AnálisesPS4

Fairy Fencer F Advent Dark Force

Análise

NOME: Fairy Fencer F Advent Dark Force
FABRICANTE: Compile Heart
PLATAFORMA: ps4
GENERO: RPG
DISTRIBUIDORA: Idea Factory International


LANÇAMENTOS
29/07/2016 29/07/2016 05/11/2016


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p

Nº de Jogadores: 1

Troféus (inclusive Platina)

Espaço necessário: 10,1 GB

Disponível na PlayStation Store

Legendas em PT-BR: Não

Dublagem em PT-BR: Não


Fairy Fencer F Advent Dark Force é uma enorme expansão e um port drasticamente melhorado de Fairy Fencer F, originalmente lançado no PS3 e no PC. As adições são suficientes para atrair os fãs antigos para conferir essa nova versão, enquanto que novos jogadores também devem optar por essa devido ao conteúdo e a uma gama de pequenos ajustes que melhoram a experiência do jogo.

Fairy Fencer F se passa em um mundo em que uma Deusa e um Demônio estão selados há muitos anos e existem diversas facções que procuram revivê-los. Para desfazer o selo, é necessário coletar Furies, armas especiais que contêm o poder mágico das fadas e são extremamente raras e poderosas. Se tudo nesse último parágrafo parece clichê, é proposital. FFF utiliza de vários clichês típicos de RPGs para criar uma história com bastante humor, personagens incomuns e momentos genuinamente interessantes.

A história começa com Fang retirando uma Fury presa em uma pedra e recebendo a missão da fada Eryn de coletar todas as Furies para reviver a Deusa. O problema é que Fang é um jovem altamente preguiçoso, desmotivado e cujo único interesse é em comida, portanto a parceria não dá exatamente certo. No decorrer da história outros personagens igualmente “únicos” juntam-se à equipe e as pequenas interações tornam-se bastante divertidas de serem acompanhadas. No final, é difícil que o jogador não desenvolva um apego por esses personagens.

Dependendo de algumas ações feitas pelo jogador, a história e os finais no Fairy Fencer F original eram alterados. Alguns personagens secretos poderiam se unir à equipe e era possível acessar um dentre três finais.

Advent Dark Force possui toda a história do original (chamado de Rota da Deusa) e usa o conceito de ações alterarem a história para adicionar duas novas rotas: Rota do Demônio e Rota da Deusa do Mal. Essas novas rotas são histórias completamente novas e bastante longas, praticamente dobrando a quantidade de conteúdo se comparado ao jogo original. Não posso explicitar no que as rotas diferem devido à spoilers, mas será uma grande surpresa para os jogadores.

As novas rotas são pensadas e equilibradas para o new game plus, portanto eu recomendo terminarem a aventura original pelo menos uma vez antes de acessarem o novo conteúdo. Jogadores que já terminaram o original podem optar pela nova Rota do Demônio e devem conseguir avançar nela com pouca dificuldade. Como as condições para o acesso de cada rota estão escondidas, deixo aqui em spoilers como acessar cada uma:

Antes da batalha com Marianna no deserto de Cavarre à noite, a rota é definida pelo número de espadas removidas na estátua do Demônio:

– Rota da Deusa (História do jogo original): Remova menos de 7 espadas da estátua do Demônio.

– Rota do Demônio: Remova de 7 a 15 espadas da estátua do Demônio e perca a luta após a batalha com Marianna.

– Rota da Deusa do Mal: Remova mais que 15 espadas da estátua do Demônio e vença a luta após a batalha com Marianna.

As novas histórias (Rota do Demônio e Rota da Deusa do Mal) também dão a atenção merecida a personagens que ficaram ignorados ou pouco desenvolvidos na rota original e como esses interagiriam com o resto da equipe. Isso traz uma nova perspectiva a toda equipe, principalmente quando são jogados em situações diferentesnas quais até mesmo suas lealdades e crenças mudam. Reforçando, a história do título pode até ser clichê, mas os personagens é que a tornam muito mais interessante do que teria direito de ser. Pessoalmente, gostei mais da nova Rota do Demônio do que a aventura original e a Rota da Deusa do Mal, apesar de também ser boa, serve como a desculpa necessária para uma inevitável continuação.

Em relação à jogabilidade, Advent Dark Force traz algumas mudanças que melhoram a experiência de jogo. Existem agora várias novas dungeons, cujo level design é mais interessante do que as originais, e também agora é possível dar uma espécie de corrida que torna toda a exploração mais rápida e menos tediosa.

As batalhas são baseadas no sistema utilizado na série Neptunia, ou seja, cada personagem tem seu turno e seus ataques possuem uma área de efeito. Saber utilizar essa área de efeito para os diferentes ataques é o principal ponto estratégico desse sistema de batalha. Ainda há várias outras mecânicas como combos aéreos, transformações e mecânicas únicas para cada personagem que vão sendo explicadas durante o jogo. Ao contrário do original, agora é possível utilizar até seis personagens simultaneamente em batalha, no entanto, isso só se demonstra estrategicamente necessário nas novas rotas de história.

Vale ressaltar que Advent Dark Force é um jogo com muitas batalhas e, caso não utilize suas mecânicas de maneira inteligente, irá resultar em uma experiência absolutamente tediosa.  Por exemplo, é possível utilizar as Furies para alterar as dungeons causando efeitos como troca de inimigos, aumento ou diminuição de status e até mesmo altos bônus no ganho de experiência e de itens. Em particular, dungeons com muitos inimigos, como Zawaza Plains e Dasuhiro Plains, são úteis para ganhar experiência e novos ataques quando se utiliza várias Furies de bônus de experiência.Vale mencionar que é possível pular todas as animações de batalhas segurando o botão L2, fazendo com que batalhas com inimigos fracos terminem em questão de cinco segundos.

Seguindo a tradição de jogos da Compile Heart, ADF não é um jogo particularmente bonito e o reuso de assets é aplicado como uma forma de arte para não entediar jogadores e manter o jogo num orçamento aceitável. Muitas das cenas são feitas com imagens 2D dos personagens, o que acaba retirando um pouco do impacto sugerido de certos acontecimentos. A trilha sonora tem algumas músicas boas, mas pouco utilizadas, resultando que o conjunto da obra como um todo não se destaque.

Veredito

Como devem ter percebido pela análise, o foco de ADF está na expansão de sua história. Os sistemas de batalha foram melhorados e as pequenas adições como a corrida tornam essa uma experiência mais agradável que a versão original. Fãs que gostaram de Fairy Fencer F irão provavelmente adorar Advent Dark Force e, para aqueles que ainda não conhecem, esse é o pacote completo para um ótimo RPG.

Jogo analisado com código fornecido pela Idea Factory International.

85%