AnálisesPS3

inFamous

Análise

NOME: inFamous
FABRICANTE: Sucker Punch
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Ação / Aventura
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment


LANÇAMENTOS
29/05/2009 29/05/2009 05/11/2009


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Nº de Jogadores: 1

Definição HD: 1080p

Troféus


Quem nunca se imaginou tendo poderes iguais aos de super-heróis e poder propagar o bem pelo mundo… Ou o mal? inFamous traz ao jogador poderes surpreendentes e ainda essa possibilidade de escolher entre ser o herói da cidade ou o anti-herói supremo.

 

Para animar o jogador, a Sucker Punch teve que criar uma estória envolvente o suficiente, e conseguiu. Você é Cole McGrath, um entregador de Empire City, que foi designado a fazer uma entrega, mais precisamente de uma bomba (claro que ele não sabia disso). Essa bomba acaba explodindo seis quarteirões do Historical District e matando muitas pessoas. Cole acorda no meio da destruição, aparentemente sendo o único sobrevivente, e foge até Neon District para encontrar seu amigo Zeke. Após isso, acaba desmaiando. Já no hospital, Zeke e Trish (amor de Cole, e que perdeu sua irmã na explosão) estão ao seu lado quando ele acorda, descobrindo seus poderes elétricos e, após um tempo, aprender a controlá-lo. Esse seria o prólogo do jogo, mas se você tiver interessado na estória inteira, só jogando mesmo.

 

 

Esse é um jogo de mapa aberto (bem ao estilo de jogos do Spider-Man, Assassin’s Creed e até mesmo do novo Prototype), dividido em missões. Somente pelas missões de estória, o jogo pode ser um pouquinho curto, mas para isso que servem as missões paralelas, além de eliminar os inimigos de uma vez em uma área do mapa (eles ficam aparecendo constantemente. Após “limpar” uma área, dificilmente eles voltaram a encher o saco…). Como todos os jogos do gênero têm que ter, o mapa está cheio de colecionáveis bem escondidos e que aumentará seu tempo de jogo em algumas horas. Para comprar os updates para seus poderes, é por um sistema de experiência (XP), que você ganha por nocautear um inimigo ou terminar missões. O mapa é grande e dividido em três ilhas, que serão habilitadas com o decorrer do jogo. Cada ilha tem seus inimigos, fazendo com que o jogador não se canse da pequena variedade deles. O sistema de batalha é bem simples: o jogo é todo em 3º pessoa com câmera livre, mas apertando o L1 a câmera vai até o ombro do protagonista, se transformando em um Third Person Shooter. São poucos chefes, mas a maioria são bem memoráveis, principalmente quando você empolga. A interação com o cenário é máxima: Qualquer coisa na cidade ele agarra! Bem no estilo de Assassin’s Creed: Você pula até uma pequena parte saliente na parede e ele segura normalmente. À primeira vista, os pulos de Cole parecem ser bem artificiais, mas você se acostuma com o passar do tempo. Os jogos do gênero são bem conhecidos pelos bugs (pra quem já viu os de Assassin’s Creed, já é o suficiente para se ter uma idéia), mas nesse caso não interferem em nada na diversão e experiência de interatividade com o jogo.

 

 

Talvez o maior ponto no jogo seja seu sistema de karma. Ainda não são muitos os jogos com esse sistema, ainda mais com tamanha complexidade e importância que se recebe nesse jogo.

 

 

Como pode ser visto acima, o semi-circulo azul e vermelho é o sistema de karma: quanto mais subir (azul), melhor sua reputação como herói. Quanto mais ele descer (vermelho), maior a sua fama de anti-herói. A mudança de karma ocorre com suas ações no jogo: prender os inimigos sem matar e ajudar as pessoas são exemplos de aumento de karma; sair por ai matando as pessoas faz você diminuir o karma. As maiores mudanças de karma são nos “Karma Moments” (simbolizados com um ponto de interrogação com um raio azul para cima e um raio vermelho para baixo), que são, literalmente, momentos em que Cole pará para pensar o que seria mais importante. Na maioria das vezes, esses momentos envolvem sobre o que importa mais: você ou os outros ao seu redor? Esse semi-circulo está dividido em seis partes: três para karma bom, três para karma ruim. Os níveis de karma do bem são (do centro para cima): Guardian, Champion e Hero. E os níveis de karma do mal são (do centro para baixo): Thug, Outlaw e Infamous. Essas escolhas não modificam só as roupas (quanto mais “do bem”, mais limpinho. Quanto mais “do mal”, mais sujo e estranho o personagem fica) ou as habilidades (que são separadas pelo karma) ou a cor da eletricidade em Cole (azul para karma bom e vermelho para karma mal), mas também a reação das pessoas na rua. No nível Hero, as pessoas se aglomeram até você e tiram fotos, batem palmas, etc. Já no nível Infamous, a maioria das pessoas foge depois de te ver e alguns malucos têm coragem de te tacar pedras. Durante uma batalha, não é diferente: no Infamous eles só fogem, já que é uma luta de anti-heroi contra vilões. No Hero fica mais legal: as pessoas tomam coragem e te ajudam a enfrentar os inimigos tacando pedras e que tiram dano mesmo! No caso de ter um karma ruim, alguns policiais que estiverem passando na rua podem te atirar, e aparecer como inimigos no mini-mapa. Obviamente que o seu nível de karma em determinadas partes do jogo também faz com que ocorram diferentes situações, inclusive no final da trama.

 

 

Alguns podem se perguntar: Com tantos poderes para escolher, por que escolher poderes elétricos? Simples: O forte do jogo é a interação do jogador com o mundo do jogo, e a eletricidade é sem dúvida nenhuma, um dos poderes mais interativos, ainda mais em uma cidade grande. Na imagem com o nível de karma, tem umas bolinhas que simbolizam seu nível de energia elétrica. O protagonista não cria energia, mas consegue armazená-la. Com o decorrer do jogo o número de bolinhas pode aumentar, conseqüentemente aumentando a capacidade de guardar energia. Sobre os poderes de Cole, são dos mais variados: Tiro normal de raios (que não gastam energia), ondas de choque, granadas elétricas, escudo elétrico contra as balas inimigas e conjurações de relâmpagos. As habilidades fora das batalhas são poder “surfar” nos trilhos de trem e em cabos com corrente elétrica, e um tipo de propulsor elétrico, que faz Cole flutuar no ar para chegar a distâncias maiores. Os golpes físicos também contam com poderes elétricos. Algumas perguntas freqüentes: Por que ele não pode nadar? Em jogos de Spider-Man, por exemplo, é simplesmente para ter um limite no cenário (ridículo pensarem que o Homem-Aranha não sabe nadar). No caso de inFamous, também é para limitar, mas há uma explicação: Com a corrente elétrica que passa pelo corpo de Cole, se ele entra em contato com água ele pode morrer eletrocutado (irônico, não?). Em certos lugares do mapa tem partes com água mais rasa, que te tira dano, mas não te mata na hora como seria se caísse no mar. Outra pergunta: Por que ele não usa armas? Novamente em jogos do Spider-Man (e super-heróis em geral) eles têm seus poderes, não necessitando de armas de fogo. Aqui é a mesma coisa, mas mesmo se Cole quisesse, ele não poderia pegar na arma, já que a corrente elétrica que corre pelo seu corpo pode fazer todas as balas da arma explodirem, inutilizando-a. Tudo muito bem pensando…

 

 

Os gráficos do jogo não são dos melhores, mas não deixam de parecerem reais. Os efeitos de luz estão muito bonitos (tente achar o reflexo do Sol na água do mar: Está maravilhoso!). As pessoas e cenários são bem detalhados, mas não chegam aos pés de outros títulos já lançados. Os vídeos do jogo são ou em tempo real com o gráfico do jogo ou no estilo de história em quadrinhos (esse último que deu muito trabalho e está impecável). Talvez por culpa dos gráficos relativamente avançados, o tamanho do mapa e a ausência de loadings, o jogo possui constantes quedas de frame, mas que não interrompem muito a ação, ainda mais se você estiver no meio de uma batalha. A trilha sonora também foi muito bem escolhida, principalmente nas lutas contra chefes e nos créditos finais.

 

 

inFamous é um dos poucos jogos que chegou a ser adiantado (iria sair em Junho mas foi adiantado para 26 de Maio). Poderiam aproveitar esse tempo de sobra para corrigir algumas coisas que não são problemáticas, mas que poderiam ser resolvidas. Tirando os bugs normais em jogos do mesmo gênero e a curta duração somente pelas missões de estória, inFamous é um título obrigatório para todos os donos de PS3. O sentimento de ser todo poderoso e poder escolher claramente em ser herói ou anti-herói é uma experiência única e indescritível que todos devem experimentar.

 

92%