AnálisesPS3

Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Revolution

Análise

NOME: Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Revolution
FABRICANTE: CyberConnect2
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Luta
DISTRIBUIDORA: Bandai Namco Games


LANÇAMENTOS
12/09/2014 12/09/2014 11/09/2014


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 720p

Nº de Jogadores: 1-2 (2-8 online)

Troféus (inclusive Platina)

DLC

Espaço necessário: 3.3 GB

Disponível na PlayStation Store (7.4 GB)


Naruto está chegando ao seu fim. Essa é uma verdade incontestável. O mangá começa a apresentar suas primeiras notas de despedida, seguido por um filme chamado The Last (O último), que vai estrear no Japão no final do ano. O anime precisa acompanhar a história e, consequentemente, o jogo também. Naruto já está no mercado há quinze anos e ganhou um enorme número de fãs que vêm acompanhando todas as suas aventuras religiosamente. E não é para menos, é uma série que sabe equilibrar muito bem aventura, humor e drama, mesmo que a qualidade tenha caído um pouco nos últimos anos. A CyberConnect2 tem a árdua missão de manter a franquia viva nos videogames, buscando sempre inovar e manter os fãs interessados. Mas isso é algo que eles fazem muito bem, desde os tempos do PlayStation 2.

Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Revolution é o novo jogo da série, que tenta inovar e mudar um pouco a jogabilidade do que já é considerado, por muitos, um ótimo jogo de luta. Muitas dessas funções são bem vindas, mas outras nem tanto. Mesmo assim, é muito importante ver o cuidado que a equipe tem com o jogo, seja através dessas novas experimentações ou de pequenos detalhes para agradar os mais fervorosos fãs, como designs exclusivos e animações inéditas.

A primeira falha de Revolution fica por conta do modo história, ou melhor, a ausência de um. Não existe uma narrativa propriamente dita. A parte da história se resume com os kages das cinco nações se juntando para realizar um torneio para decidir quem é o mais poderoso dos ninjas. Para isso chamaram todos os personagens para um confronto entre eles. A linha do tempo foi seguida nos jogos anteriores, mas para que o anime avance mais na história, isso não aconteceu nesse título. O torneio em si é algo muito estranho, colocando embates entre personagens de todas as sagas do anime para uma competição sem sentido. Então imagine Madara, Sasuke e Hashirama perdendo seu tempo para um confronto assim. Não faz sentido. Esse modo funciona como um filler – algo que não faz parte da linha do tempo original – não canônico e que serve apenas para testar novas mecânicas.

O torneio se inicia com a escolha de um personagem, que pode ser qualquer um dos que estiverem desbloqueados, e a sua chegada na ilha onde vai acontecer o campeonato. Com isso, é explicado que o torneio inicia com a classificação D e vai seguindo até a S. Para avançar é necessário vencer todas as etapas. A batalhas são um sistema de quatro lutadores ao mesmo tempo na arena. É um pouco confuso devido ao sistema de travar em um oponente, que demora um pouco para se habituar. Existem também coisas que acontecem aleatoriamente na arena, como rampas que surgem para ajudar a acertar oponentes, obstáculos e os "Ultimate Justu", que são limitados a alguns raros coletados durante a batalha.

No intervalo entre as lutas, é possível explorar a ilha. Existem muitas atividades para se fazer e conforme vai subindo na classificação, novos lugares são desbloqueados. São dezenas de missões secundárias e desafios que aumentam em muito a longevidade do título. Essa parte de mundo aberto é o melhor que esse modo tem a oferecer.

O jogo também conta com outro filler que se ambienta no mesmo torneio, mas um pouco diferente. É a história do Mecha Naruto, personagem robótico semelhante ao protagonista. É um tanto divertido, mas bastante curto. Outra coisa importante a dizer, é que a origem do Mecha Naruto no jogo é diferente da versão do anime, confundindo um pouco mais as coisas.

Existem também ótimos curtas com animações inéditas em Revolution. O primeiro conta a origem da Akatsuki e como o grupo reuniu os dez integrantes iniciais. É muito interessante e todo fã vai querer jogar essa parte que conta com cinco batalhas intercalando as animações. Existem também roupas desenhadas pelo próprio Masashi Kishimoto, criador do Naruto, para Sasori e Kakuzu, por exemplo. Não é uma história muito longa, mas é bastante empolgante ver como foi o processo de seleção de Pain e Tobi para montar a equipe e bom para matar um pouco a saudade de Hidan e Kakuzu. Só senti falta de uma parte que mostra como Kisame foi recrutado.

A segunda animação mostra um pouco sobre a amizade de Itachi e Shisui. Os dois Uchiha sempre foram grandes amigos e o curta é uma adição muito bem vinda na série. O curta mostra várias coisas inéditas, como a relação entre os dois, um pouco sobre a personaliade de Shisui, como Sasuke enxergava o amigo do irmão e até mesmo o Susanoo do ninja, que nunca foi mostrado no anime. Mais uma vez desenhado pelo próprio criador. É realmente muito bonito.

Há também mais um curta, mas que não possui nenhuma luta intercalando, que conta um pouco da relação de Kushina com os aprendizes de Minato. É uma história bonita, mas muito curta e que no final ainda entrega um spoiler que vai além do final do Full Burst. Isso é algo estranho, considerando que esse jogo não avança na cronologia. Ainda para quem fez a pré-compra do título, há mais uma história, bastante engraçada, que mostra Itachi tentando cozinhar o ovo frito perfeito para o irmão, Sasuke.

A melhor parte do jogo fica por conta da quantidade de personagens, são mais de 100 personagens com jogabilidades muito diferentes e que possibilitam inúmeras estratégias. A maioria dos personagens tem diversas roupas diferentes e algumas são muito interessantes, como as roupas escolares e roupas da Anbu. Alguns personagens novos são muito bons, como o Shisui, que é muito veloz, e os Kages ressucitados, que possuem mecânicas muito legais.

A jogabilidade muda bastante também com adição do contra ataque, que serve para mudar um pouco o balanço das lutas, além das diferentes variações em cada personagem. Ao selecionar um personagem, é possível optar entre três diferentes tipos de luta. O tipo Ultimate Justu permite executar o jutsu mais poderoso e inflinge uma quantidade de dano absurda no oponente. O modo Awakening permite que o personagem se transcenda e atinja um tipo de tranformação. Essas mudanças são, por exemplo, o Susanoo no caso dos Uchiha, a Kurama no caso do Naruto ou até mesmo uma força e agilidade melhorada para outros. E por último, o novo modo chamado Drive. É um modo um pouco diferente, em que os seus suportes fazem a maior importância. Ao carregar o chakra, eles defendem e ao usar um combo eles ajudam, gerando um dano muito maior. É um modo muito interessante e que muda bastante a jogabilidade, algo bem perceptível já nos modos online, onde já existem pessoas jogando com as mais diferentes configurações de luta.

Interessante também são os Justus combinados com diversos times. Ao usar Naruto, Sakura e Sasuke ao mesmo tempo, por exemplo, o Ultimate Justu muda e dá lugar a um novo golpe do grupo como um todo. Alguns são muitos belos e esperados, como o de Sasuke e Itachi e dos três primeiros Hokages. Outros são divertidos, como o do Time 7 criança. O de Pain e Konan e de Gaara, Kankuro e Temari, são colírios para os olhos e não me canso de ver.

Revolution conta também com mudanças no modo online, que continua com um matchmaking fraco, sem um controle de níveis muito relevante. Conta agora também com salas de espera para entrar em partidas, mas a demora em alguns casos é tão grande que é mais fácil sair e procurar uma nova sala. Não tive problemas com lag durante as partidas, mas existe essa demora para encontrar uma.

Também estão presentes o modo livre para jogar com os amigos em modo local ou aventurar-se em desafios, como o modo sobrevivência, que serve para ver quantas lutas você consegue vencer em sequência. E existem centenas de colecionáveis e até itens para costumização do seu personagem. De maneira resumida: o fator replay do jogo continua extremamente alto e é diversão garantida por muitas horas, principalmente com os amigos.

O jogo testa diversas novas mecânicas, mas nem todas são adições positivas para a série. Espero que o próximo título, continue a história de onde o Full Burst parou e saiba balancear o que é relevante para a jogabilidade. Mas de modo geral, é um jogo muito divertido e que consegue manter um nível de qualidade alto. Ao mesmo tempo, mostra que talvez a franquia já esteja pronta para dar um salto para a nova geração, para a implementação de verdadeiras mudanças.
 

Veredito

Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Revolution é mais um jogo muito divertido da franquia. Mesmo com problemas relacionados ao modo história e algumas mecânicas mal implementadas, o título ainda é uma opção muito interessante para os fãs da série. Com mais de 100 personagens e diversos modos de jogo, o fator replay é muito alto e existe uma relação de custo beneficio tentadora. Espero que a história seja melhor tratada da próxima vez, mas por enquanto vou aprimorar minhas habilidades com alguns personagens.

Jogo analisado com cópia física fornecida pela Bandai Namco Games.

80%