AnálisesDLCPS4

The Old Hunters (Bloodborne)

Análise

NOME: Não disponivel
FABRICANTE: Não disponivel
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Não disponivel
DISTRIBUIDORA: Não disponivel

LANÇAMENTOS
Não disponivel Não disponivel Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Não disponivel


The Old Hunters é a primeira e única expansão planejada de Bloodborne, um dos melhores jogos do ano e do PS4. É ao mesmo tempo incrível e amedrontador retornar à Yharnam depois de horas e horas perdidas naquele mundo. Reaprender suas mecânicas, lidar com novos inimigos e cenários, e se deparar com novos chefões, que se alguém achava o game fácil diante dos irmãos da série Souls, é melhor repensar. Mas vale a pena voltar ao mundo doentio e sanguinolento do jogo?

A experiência da expansão já se inicia antes mesmo do novo conteúdo. Para poder habilitar a nova área, o jogador terá que pelo menos ter passado do chefão Vicar Amelia na Grande Catedral (Great Cathedral). Em seguida, retornar ao Sonho do Caçador (Hunter’s Dream), pegar o item Olho de um Blood-Drunk Hunter. Ao final, ir até a entrada esquerda do Distrito da Catedral (Cathedral Ward), perto de uma árvore onde jaz um corpo, e ser pego por uma armadilha celestial. Dali, você chegará ao novo local: O Pesadelo do Caçador (Hunter’s Nightmare).

O termo expansão define bem quando falamos das novas armas e equipamentos que se encontram pelos cenários. Ouvindo as preces dos fãs, os desenvolvedores da From Software incluíram itens como um escudo (Loch Shield) e uma espada que se transforma em um arco e flecha (Simon’s Bowblade) , que mesmo não se acomodando a experiência de todos os tipos de jogadores, dão novas nuances ao combate. Junte-se a isso novas magias, armaduras e runas, totalizando mais de 20 itens, incluindo duas runas (Beast’s Embrace e Milkweed) que oferecem a capacidade de se transformar em criaturas vorazes por sangue.

Logo na primeira área, o jogador já se depara com múltiplos caçadores espalhados pelo cenário. A expansão não foi feita para um iniciante no mundo de Bloodborne. Nem ouse atravessar o Pesadelo do Caçador antes de passar um bom tempo com o jogo (é recomendado estar no nível 65 ou acima), a morte será terrível e dolorosa.

Há basicamente três grandes áreas na expansão. A primeira, baseada em uma fase da história principal, o Distrito da Catedral, onde mesmo o jogador experiente precisará reaprender a atravessá-la, com alterações como diversas armadilhas espalhadas e inimigos à espreita. A partir dali o jogador passará por cavernas, catacumbas, poços cheios de sangue lotados de criatura vis, incluindo um impressionante salão de pesquisa que oferece um dos melhores designs de todo o jogo. Ao longo da campanha, é também interessante retornar em alguns cenários previamente visitados e encontrar e desbloquear locais secretos. Há também adições em cenários da campanha original, como novos NPC’s e armas.

Falando em novos NPC’s, uma das melhores adições foi a possibilidade de invocar caçadores para ajudar nas batalhas mais intensas contra os chefões. Com a nova Covenant League, liderada por Master Valtr, localizado na Floresta Proibida (Forbidden Woods), ao lado direito da primeira lâmpada. Usa-se um novo sino chamado Sino do Antigo Caçador (Old Hunter’s Bell) que traz não só o líder, mas outros membros da Liga com diversos equipamentos. Apesar de não durarem muito em batalha, contribuem como uma distração para o chefão não perseguir constantemente o jogador, dando fôlego para se recuperar e procurar estratégias na batalha. Melhorias como essas fazem o jogo ficar mais independente do modo online e oferece novas opções para jogadores familiarizados com as mecânicas do game. Lembrando que essa adição é oferecida inclusive para quem não tem a expansão, mas que está inclusa nas novas fases.

A história, continuamente criptografada e envolta por muitos mistérios, expande a mitologia e oferece detalhes à trama principal. O novo local seria uma versão distorcida da realidade, onde caçadores anteriores e com muita sede de sangue, enfrentam continuamente as criaturas e habitantes da cidade, que procuraram através de experimentos, encontrar a verdade escondida nos Eminentes. Os cenários contam o que pode ter acontecido ali de forma sutil e cativante para os fãs da série.

Há poucas novidades em termos de gameplay, mas alguns detalhes nos cenários e escolhas de design como usar objetos, que se quebrados, alertam os inimigos mais próximos e consequentemente ativam armadilhas que arrancam pedaços generosos da vida. É também fascinante presenciar as próprias criaturas se digladiando. Caçadores enfrentando bestas pelo caminho antes mesmo do jogador fazer seu movimento oferecem riqueza e vida ao mundo do jogo.

Há novos e velhos inimigos, muitas vezes maiores ou mais rápidos que suas versões originais. O design das criaturas chega a apresentar um visual que beira o abstrato. E não só intimidam como podem eliminar o jogador com um único ataque certeiro. Um dos novos, por exemplo, varia de seus diversos estágios de evolução (embrião, enlouquecido, decepado, e só a cabeça). Alguns são inofensivos e até pedem certas tarefas, enquanto outros esbravejam continuamente e batem suas armas no chão, mesmo não tendo conhecimento da presença do jogador.

Mas é nas batalhas contra os chefões que a coisa realmente complica. Com quatro principais e um opcional (um retorno de um antigo bestial com uma pequena alteração), há bastante desafio e variedade no combate. A maioria se transforma quando chega à metade de sua vida. É ali que até os mais experientes irão suar pelas mãos para eliminar as novas bestas. A gratificação de derrotar um chefão depois de incontáveis vezes morrendo e aprendendo com a batalha fazem da recompensa e satisfação serem incomparáveis a qualquer jogo do gênero.

A campanha principal dura aproximadamente entre 10 a 15 horas. Lógico, dependendo de quantas vezes o jogador irá morrer e explorar os cenários e rotas alternativas. Sidequests existem no mesmo esquema de antes: Ajudar alguns caçadores, perdidos e abandonados à própria sorte no Pesadelo a obterem algum item ou apenas cortá-los ao meio para obter suas armas, fica a cargo do jogador escolher seus destinos, mas lembrando que consequências positivas e negativas podem aparecer depois.

A câmera ainda atrapalha em momentos de esquiva dos ataques e o frame rate sofre um pouco em momentos mais intensos, mas a experiência ainda é incrível. O desempenho do jogo melhorou muito desde o lançamento, com loadings mais rápidos e raras quedas de conexões do servidor, elementos que atrapalhavam quando o jogo saiu originalmente.

Veredito

The Old Hunters oferece uma experiência que se equipara a campanha original. Mesmo tendo derrotado todos os chefões do jogo e chegado ao seu final, ainda tive a mesma adrenalina, tensão e imensa e incomparável satisfação ao derrotar os novos inimigos da expansão. É fazer lembrar o que há de melhor no game. A expansão acrescenta a já complexa e intrínseca mitologia da série, escondendo seus melhores momentos para o final, criando uma recompensa que vai além de apenas novos inimigos, armas e fases. É mais do mesmo, e não há nada melhor que isso para os fãs de Bloodborne.

Jogo analisado com o código fornecido pela desenvolvedora.

95%