AnálisesPSP

Dissidia: Final Fantasy

Análise

NOME: Dissidia: Final Fantasy
FABRICANTE: Square Enix
PLATAFORMA: psp
GENERO: Luta
DISTRIBUIDORA: Square Enix


LANÇAMENTOS
04/09/2009 04/09/2009 18/12/2008


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Disponível na PlayStation Store

Nº de Jogadores: 1 (Ad Hoc: 2)


Quero que pensem em tudo que vem a cabeça de vocês ao ouvir falar em Final Fantasy.
Pensaram?
Pois é exatamente isso que vão encontrar em Dissidia: Final Fantasy.
Diferente da maioria dos jogos da série, Dissidia: Final Fantasy (D:FF) não se atém em ser um simples RPG. Há até pessoas que o classificam como um jogo de luta, mas prefiro classifica-lo como um Action-RPG. Dissidia pega todos os elementos característicos de um jogo da franquia e coloca tudo em um misto de Luta e RPG, da forma que só a Square Enix consegue fazer.

D:FF, como o nome já diz, faz parte da franquia Final Fantasy, porém em vez de encontrar novos personagens, somos reapresentados aos personagens que fizeram história no universo FF. Todos os protagonistas e antagonistas dos jogos FFI a FFX estão presentes e jogáveis em D:FF, além de alguns secretos de FFXI e FFXII.

Pois bem, vamos tentar entender melhor como D:FF funciona. O jogo consiste de lutas um contra um, mas não se resume a isso. Quase tudo que se pode esperar de um RPG é encontrado nele: EXP, stats, itens, equipamentos e até summons fazem parte da experiência do jogo. Os modos de jogo são variados, passando pelo simples modo "Arcade", ao longo modo Story. Existe também um modo para se jogar online com seus personagem customizado via adhoc e o Quickplay.

 

A Square Enix conseguiu fazer um jogo sem combos complexos ou "button smashing", mas com um sistema de combate profundo e interessante. O jogador possui dois status principais durante uma batalha: HP e Bravery. HP, obviamente, rege quanto de vida ainda resta ao seu personagem, enquanto Bravery indica quanto de HP seu ataque irá retirar do adversário. Durante a batalha, o jogador pode apertar "Quadrado" para ataques de HP e "Círculo" para ataques de Bravery. O que torna a briga interessante é o equilíbrio necessário entre HP e Bravery. Para causar dano no adversário, é necessário Bravery, e o mesmo só é adquirido utilizando o ataque de Bravery, que a rouba do adversário e aumenta a sua, o que significa que o jogador deve encontrar um equilíbrio no seu estilo de jogo. Você prefere acumular Bravery e matar o adversário em apenas um golpe ou causar dano aos poucos? Cabe ao jogador escolher sua melhor estratégia.

Mas a profundidade de D:FF não acaba na batalha. O jogador pode moldar seu personagem da maneira que melhor lhe convir. Armas, armaduras, acessórios, skills e summons podem ser equipadas, tornando cada personagem único. Durante cada batalha, o jogador recebe pontos de EXP que servem para que seu personagem passe de nível e adquira melhores Stats e skills. A quantidade de customização para um personagem é absurda! Cada jogador poderá adequar seu personagem favorito ao seu estilo de jogo.

E como não pode faltar em nenhum jogo da série FF, ainda temos a história no modo "Story Mode". A história do jogo é boa, porém nada extraordinária. Conta a história que dois deuses, Cosmos (guardião da harmonia) e Chaos (guardião da desordem) vivem em eterno conflito, porém em determinado período, o jogo parece virar a favor de Chaos. Cosmos em seus momentos finais, pede aos Guardiões da Luz que recuperem os cristais para que a ordem seja reestabelecida. Cabe então ao jogador controlar os protagonistas da série FF (Guardiões da Luz) e encontrar os cristais que são protegidos pelos antagonistas da série. Cada personagem possui uma história diferente, porém com o mesmo objetivo. Para terminar o modo "Story Mode" o jogador deve ir ao fim do modo com todos os personagens. O que, só pra deixar avisado, não é uma tarefa fácil.

O modo online expande a experiência do jogo à rede. Nele é possível jogar contra um amigo utilizando seu personagem customizado via adhoc. Para os que possuem também um PS3, agora é possível jogar contra pessoas de qualquer lugar do planeta utilizando a adhocParty. Atualmente grande parte das pessoas conectadas ao adhocParty estão jogando D:FF. Vale a pena conferir.

Os gráficos são muito bons, principalmente as cenas em CG. Como sempre, a Square Enix faz um trabalho excelente em suas animações. Os sons do jogo também não deixam a desejar, com bastante Voice Acting (VA), porém o jogo não é perfeito e possui algumas falhas. Durante o modo história, a mesma é contada via cut-scenes e diálogos. As VA são bastante pobres. Talvez uma opção de dublagem japonesa desse um toque melhor ao jogo. Como dito anteriormente, a história é boa mais deixa a desejar. Os que não possuem um PS3 com adhocParty instalado estarão perdendo boa parte do jogo, a não ser que tenham vários amigos que possuam D:FF.

Resumindo: D:FF é um jogo espetacular. A variedade de customização de seu personagem deixa qualquer um de boca aberta. O modo história é longo e proporciona uma longa vida útil ao jogo. Os combates são simples, mas divertidos.  Não deixe que os poucos defeitos do jogo ofusquem sua luz. D:FF é um dos melhores jogos de PSP já lançados e merecem toda a atenção dos jogadores.

97%