AnálisesPSP

Gran Turismo

Análise

NOME: Gran Turismo
FABRICANTE: Polyphony Digital
PLATAFORMA: psp
GENERO: Corrida
DISTRIBUIDORA: Sony Computer Entertainment


LANÇAMENTOS
01/10/2009 01/10/2009 01/10/2009


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Disponível na PlayStation Store

Nº de Jogadores: 1 (Ad Hoc: 2-4)


Com cerca de cinco anos de atraso a Sony resolveu lançar um jogo que havia sido prometido para o PSP desde o seu início. Gran Turismo finalmente chega para o PSP como título de lançamento da atualização da plataforma, o PSP Go, tanto em formato digital quanto em UMDs.

 

Em termos gerais trata-se da famosa série de corridas produzida pela Sony e desenvolvida pela Polyphony. A ausência da indicação numérica de edição é segundo os produtores da série proposital para passar a idéia de que se não se trata de uma sub-versão da série principal. Porém a arquitetura do jogo deixa claro que a estratégia não foi plenamente cumprida.

 

 

Os que jogarem Gran Turismo por mais do que 30 minutos logo terão a impressão de que o jogo sofreu com a já famosa "casualização" dos jogos de videogame, que é cada dia maior, principalmente nas plataformas móveis. E isso pode ficar ainda mais claro com a seguinte declaração: Gran Turismo para o PSP não possui modo carreira. É exatamente o que você leu: O modo que normalmente é o responsável por garantir a longevidade de títulos de corrida está ausente. É compreensível que as produtoras de jogos para dispositivos móveis tentem fazer com que o foco dos jogos seja relacionado à característica de em geral os jogadores de portáteis passarem tempos menores diante do console. Mas um jogo que claramente é projetado para heavy users e jogadores mais aficionados ao estilo sofrer deste mal é um pecado.

 

 

Os que conhecem a franquia há mais tempo ficarão com a sensação de "quero mais" e de que algo está faltando. Os modos do jogo se resumem a corridas simples com até 4 competidores (e adicionais disputas time trial e drift), disputas em multiplayer (mas apenas ad hoc, ou seja, nada de modo online de nenhum tipo) e desafios de direção (à semelhança das licenças das edições para os consoles de mesa).

 

De todos os modos, talvez o que mais seja capaz de oferecer algum desafio é este último, por contar com o sistema de troféus para realizar os objetivos em tempo específico e por ter grandes variedades de situações, desde as mais simples como realizar curvas até as mais complexas, como percorrer circuitos inteiros sem sair da pista. As corridas simples são fáceis, de modo que você mais se preocupa em apreciar e tentar masterizar os pormenores dos circuitos para baixar o seu tempo volta após volta do que em ultrapassar os outros veículos (uma vez que a IA do jogo mesmo se adaptando e aumentando o nível aos poucos é sofrível: os oponentes nunca deixam de seguir o traçado principal de cada pista).

 

 

Conforme consegue cumprir os objetivos do modo de desafios e de acordo com a sua participação nas corridas single player o jogador vai adquirindo créditos que possibilitam a compra de carros novos. Mas o sistema de disponibilização dos veículos também não é dos melhores: apenas 4 montadoras ficam disponíveis por dia "in game" e, de cada montadora, apenas alguns veículos. Desta forma o jogador acaba tendo que contar com a sorte para comprar o veículo que o interessa, mesmo que possua créditos suficientes para comprar qualquer veículo do jogo. Parece uma tentativa de garantir que o jogador continue jogando o game por mais tempo, mas que pode ter exatamente o efeito contrário: será que todos irão se animar em ficar correndo corridas e mais corridas em um modo single player sem grande desafio apenas para conseguir um veículo igual ao seu da vida real (desejo que quase qualquer pessoa que já tenha jogado alguma edição anterior de Gran Turismo possui)?

 

Gran Turismo peca também por não conseguir entregar uma sensação de velocidade muito efetiva. Principalmente nas câmeras externas ao veículo. Nestas sempre parece que 200km/h é não mais do que 70 ou 80km/h.

 

 

Mas agora apresento os pontos nos quais Gran Turismo é digno de louvor e que garantem aquela recomendação que você já olhou lá embaixo: variedade de pistas e veículos, nível de simulação e gráficos. São cerca de 45 pistas (contando com suas variações), o que não deixa de ser um set excelente para um jogo portátil. A quantidade de veículos então nem se fala: cerca de 800 no total (embora existam variações, o que faz com que o número real de veículos seja um pouco menor), cada um com suas características específicas (som do motor e dirigibilidade, por exemplo) e descrições textuais sobre os seus detalhes. Sem dúvida um prato cheio para os amantes da velocidade (mesmo com a limitação dos veículos que podem ser comprados, como dito acima).

 

A simulação também é excelente. A física do jogo e os níveis de ajustes para aumentar o realismo lembram muito os apresentados em Gran Turismo 5 Prologue para PS3, o que mostra que a desenvolvedora teve sucesso em portar parte da engine para uma plataforma de menor capacidade técnica. Os ajustes de detalhes dos veículos também estão disponíveis.

 

 

Já os gráficos do jogo são a sua maior atração. São excelentes, muito bem detalhados (embora existam diversos glitches nas pistas durante as corridas e seus replays) e com efeitos de luz excelentes. O jogo também conta com uma boa variedade de câmeras (embora a do interior do carro seja uma verdadeira vergonha: os painéis do veículos são totalmente pretos, sem detalhes internos). Os carros são (como era de se esperar aos conhecedores da franquia) muito bem desenhados, cada um com seus detalhes específicos. As pistas são excelentes, fieis às suas correspondentes da vida real (quando é este o caso, pois também estão presentes circuitos fictícios). Gran Turismo roda muito bem no PSP, sem slowdonws e a constantes 60 quadros por segundo.

 

Mas no final das contas fica a impressão de que Gran Turismo para PSP não é tudo o que poderia ser. Não que seja um jogo ruim e mal desenvolvido. Longe disso. Suas características técnicas são impressionantes e talvez ele conte com os melhores gráficos do PSP, além de conseguir oferecer um nível de realismo excelente. Porém a ausência de modos que garantam longevidade e prendam a atenção do jogador por mais tempo é um verdadeiro pecado. Mesmo assim, se o jogador compreender e aceitar os seus pontos ruins, e mais ainda se for fã da franquia e de simuladores ou se for interessado apenas em pequenos períodos de jogatina, Gran Turismo para PSP vale a compra. Principalmente a edição digital, pois sai a um preço bem mais barato para nós brasileiros do que os jogos em mídia física (em virtude da ausência de acréscimos como impostos e lucro das revendedoras).

75%