AnálisesPS4

Análise – Vane

Análise

NOME: Vane
FABRICANTE: Friend & Foe Games
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Aventura
DISTRIBUIDORA: Friend & Foe Games


LANÇAMENTOS
15/01/2019 15/01/2019 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Nº de Jogadores: 1
Troféus (com Platina)
Espaço necessário: 2,7 GB
Legendas em PT-BR: Não
Dublagem em PT-BR: Não


Vane é um jogo que não possui uma história explícita, o que acaba gerando no jogador uma simples ideia do que está acontecendo ao mesmo tempo que ele explora um deserto e uma civilização antiga. O jogo se inicia com uma criança caminhando em meio à uma tempestade que acaba encontrando uma espécie de um templo antigo.

Nesse momento, um ser estranho aparece na porta, as luzes se apagam e você está na pele de um corvo parado em um galho de árvore no meio do deserto. O jogador então terá que explorar o mundo à sua volta voando sobre ele e adentrando cavernas e outros tipos de locais.

A apresentação de Vane é muito rica em determinados pontos e muito pobre em outros. Mesmo não sendo um mundo aberto, o jogo consegue passar essa ideia perfeitamente enquanto você o sobrevoa principalmente a sensação de escola aos olhos do corvo.

Os gráficos por sua vez não são lindos, com aquele estilo de polígono ao extremo. Sem contar que em algumas vezes ocorre uma queda na taxa de quadros mesmo com elementos muito simples ao longo do cenário.

Outro aspecto que deve ser levado em consideração é o fato de o jogo não ter nenhum tipo de HUD. Embora isso possa dar um aspecto mais real ao jogo, alguns jogadores podem achar um tanto o quanto difícil ficar sem saber para onde ir nesse vasto território, e isso pode ocorrer diversas vezes.

Sobre o corvo, um dos personagens jogáveis, o trabalho da equipe na movimentação da ave no ar é digna de elogio. Além de um bater de asas muito realístico, as penas da ave se movimentam lindamente quando o vento bate nas mesmas enquanto o jogador resolve planar sobre o deserto.

Entretanto, nem tudo é perfeito em Vane. Em alguns momentos a câmera do jogo atrapalha o jogador de tal modo que fica impossível se ambientar e às vezes acaba se tornando complicado até mesmo perceber onde o corvo está.

Quando você controla a criança, tais problemas ficam ainda mais graves, principalmente no quesito taxa de quadros. A queda acaba sendo bem brusca, dando quase a impressão de que o jogo simplesmente travou naquele instante.

A jogabilidade de Vane é muito simples. Você terá que resolver certos enigmas e quebra-cabeças para conseguir seguir em frente. Para isso, o jogador ficará no comando de um corvo e de uma criança para se ajudarem a completar tais puzzles e objetivos.

O corvo é o personagem mais interessante de se controlar. Além de ser utilizado para sobrevoar e, assim, desvendar todo o mundo em sua volta, ele também pode se agrupar com outros corvos para conseguir resolver alguns puzzles.

Basta pousar no local onde o jogador acredita que deve ser a chave para o objetivo e apertar triângulo para as outras aves próximas pousarem no mesmo local. Caso você encontre um bando voando, apertar triangulo perto deles fará com que eles sigam você até o seu objetivo.

No comando da criança, o jogo fica um pouco mais simples e linear. Você terá que ativar alavancas, puxar ou empurrar objetos pressionando o círculo.

Para mudar entre um personagem e outro, basta ingressar em uma espécie de poeira dourada quando está controlando o corvo ou cair de um local alto quando o personagem em ação é a criança.

Esse pó dourado tem uma grande influência no cenário do jogo pois ele acaba fazendo com que locais inacessíveis quando se está controlando a criança sejam então alcançados além de mostrar segredos de uma civilização antiga que viveu na região.

Veredito

Vane é um jogo diferente. Ele não apresenta uma história interessante, mas acaba entregando uma experiência única de ver o mundo de cima sob a visão de um corvo. Mesmo com alguns problemas técnicos bem graves e deixando o jogador perdido em alguns momentos, Vane consegue fazer com que o jogador se divirta enquanto resolve alguns puzzles e tenta entender o que acontece naquele mundo.

Jogo analisado com código fornecido pela desenvolvedora.

68%