jogar se não estiver conectado à internet (nem mesmo coop local – ao menos na versão de PS3). Isso poderia ser um ponto negativo, mas mesmo eu, que não sou fã de jogos que exigem conexão permanente à internet, devo admitir que essa proposta combina muito bem com o game. Garden Warfare entrega uma experiência fantástica de união, táticas e rivalidade entre equipes, algo que não seria possível encontrar em um jogo single player.

Dito isso, é importante destacar os diversos modos de jogo.
O primeiro é o "Operação Jardim", em que você e seus amigos controlam as plantas e precisam defender seu jardim das hordas de zumbis controlados pela inteligência artificial. Para isso, além de contar com ataques próprios, você também pode colocar plantas pelo cenário para auxiliá-lo. Esse modo é o que mais se aproxima do Plants vs Zombies original, mas não requer nem metade da estratégia que era necessária para se avançar no primeiro jogo, o que acaba sendo um ponto negativo.
Existe também o modo “Jardins e Cemitérios”, muito parecido com o Operação Jardim, com a diferença de que os zumbis são controlados por jogadores e as plantas precisam defender vários pontos do cenário. Por fim, há os modos “Derrubada em Equipe” e “Gnomba”, que são respectivamente os tradicionais "Deathmatch" e "Capture the Flag".

De nada adiantaria essa variedade de modos se não houvesse certa variedade de personagens, e felizmente Garden Warfare cumpre esse requisito. Tanto plantas quanto zumbis possuem, cada um, 4 classes diferentes (algo já visto em jogos como Team Fortress 2): existe a classe que cura companheiros de equipe, outra que constrói fortificações, e assim por diante. O mais legal é que mesmo que as classes sejam aparentemente iguais para ambos os grupos, elas possuem características exclusivas para cada um. Por exemplo: existem girassóis e zumbis que podem curar, mas ambos diferem entre si em velocidade e em ataques. Isso gera um grande leque de opções para o jogador, que pode escolher seu personagem de acordo com o estilo de jogo que se adequar melhor.

Para aumentar ainda mais a variedade de opções, o jogo apresenta a possibilidade de customização. Ao final das partidas, você ganha moedas que pode trocar por pacotes de figurinhas. Cada figurinha te dá uma habilidade, um item para customizar a aparência do seu personagem ou até mesmo plantas para você utilizar no modo "Operação Jardim". O mais interessante é que essas figurinhas são muito divertidas de se colecionar; confesso que já gastei uns 15 minutos só comprando pacotinhos diferentes.
Vale destacar que essas moedas do jogo também podem ser compradas com dinheiro real. Felizmente, Garden Warfare não desfavorece aqueles que não concordam com a monetização nos jogos, e se você não quiser gastar nenhum centavo do seu suado dinheiro, pode conquistar moedas virtuais facilmente apenas jogando.

Você pode até pensar que um jogo de tiro não tenha um fator replay muito alto e não te dê maiores motivos para continuar jogando. Mas é aí que Plants vs Zombies: Garden Warfare surpreende, apresentando um interessante sistema de desafios. No game, você só poderá passar de level se cumprir diversos desafios que são propostos durante as partidas. Cada personagem possui um desafio específico, e completar todos requer certa habilidade do jogador.

O jogo foi inteiramente criado através da engine Frostbite 3, a mesma de Battlefield 3 e 4, então espere por cenários e personagens detalhados e muito bonitos. Apesar de alguns poucos bugs, o jogo está realmente lindo e o trabalho que a EA fez ao transportar as plantas e os zumbis para o mundo 3D ficou realmente espetacular.
O mesmo vale para a trilha sonora, que inclui músicas de Plants vs Zombies remixadas e músicas instrumentais. Os efeitos sonoros também estão excelentes; os personagens não falam, mas emitem ruídos que os caracterizam e acabam tornando-os mais carismáticos do que já são.
 

Veredito

Todos sabem que Plants vs Zombies conquistou grande sucesso devido ao seu humor característico e à sua jogabilidade simples, criativa e estratégica. A boa notícia é que quase tudo isso se manteve em Garden Warfare e os fãs vão reconhecer aqui várias características que fizeram o jogo da PopCap famoso. Aliado a isso, temos um shooter criativo, com mecânicas simples e que ao mesmo tempo consegue agradar ao público hardcore. Mas nem tudo são flores: toda a estratégia que era necessária em Plants vs Zombies está ausente em Garden Warfare, o que pode decepcionar os fãs. O jogo também apresenta alguns poucos bugs, mas nada que atrapalhe a experiência.

Jogo analisado com cópia física adquirida pela redatora.

80%