AnálisesPS4

Análise – Nippon Marathon

Análise

NOME: Nippon Marathon
FABRICANTE: Onion Soup Interactive
PLATAFORMA: ps4
GENERO: Esporte
DISTRIBUIDORA: PQube


LANÇAMENTOS
17/12/2018 17/12/2018 Não disponivel


INFORMAÇÕES ADICIONAIS E SUPORTE
Resolução Máxima: 1080p
Troféus (inclusive Platina)
Nº de Jogadores: 1-8
Espaço Necessário: 3,3 GB
Dublagem PT-BR: Não
Legendas PT-BR: Não


A essa altura, citar os conceitos “exóticos” de alguns programas de TV japoneses é um clichê. Para uma nação apaixonada pelo conceito de “game shows” e programas de variedade no geral e com uma considerável inclinação para pensar fora dos padrões “comuns” ao que se vê nos canais de TV ocidentais, o surgimento de variações cada vez mais bizarras, em sua maioria influenciadas pelo icônico Takeshi’s Castle (que ganhou sua própria adaptação no Brasil com o famoso “Olimpíadas do Faustão”).

Nippon Marathon, jogo desenvolvido pela Onion Soup Interactive e publicado pela PQube, é um party game que tenta capturar a idéia desses game shows e seu estilo de comédia pastelão e aplicá-los a um jogo de orçamento bastante limitado. Se bem executadas, essas ideias podem render uma experiência divertida, em especial no sofá com os amigos, mas, infelizmente, o jogo falha em fazê-lo.

Nippon Marathon

A premissa do jogo é simples: o jogador o assume o controle de um competidor em uma maratona disputada em diversas etapas ao redor de todo o Japão chamada ‘Nippon Marathon’, a qual é realizada todos os anos, com diversos sub-grupos competindo ao longo de cada trecho com os mais diversos obstáculos bizarros e com os competidores mais lentos sendo eliminados pouco a pouco. Para vencer não é preciso só terminar à frente dos outros competidores (o que lhe dá mais estrelas, que funcionam como “vidas”), mais fazer mais ações que conquistem os telespectadores e dêem ao jogador mais fãs, sendo a posição final determinada por uma pontuação que leva como você correu, quantas estrelas ganhou e o seu estilo em consideração.

A decisão de ambientar o jogo no Japão parece ter se dado mais por escolha estética do que qualquer outra coisa, considerando que a premissa básica de uma competição em que os competidores apanham em corridas de obstáculos bizarros é uma linguagem universalmente aceita, e isso vem com direito a dublagem em japonês e boa parte dos diálogos se dando em forma de visual novel, com um estilo visual que tenta emular a estética de um mangá e consegue com um certo grau de sucesso.

Nippon Marathon

Correr a maratona é um processo simples, com o jogador precisando navegar o cenário e desviar dos obstáculos seja pulando ou deslizando por eles e sendo capaz de usar diferentes frutas que são coletadas pelos cenários e funcionam como power-ups, dando um boost na velocidade se o personagem comê-las ou então ativando uma habilidade especial (o abacaxi funciona como um balão, a melancia ativa uma chuva de melancias explosivas, etc). Os primeiros cenários e as habilidades são engraçadas no começo, mas tudo logo se torna extremamente repetitivo e leva o jogador a exaustão (e a terrível trilha sonora também não ajuda).

O jogo parece que tenta seguir o exemplo de jogos que brincam com a física dos movimentos dos personagens e a forma como eles interagem com o mundo ao seu redor, sendo que tudo, dos pulos ao rag-doll ao ser atingido por algo, tentar ser muito engraçado pelo exagero mas cai de cara no chão como o seu personagem faria ao errar um pulo. É difícil se divertir até mesmo com outros jogadores, destruindo completamente o propósito do jogo de ser um party game para se aproveitar com os amigos (apenas presencialmente, já que não existe modo online). Até os troféus do jogo que poderiam justificar a experiência para os caçadores de troféus mais dedicados se torna um problema, já que existem alguns deles com bugs que impedem que o jogador os conquiste.

Nippon Marathon

Por mais que o jogo possua uma quantidade considerável de conteúdo, com um Story Mode que conta com quatro campanhas diferentes, um Party Mode com dois tipos diferentes e um Versus Mode com algumas variações na forma com que os jogadores podem correr a maratona (desde os oito estágios de uma vez só até uma quantidade menor de estágios), nada disso importa se jogá-los é tão ruim quanto Nippon Marathon consegue ser.

Apesar da estética anime que a apresentação do jogo tem, ele muda um visual 3D durante as maratonas e os gráficos seriam ruins até para os padrões de um jogo de PS2 em alta-definição. Mesmo se você considerar que o orçamento baixo e a premissa do jogo remetem às coletâneas que eram comuns no PS2, em especial no Japão (como a Simple Series da qual surgiram as séries Earth Defense Force e OneChanbara), ele ainda é um jogo com gráficos horríveis até para esse padrão. Isso, novamente, seria escusável se o gameplay não fosse atroz.

Nippon Marathon

Nippon Marathon falha em tantas coisas que é consegue transformar uma tentativa singela de homenagear a cultura japonesa, em algo ofensivamente ruim. O roteiro do modo história é terrível e consegue transformar ideias interessantes para os quatro personagens principais (um cachorro humanóide falido que quer abrir uma agência de namoro, um rapaz vestido de lagosta que quer salvar a fazenda da família, uma garota que acha que é um Narwhal e um senhor de idade vestido de garota colegial em busca de encontrar sua identidade) em caricaturas sem-graça desenhadas para demonstrar o quão “japonês” o jogo é. Mesmo algumas poucas piadas que podem te fazer sorrir um pouco são seguidas de vários e vários diálogos horríveis.

É fácil perceber o que Nippon Marathon tenta fazer, mas tanto a tentativa de fazer uma homenagem ao quão “estranha” a cultura japonesa é quanto de fazer um jogo engraçado com uma física “maluca”, influenciado por um dos principais pilares do humor pastelão (a premissa básica de que é engraçado ver pessoas passando por acidentes esdrúxulos e que gerou variações de um programa de TV em mais de 40 países), falham miseravelmente. Por mais que o jogo possua um conceito que poderia ter funcionado bem, de alguma forma, ele falha em basicamente todos os pontos necessários para fazer um jogo divertido.

Nippon Marathon

Veredito

Nippon Marathon é um jogo que impressiona pelos motivos errados. De alguma forma, o jogo consegue falhar em todos os seus aspectos, com absolutamente nada dele sendo uma qualidade de verdade.

Jogo analisado no PS4 padrão com código fornecido pela PQube.

25%