AnálisesPS3

FIFA Soccer 12

Análise

NOME: FIFA Soccer 12
FABRICANTE: EA Canada
PLATAFORMA: ps3
GENERO: Futebol
DISTRIBUIDORA: Eletronic Arts


LANÇAMENTOS
30/09/2011 30/09/2011 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Definição HD: 720p

Jogadores: 1 (2-22 Multiplayer)

Online Pass

Headset

Troféus


O troféu mais valioso que você pode conseguir em FIFA 12 antes da platina é o Pack King. Se levarmos em conta que a cada ano há uma disputa entre a franquia da Eletronic Arts e Pro Evolution Soccer, poderíamos dizer que a primeira oferece, desde o final da década passada, o melhor pacote no que se refere ao conteúdo vasto disponível para os seus consumidores e, porque não, fãs.

Se reinventar tem sido uma constante para FIFA, desde que a série, longe da sombra arcade que a perseguia nas gerações anteriores, se tornou mais próximo do que é um simulador de futebol, fazendo cair o reinado da franquia da Konami neste quesito.

Há a manutenção de uma apresentação espetacular. Visualmente, FIFA prima por categoria no detalhismo exibido em cada sessão de jogatina. Astros futebolísticos com uma modelagem realística, diversas licenças oficiais, gramados e estádios já eternizados no esporte bretão bem retratados, gritos ensandecidos e ritmados de cada torcida, tudo corrobora para o clima festivo do esporte mais popular do mundo, simulado por quem já aprendera com os erros do passado e busca, como já dito, um aperfeiçoamento aliado à mudança. Desde a entrada em campo, até o apito final, FIFA 12 esbanja vivacidade. Cobranças rápidas de lateral e falta conferem dinamicidade a cada partida. Adição pequena, mas notável. Enquanto a bola rola, a torcida grita, vaia, caso o seu time ensaie tocar a bola, abdicando da disputa em prol de um resultado favorável, o som do placar eletrônico informando algo, aquele jogo com chuva, no qual é possível ver a camisa do jogador enxarcada, até o apito final, o espetáculo se delineia de forma magistral.

A diferença mais notável que vemos nas animações é proveniente de um aspecto que reinventa parte da física do jogo. Estipulado como um dos elementos da trindade de FIFA 12, a Impact Engine prometeu uma nova forma de definir as colisões que ocorrem durante uma partida, seja numa entrada brusca para efetuar um desarme, seja num simples esbarrão entre jogadores quando, por exemplo, um atacante velocista parte na ofensiva e se defronta com aquele zagueiro-tanque, como a gíria do futebol apregoa. 

Palavras são parcialmente inúteis para descrever a excelência deste novo recurso. Notáveis se tornam as diferentes animações provenientes deste sistema e inseridas no jogo. Um simples esbarrão na área raramente será interpretado como um simples esbarrão. As perdas de equilíbrio e as retomadas de passo também são influenciadas com isto. Com o controle em mãos, tudo é perceptível e xingamentos, talvez brandos, surgirão quando algum meio-campista demorar a se levantar por causa de um impacto causado, porque, vários fatores (resistência física, local do impacto, etc.) influenciarão nas reações. Esquisitices à parte, como trombadas risíveis que ocorrem quando o jogador se prepara para comemorar um gol, dentre outras, a engine de impacto mostra todo o seu poder e redefine esta característica dentro de uma partida de futebol virtual, principalmente no que se refere às lesões que os jogadores venham a sofrer. Neymar terá motivos factuais para cair no enfrentamento aos homens de defesa, ao menos por aqui.

Esse sistema renovado de impacto é apenas um elemento da trindade que a EA prometeu colocar em prática. Certamente, o que mais propicia, momentaneamente, dores de cabeça ao jogador é o novo esquema de marcação intitulado defesa tática. Entretanto, trata-se de uma dor de cabeça adaptativa, decorrente do desafio ocasionado por esta adição que prima por uma defesa estratégica. Em FIFA 11, marcar sobre pressão resultava em uma forma eficiente, porém pouco cerebral de retomar a posse de bola, efetuando eficientes desarmes. Em FIFA 12, isso acabou. Quer dizer, nas configurações há a opção de voltar ao sistema antigo, porém seríamos verdadeiros peladeiros virtuais hereges caso fizéssemos isto. O motivo principal consiste em não se intimidar diante do novo. E principalmente quando este “novo” transforma drasticamente uma experiência.

Os novos controles de desarme privilegiam, digamos assim, a marcação psicológica, ao invés de uma abordagem direta e desajustada, inclusive típica de alguns zagueiros no futebol real. Trabalhar com o intuito de cercar o jogador, numa movimentação necessária com o analógico, para pressioná-lo ao erro se traduz como elemento de vital importância.  Claro que existem os contras, como um jogo mais amarrado, dependendo da situação, contudo gerenciar isto evidenciará a forma como as suas habilidades ofensivas aparecerão, propiciando possibilidades mais próximas de uma realidade. Por exemplo, ao ser marcado desta forma, um passe em profundidade deve ser bem calculado, porque as chances de ele dar certo dependerão muito mais de sua visão de campo do que o simples apertar de um botão diante de um espaço, anteriormente mais acessível.

A inteligência artificial apuradíssima dos jogadores em campo (em um nível de dificuldade “honesto”) também contribui para que este sistema de defesa tática mostre sua potencialidade e nos dê possibilidades e conseqüências consideráveis quanto à abordagem ou ser abordado, dependendo do caso, influenciando na totalidade das ações em uma partida, devido a uma necessária percepção do posicionamento de cada jogador dentro de campo, junto a um esquema tramado.  Claro, na transição de um sistema para outro, o jogador sofrerá, contudo, ele presenciará os erros da CPU também, em cada acerto de marcação.

Para se desvencilhar de uma marcação, nada melhor que um drible, o qual abre espaços no campo e deixa o espetáculo mais refinado, típico deste grande componente da arte do futebol. Em FIFA 12, o drible tem sua importância aumentada consideravelmente. Os controles para tal estão melhor ajustados, propiciando aos atacantes executar cortes secos ou então entortar a defesa adversária diante da marcação tática apresenta-se eficiente.

Noção de espaço também marca a melhora no sistema de dribles, tornando-o mais "preciso", exatamente como o nome dado pela EA apregoa. Estando próxima à linha lateral ou fechado diante de uma marcação cerrada fará com que o jogador tenha a noção de proteger a bola, ao invés de uma tomada de controle mais agressiva, como se estivesse partindo com tudo para um contra-ataque em linha reta. Abrir espaços proporcionará passes melhores, os quais bebem ainda das mudanças benéficas vistas em FIFA 11. São os dois extremos (defesa e ataque) mudados objetivando trazer uma experiência diferenciada para os jogadores das quatro linhas virtuais.

Há as diversas ligas e copas para jogar, todavia, ao menos offline, o modo Carreira ainda continua sendo vendido como um dos grandes trunfos de FIFA. Neste caso, as mudanças não foram tão drásticas. Quase pouco perceptíveis. Mantendo a fusão dos modos Be a Pro e Pro Manager, oriunda de FIFA 11, o modo Carreira oferece a opção de conhecer na pele, por inúmeras temporadas, a rotina de um jogador ou treinador/gerenciador de futebol em meio a aspectos técnicos como as partidas de futebol ou no gerenciamento das finanças do clube, quanto às transferências, contratos, patrocínios, etc. A progressão é gradualmente lenta e mesmo alguns aditivos, como, por exemplo, uma contagem emocionante nos últimos momentos da janela de transferência, pouco ajudam a amenizar esta sensação. Contudo, o clima está ali, bem retratado,  com menus que pipocam notícias, e-mails recebidos acerca de transferências, partidas inseridas no contexto formado. Entretanto, se há algo a melhorar em FIFA 12, está aqui.

Uma das promessas da EA foi transformar o modo online em FIFA numa verdadeira rede social de amantes do futebol. Esforço para isto sobrou. Não há como jogar FIFA sem ao menos desfrutar alguns minutos das jogatinas online. Praticamente um mundo espera pelo jogador. Desfrutar do Head to Head Seasons pode ser um início. Temporadas inteiras podem ser jogadas; conforme as vitórias e os empates surgem, pontos são angariados e, após uma quantidade exigida de pontos, há a subida de divisão, sendo que o jogador inicia da décima, indo rumo à primeira gradualmente. Não é fácil, claro, mas a EA ao menos torna as coisas justas ao implantar um sistema de procura de adversários após a sua escolha de time, respeitando o nível deste. Isso evita que muitos queiram pegar o Barcelona ou similares, ou seja, somente agremiações com cinco estrelas. Isso estimula a conhecer outros times, mesmo que tenham uma classificação estelar inferior. A busca também filtra pelo número de desistências, ou seja, se você sempre quiser ter adversários, persevere.  Torneios sazonais também são disponibilizadas e garantem boas premiações, além de trazer uma ansiedade significativa, porque há um contador mostrando o tempo que falta para o início/término de tal torneio. Caso perca um, existirão outros e assim por diante.

Rede Social resulta em amigos. Jogar torneios criados pelos mesmos valendo prêmios, similar ao Head to Head Seasons, transmite a sensação revigorante do citado modo, porém sem estranhos desta feita. Acesso a um panorama completo de seus colegas, seu ranqueamento, suas ações no momento, desafios enviados, todo essa "irmandade" faz de FIFA 12 um deleite.

Vestir a camisa é uma das premissas do modo online. A escolha de seu time de coração o fará, de certa forma, defender a reputação do mesmo, junto a um ranking detalhado.  Não importa qual time você escolha para as diversas partidas, a reputação de uma equipe (o São Paulo, por exemplo) é que estará à prova. O EA Sports Football proporciona isto, tornando-se mais um belo estímulo a mergulhar de cabeça no modo online de FIFA 12. Para estender tal imersão, a EA disponibiliza diversos desafios com vários cenários diferenciados para que o jogador cumpra certos objetivos, contribuindo para os ganhos de pontos de experiência no jogo. Muitas vezes, estes desafios serão baseados no que ocorreu em confrontos reais e você terá que reverter tal situação. Torce pelo Real Madrid e entristeceu-se com aquela derrota para o Barcelona? Aqui está o momento para mudar esta situação.

Para por uma cereja neste bolo, o modo FIFA Ultimate Team, oferecido como conteúdo adicional e pago, desta feita já vem junto ao disco. Começar criando uma equipe de status obviamente tímido e disputar partidas online e offline, desafios de amigos e torneios proporciona moedas, as quais podem servir para comprar, mediante uma loja, pacotes que contém jogadores, dentre outros aditivos no meio futebolístico. Quer formar um time com os melhores do mundo, porém os defensores e atacantes jogam em times diferentes? Quer ter um Messi, um Rooney e um John Terry na mesma equipe e formar seu esquadrão de estrelas? Aqui está a chance por meio de pacotes de bronze, prata e ouro. Similares a figurinhas de álbum de futebol, provavelmente a sensação a proporcionar seja esta mesmo. De fato, há êxito na provável tentativa. Dedicação mais uma vez é a chave para o sucesso neste modo.

Caso ainda tenha fôlego para mais acréscimos, tal qual os minutos finais de um jogo, dê uma passada no Virtual Pro, crie seu aspirante a craque e dispute partidas no Modo Carreira ou online, seja em jogos simples ou em torneios. O Virtual Pro torna-se coadjuvante perante ao restante do conteúdo de FIFA, porém não deixa de ser uma opção divertida e que usa o multiplayer ao máximo, com suporte para até 22 jogadores (11 contra 11). Desbloquear habilidades para o seu jogador devido às ações que ele fará em campo (lançamentos, desarmes) fará com que o nível de habilidade dele suba, fazendo com que ele aspire ser um craque e participar das partidas do Pro Club, no qual os desafios são mais intensos e envolvem disputas com clubes criados no mundo inteiro partindo desta opção.

Há muito tempo temos um novo rei nos gramados virtuais. E este rei quer expandir o seu reinado, reinventá-lo, proporcionar aos seus súditos novas experimentações. Eis a realeza de FIFA, com sua trindade posta nesta edição 2012, proporcionando uma engine de impacto eficiente, uma defesa tática que redefinirá a dedicação dos veteranos, mas que de forma alguma afastará novatos e um sistema de drible aperfeiçoado para praticamente se aclimatar à segunda mudança citada. Junte isto a uma rede online agregadora que, assim como uma rede social, o faz se sentir mais próximo de seus amigos online, sabendo de tudo que está acontecendo, enquanto disputa torneios, desafios e abre pacotes e descobre surpresas. Se bem que, o pacote mais valioso que será aberto é o que, ironicamente, terá esta obra-prima dos jogos de esporte nos videogames.

— Resumo —

+ Apresentação espetacular
+ Engine de impacto realista
+ Defesa exige mais estratégia
+ Dribles adaptativos
+ Sistema online viciante e abrangente
+ Sistema de busca online mais justo
+ FIFA Ultimate Team

Modo carreira ainda pouco empolga

96%